Greves sem sucesso na justiça

 

O Tribunal de Justiça do Estado do Amapá (Tjap) deferiu em parte o pedido de tutela de urgência, protocolado pelo Governo do Estado do Amapá (GEA), solicitando o fim da greve do Sindicato de Enfermagem e Trabalhadores de Saúde do Amapá (Sindesaúde). A decisão do desembargador Manoel Brito garantiu o direito à greve, mas determinou a manutenção de, pelo menos, 80% dos atendimentos realizados pela categoria. Em caso de descumprimento, a multa diária é de R$ 10 mil.

Na segunda-feira, 11, o Tjap pôs um fim na greve do Sindicato do Grupo Socioeducativo e de Proteção da Fundação da Criança e do Adolescente (Singsep), que foi anunciada sem prazo para encerrar.

  • O Judiciário retrógrado não respeita os direitos dos trabalhadores, nem da sociedade, quer que os serviço públicos de má qualidade continuem sendo realizados e impede que os trabalhadores que lutam para melhorá-lo, possam lutar por sua melhora.

    O mesmo judiciário que ameaça de punição os trabalhadores que lutarem para melhorar os serviços públicos não faz nada para punir o responsável pela situação caótica pela qual os serviços públicos passam: O GOVERNO.

    Lula falou que o Brasil tem um “judiciário acovardado”, penso que descrição semelhante se aplica ao Amapá.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *