Gilvan saiu da representação do GEA em Brasília. Trincou a laje ou é mimimi?

Gilvan Borges deixou o cargo de secretário Extraordinário do Governo do Amapá em Brasília.

Há tempos o grupo de Gilvan reclama do governo. Diz que tem poucos espaços e que não é ouvido. O que Gilvan queria mesmo, era a Secretaria de Saúde e a Secretaria de Comunicação. Apesar de comandar a Secretaria de Infraestrutura.

Já no governo, reclamam que ele coloca suas questões políticas e divergências, acima das articulações institucionais. Como por exemplo, a relação com a bancada de senadores, que foi zero, desde o inicio do mandato de Waldez Góes.

Alguns observadores da política amapaense apostam que Gilvan saiu do cargo, mas não deixa o governo. Apenas mise-en-scéne.

 

  • A resposta é fácil.
    Gilvan não aguentava mais chegar ao aeroporto de Brasilia como um ilustre desconhecido, um “ex” senador.
    Toda viagem ele via Capiroto, Davi e Randolfe dando entrevistas e coisas e tal.
    E o Gilvan coitado, sempre desolado no canto, sentado em uma cadeira esperando seu vôu para Macapá.

  • Será que a torneira fechou para o sistema beija flor de comunicação? O pior de tudo é que ele se lançou pré-candidato a Prefeito. Já pensou essa figura como Prefeito de Macapá. O povo não merecesse isso.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *