Há 15 anos

Juiz Mário Kaskelis (Falecido), desembargador Carmo Antonio (então presidente do TJAP), Ministro Paulo Costa Leite, Desembargadora Sueli Pini (na época juíza), Regina Chagas, Juiza Keila Banha, Não identifiquei, Promotor Roberto Alvares, hoje Procurador-Geral do MP, Coronel Bráulio, Tenente Ronaldo e Juiz Heraldo Costa.

Tjap-antiga

  • Lá se vão 20 anos de pioneirismo da Justiça no Estado do Amapá, com toda a certeza a ação da justiça itinerante é um marco na história do Amapá. Então, agora, como Desembargadora Presidente a Dr.ª Sueli Pini, deveria lembrar e manter essa investidura de pioneirismo e, desafogar os serviços da justiça dos jurisdicionados, dando-lhes melhor atendimento e celeridade, pois contingenciar a prestação jurisdicional é acometer de percalços a vida dos usuários da justiça. Para tanto, basta, como um mínimo de Gestão aplicada a resultados, nomear os mais de 100 concursados que fizeram o Concurso do TJAP em 2014, acreditando que as vagas disponibilizadas em Edital, seriam cumpridas, seguindo o rito normal de um Concurso JUSTO. E, então, para a surpresa e estarrecimento da população Amapaense, o TJAP não cumpre com a Lei, dando explicações que são justas, mas não atendem ao fim prescrito no Edital do Concurso. Façamos justiça aos justos, pois quem prestou o Concurso, acreditou na aplicação da Justiça. E, os servidores atuais e também os jurisdicionados, aguardam o desafogar das serventias judiciais e administrativas do TJAP.

    A justificativa da Presidência do TJAP, em não nomear os concursados que estão aprovados dentro do estrito número de vagas ofertadas no Concurso em 2014 é a crise do Brasil. Mas, em que pese a crise do Brasil, mas o TJAP não tem mais essa justificativa como pano de fundo, pois no processo de transposição dos servidores públicos do Amapá para os quadros da União, da lista de servidores que passaram para a União 30% dos já transpostos são oriundos do TJAP, então agora se tem uma folga para as nomeações que não ocorreram com a justificativa de falta de recursos. Agora a informação é que essa folga no orçamento do TJAP será utilizado par ao pagamento de benefícios, como o auxílio moradia para os Magistrados, que já ganham salários acima de 25 mil por mês e, mais vantagens acumuladas. Já se pode SIM, nomear os concursados, dentro do número de vagas em 2014. O Sindicato dos Servidores do TJAP tem ciência dessa ocorrência e devem tomar um posicionamento e informar à Sociedade do Amapá.
    #NomeiaDraSueli

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *