Falo por que tenho boca

Vítimas de trânsito na capital lotam o Hospital de Emergência

A diretora do Hospital de Emergência do Estado (HE), Edna Oliveira, divulgou, nesta terça-feira, 2, dados sobre o atendimento de pacientes vítimas de acidentes de trânsito na capital. Os números mostram que somente em dois dias (1º e 2 de agosto) 47 pessoas foram atendidas no HE com fraturas adquiridas após acidente automobilístico, sendo a maioria envolvendo motociclistas.

De acordo com a diretora, a prioridade do momento é dar vazão ao fluxo de acidentados que chegam ao HE. “Estamos atendendo as pessoas que se envolvem em acidentes, mas o número de vítimas com traumas é maior que os procedimentos que profissionais médicos conseguem realizar”, declarou Edna.

Para reduzir o número de acidentes na capital, o governo do Estado determinou a realização de um mutirão em prol da redução de acidentes. Blitze foram montadas em pontos estratégicos em Macapá e Santana nos fins de semana. As ações tiveram início na última sexta-feira, 29.( Com informações de Alieneu Pinheiro – Assessor de Comunicação Social)

 

Nota do Blog

Sabemos que  são os pacientes acidentados no trânsito que lotam o Hospital de Emergência. E nem precisa de estatística pra todo mundo saber que em sua grande maioria, envolvem motocicletas. Os maiores custos da saúde estão justamente nos traumas. Tudo é caro: material cirúrgico, tempo de internação, ambulâncias e etc..E depois o tem custo do tratamento  no Centro de Reabilitação.

A Prefeitura de Macapá, achando pouco, distribuiu mais 700 placas de moto- taxis recentemente.

E o Governo do Estado, através da Afap, está financiando aquisição desse tipo de veículo.

Tremei trágico trânsito!

Na segunda-feira, a noite, na esquina da minha casa, na Hamilton Silva com Almirante Barroso, um grave acidente de trânsito ceifou a vida de mais um cidadão amapaense. O moto-táxi avançou a preferencial e o passageiro voou da moto indo bater de cabeça na parede do prédio da esquina. Morreu. O condutor da moto teve fratura exposta e o motorista do carro, que não teve culpa, teve crise hipertensiva na hora.

O passageiro que faleceu, com certeza, teria a vida poupada se tivéssemos transporte coletivo que atendesse a necessidade da população e que ninguém precisasse usar meios de transporte inseguros.

E a saúde pública e o Hospital de Emergência teriam mais condições e recursos para atender os que são vitimados por doenças.

    • É LAMENTÁVEL!!!
      Alie-se à nota do BLOG, a impunidade por quem fornece CHNs por troca de votos; a ausência de fiscalização pelos órgãos competentes; a desobediência ao CBT e seu regulamento e o perfil psicológico do condutor, entre eles a falta de hábito de buzinar (alertando o condutor desatento) e a necessidade de freiar o veículo (pois alguns aceleram mais o veículo achando que o outro vai se livrar) revelando desconhecimento sobre ou recusa em aderir a direção defensiva!
      Ou seja, a pressa, o desrespeito e falta de cortesia é que verdadeiramente podem aliar-se a causa de tantos males!

      • Muito bom seu comentário, sou condutor de motocicleta desde 1998, graças a Deus nunca sofri nenhum acidente. Você esta coberto de razão em sua colocação, so gostaria de acrescentar que nas fiscalizações de rua nos veiculos de duas rodas, tambem fosse fiscalizada as condições minimas de circulação destes, como por exemplo, condições da corrente, coroa, pinhão, freios, capacetes, que na maioria dos veiculos de moto taxi são precarios.

        • Bom ver que vc tem noção dos riscos,se cuida e pede a atenção das autoridades na prevenção de acidentes.Creio que tudo que se precisa é de uma boa campanha educativa e um rigor maior por parte das autoridades, em punir os abusos praticados por estes condutores,tanto os de 02 rodas quanto aos de 04.Cobrar isto das autoridades é um dever nosso.

  • Lene,a nota do blog já disse tudo.Estarrecedor saber que o Estado e Municipio são os avalistas dessa irresponsabilidade.Ontem eu estava no centro da cidade e fiquei exatos 35mm esperando por um taxi,as motos nem precisa de um minuto sequer de espera,estão por todas as partes.O transito aqui é assassino mesmo,tudo por conta dessa onda de motos e descaso das autoridades de transito.Sinalização precária,engenharia de transito inexistente.

  • Agora com a liberação do que chamo de “mototaxismo” a tendência é cada vez mais se ampliar essa tragédia. Além das mortes teremos um exército de pessoas multiladas. UMa situação bem pior que a tragédia provocada pelas “minas terrestres” na África!!!!

  • Eu não sei onde esses “pilotos” de motos conseguem tirar carteira para andar nessas armas letais, são muito irresponsáveis, tenho um asco de sair nas ruas e ver como se comportam, desrespeitando as leis do trânsito e colocando muitas vidas em risco, principalmente as suas.

  • Lene,

    Concordo plenamenmte com você. Ouço tanta gente falar em princípio da dignidade humana. Transporte público seguro, limpo e confortável só tem haver com a dignidade humana. Onde há transporte público digno não tem “morte táxi”.

  • Acredito que o transito de macapá deve ser acopanhado de perto com ações energicas para coibir abusos.
    Também penso que a distribuição de placas de moto taxis deva ser revista.

    O GEA, ao fornecer credito para a compra de motos não esta fazendo mais do que sua obrigação de oferecer, dentro do número limite de concessões emitidas pela PMM, segurança necessária para a realidade que esta posta.

    • Sr. Carlos Sergio,

      Achei perfeito o comentário da signatária do blog. Devaneio aqui ao pensar que seria mesmo necessário submeter os motoristas amapaenses a novo exames para revalidação das CNH’s (pois mais que eu saiba que isso deva fugir da alçada estadual, mas a situação é de guerra!). Talvez sairia mais barato que o custo hospitalar. Quanto ao seu comentário, acho que são duas medidas populistas e eleitoreiras, tanto a da PMM (desesperada) quanto a do GEA (que se quis mostrar tão “benevolente” quanto.

      Espero estar técnicamente errado.

  • Convivo com o transito de macapa a 18 anos, me envolvi em 2 acidentes nos ultimos 4 anos, coincidencia os dois com motos, felizmente so tivemos perda material, os dois motoqueiros nada sofreram de grave, mas os dois estavam em alta velocidade. isso sem contar a falta de higiene dos capacetes de moto taxi, muitas pessoas ja pegaram uma especie de micose no couro cabeludo e quase ficam carecas…durma-se com um barulho destes.

  • Cada povo tem o Prefeito e o Governador que merece. Nos eleitores somos os culpados,votamos errados, temos coragem de anda de morte taxi e por ai afora.

  • Le3ne eu estou há 17 anos no Corpo de Bombeiros destes 7 anos trabalhei na Ambulância. É importante frisar que com o aumento de motos circulando em nosso trânsito consequentemente aumentoou o nº de acidentes envolvendo as motos. Todos os dias são v ários acidentes envolvendo moto/bicicleta;moto/carros;moto/carros pesados e por incrível que pareça moto/moto e geralmente esses acidentes vem seguidos de fraturas no mínimo.Pq acontece isso?Os motoqueiros são extremamente imprudentes, andam em alta velocidade, cortam,te fecham e avançam preferenciais o que traz um desfecho geralmente desfavorável. Claro que não são todos mas o trânsito está aí pra comprovar o fato.

  • Moto é transporte rápido; econômico e alternativo de primeira linha nas grandes metrópoles.A culpa não é desse transporte e sim da imprudência dos condutores; falta de educação e fiscalização. Seira bom que usassem as estatísticas para desenvolver políticas que reduzissem as ocorrências. A frequência dos acidentes é maior onde? Próximo de que? Ocorre acidentes geralmente em via de escoamento de interligação de bairros? A sinalização é satisfatória? O fluxo de mão única que é menos perigoso vem sendo adotado? Como está a formação desses condutores? E a fiscalização? Houve campanha institucional voltada para a sociedade e entidades dos mototaxistas? Talvez a saída seja por aí. Discordo do dito popular: “se deu carrapato no gado, mate-se o gado” – Não vamos culpar as motos, ok?
    att josenildo Mendes de Sousa

  • Li algumas pessoas falando que estão no Estado há mais de 18 anos, bem eu nasci e cresci aqui e já vão quase 40 anos, e a avaliação que eu tenho, é que o aumento de veículos circulando é devida ao péssimo serviço de transporte público (sempre foi assim, tarifas altas, ônibus lotado – cansei de andar na porta ou ir andando para escola, e o serviço de moto-taxi foi a solução para uma imensa parcela da população que depende de ônibus, demanda reprimida é isso. Quem sempre utilizou de ônibus algum dia chegou atrassado a seus compromissos. Outra solução é adquirir uma motocicleta, que tem um valor mais acessível. Todo mundo sabe que andar de motocicleta é mais arriscado, mais não são todos que tem outra opção.

  • Recentemente ia caminhando na esquina da Av Antonio Coelho de Carvalho/ Tiradentes. Uma moça carregando um ventilador de pé na embalagem, acenou p um mototaxi e acertou a corrida com o mesmo, ate ai, nem uma novidade. Porem, pasmem a moto era uma bis, tipo lambretinha.Isso q foi o absurdo!

  • Há muitos mototaxistas clandestinos, a grande parte sem carteira de habilitação. Tenho visto as maiores imprudências: avanço de preferencial, de sinal vermelho, motos que atravessam na frente de carros. Já tive que literalmente parar o carro diversas vezes para não bater em motos. Em Boa Vista há um sistema de taxi lotação que é muito mais seguro e eficiente que os mototaxis. Seria uma boa alternativa para Macapá.

  • Tenho certeza de 3 coisas:
    1- Temos os melhores motociclistas do Brasil, considerando que:
    – Se tem tantos acidentes, era pra ter 1000x mais considerando a absurda quantidade de buracos, ruas com pavimentação irregular, escuridão da cidade, além da falta de sinalização. Graças a habilidade dos nossos motociclistas a coisa não é mais feia.
    – Aquilo que você chama de “eles passam voando”, na realidade, é a necessidade de não ficar ao lado do seu carro, pois, seguramente, você faria um movimento lateral, sem prestar atenção, devido os buracos, e derrubaria a moto.
    – Deveria ser assim: o veiculo maior é responsável pelo menor. Mas, dá pra confiar em você, motorista? Ou eu tenho que me virar?
    – Algum “engenheiro” de trânsito faz alguma coisa pelas motos? Ou é para os carros?
    Tem outras 20, mas vou parar por aqui.

    2- Temos os piores motoristas do Brasil, considerando que:
    – A primeira moda foi colocar pindurado no para-brisa do carro, aqueles bonecos (elefante, urubu do flamengo, caveiras, coruja, etc) que eram ótimos para tirar a visão e concentração do motorista.Eram muitos que usavam. Parou, mas quantas motos não foram atingidas por causa disso?
    – A segunda moda foi usar a película mais escura possível, um verdadeiro breu. Muitos usavam. Até que veio a lei e regulou. Mas, quantas motos foram atingidas por causa disso?
    – A terceira moda foi usar dvd na frente do painel. ótimo pra tirar a atenção. Acho que depois de tantos acidentes, nimguém usa mais. Mas, quantas motos foram atingidas por causa disso?
    – Quarta moda foi usar os farois de xenon, muito forte, comprometia bastante a visão no trãnsito. Veio a lei, não acabou, mas melhorou. Porém, quantas motos foram atingidas por causa disso?
    – Quinta moda: som excessivamnte alto. É possível estar atento ao trânsito, com um som tão alto? Motos foram atingidas por causa disso?
    Sexta moda: começou com os carros o avanço constante de sinal. Continua a moda.
    – A cidade é cheia de tachões. Isso é para as motos ou para os carros?
    – Semafóros são colocados com 2, 3, 4 tempos. Isso é por causa dos motoristas, que não sabem fazer conversão.
    – Opção a noite para o jovem motorista? Festa, festa, festa, bebida, bebida, bebida, festa, festa…e haja bater em moto.
    – É comum 2 motorista andarem lentamente nas 2 faixas, imposibilitando a ultrapassagem, tornando o trânsito lento e perigoso, principalmente para as motos.
    – Tem mas 100, mas paro por aqui.
    3- As autoridades mas incapazes de analisar o problema. Senão, vejamos:
    – Palhacinho nas esquinas.
    – Tachões (é proibido) pra tudo que é lado.
    – Sinalização precária.
    – Buracos, buracos,buracos e…buracos.
    – Semáforos com tempos que paralizam o transito.
    – Macápá tem 1000 ruas, mas só se pode usar 50, devido muitas ruas não terem sequência em função de canais, ruas precárias que nimguém quer dirigir, etc. Todo o trânsito se concentram nelas (moto fica espremida)
    – Guardas de trânsito não orientam, apenas multam.
    – Nenhum rigor com as autoescolas.
    – Nenhuma técnica para fazer as ruas (Claudomiro de Moraes, uma aberração)

    – Tem mais 1000, mas paro aqui.

    Desculpe se fui muito extenso.

    Obs. Sou motorista a 17 anos, não sou lesma no trãnsito e nem ando com excesso de velocidade, sigo rigoramente as normas de trânsito, não tenho nenhuma problema com motos e tive 2 acidente: um ciclista e um carro que avançaram a preferencial, motivo: não tinha placa de “pare”. Nunca fui multado.

    Um abraço

Deixe uma resposta para Carlos Segio Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *