Fora Renan

senado-DSC03757-300x225

A eleição do Senado, realizada no dia 1º de fevereiro, que decretou a escolha do Senador Renan Calheiros (PMDB-AL) como o novo presidente da Casa, não foi suficiente para cessar os protestos de parte da sociedade civil que contesta a escolha.

Depois de lançarem via internet uma petição online contrária ao Senador Renan na presidência do Senado, nesta quarta-feira (20), 15 caixas contendo 1,6 milhão de assinaturas impressas foram entregues no Senado.

O senadores do Amapá Randolfe Rodrigues (PSOL-AP) e João Capiberibe(PSB-AP), o deputado Chico Alencar (PSOL-RJ) e outros senadores participaram do ato simbólico no Senado.

“Dizer que não acabou com a eleição de Renan, é a demonstração de que a sociedade continuará mobilizada. Mas precisamos também mobilizar esses corações virtuais para que eles venham às ruas fazendo com que os parlamentares sintam o calor da pressão popular”, disse Randolfe.

Randolfe ressalta que a entrega no Senado foi um ato simbólico, mas caso o STF aceite a denúncia apresentada pela PGR em janeiro, os senadores terão um fato novo para outros encaminhamentos.

 

Após a entrega das 1,6 milhão de assinaturas aos senadores, os representantes da petição online foram até o STF, onde protocolaram um documento pedindo celeridade ao ministro Ricardo Lewandoviski na análise da representação contra Renan Calheiros, protocolada pela PGR.

40 mil e-mails: Só nesta semana, o e-mail institucional de Randolfe recebeu mais de 40 mil mensagens da sociedade civil, em protesto ao Presidente do Senado. As mensagens, além de pedirem celeridade na análise da denúncia contra Renan pelo STF, pedem a mobilização dos senadores pelo impeachment de Renan. Além disso, demonstram a insatisfação da população com o resultado da eleição para presidência do Senado realizada no dia 1º de fevereiro.


Com informaçoes de Gisele Barbieri

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *