Eu tinha vontade de fazer esse post, mas o Fernando Canto fez no blog dele, então eu copio e posto aqui.

A GEOGRAFIA URBANA DO TADEU PELAES

Tadeu Pelaes, amigo e gente boa, é daqueles caras que aproveitaram ao máximo as ofertas do mundo na sua juventude. Entre uma conversa e outra lembrou os bares e boates que frequentou nas décadas de 70 e 80 em Macapá. Falou da “Cabana do Pai Tomás”, que ficava em frente ao Supermercado Pierre, hoje SA Pneus, na Rua Tiradentes; do “Piraquê e da boate “Papos e Molhados”, onde era a Fábrica Amapaense, hoje DRA-AP e da “A Peixaria” do Dedeco, na esquina do antigo INPS e em frente ao bar do seu Afonso, depois do seu Augusto. Mais tarde “A Peixaria” foi substituída pelo bar “Berro D’água”, do Bira Picanço.

O Tadeu lembrou do “Ojuara”, do seu Otávio, que também foi o “Pink Bar”, do Capi, ali em frente à caixa d’água da CAESA, perto do IETA. E de quebra referiu-se ao “Ponto Certo” e ao “Colorado Lanches” que era do Bernardino Sena; da boate “A Tenda”, da Galeria Comercial da Avenida FAB, e do “Gelar”, de 1971. Ainda falou do “Executive”, do Aimorezinho Batista, que ficava no prédio do português Lavoura, na esquina da FAB com a Tiradentes. Todos esses lugares fizeram parte de sua geografia urbana. Ele só não disse com quem andava por lá. Mas aí é outra história. Égua da memória!

Quer completar o circuito do Tadeu? Posta aí?

Eu lembrei da Boate do Beneto, acho que o nome era Alto Astral, da boate Flagras, e do La Bamba, cujo slogan era “Onde Tudo Acontece”.

  • Esses bares e boates (exceto o La Bamba), eram frequentados por gente que tinha bala na agulha. Quem era adolescente e não tinha tanta bala, assim como eu, tinha que cair no Juçarão, Nova Brasília, B 77, Hollywood, Sobradinho, Corujão e outros. E os motéis de banho theco, era o Pau Pretinho, 1, 2, 3, Seu Arthur (no beco ao lado Basa perto do canal). Faltou citar o Sat Club.

    • Ei, caboco. Tú eras da bandalha, hein???!!! Margô, Xadrezão, Merengue, Chapéu de Palha, Urca Bar, Boteco Porta Larga, À Beira do Caminho… e haja pinga, parceiro…

  • Oi! O“Ojuara”, não ´era´do seu Otávio, ou melhor, foi criado na década de 60 pelos Sr Raimundonho e D. Elimar Araujo, ´daí o nome, o inverso de araujo. Era um ama lanchonete/confeitaria e ficava atras da residencia deles. Depois passou pela mão do seu Otávio (aquele da sroveteria do Cine João XXIII) e a´pos sua morte ficou na mão do seu irmão e filho. Lembraram da Gely no Macapá Hotel; da casa de sopa do ´VovÔ´ onde era o escritório do despachante (de navio) Sr. Paulo Negrão (*) ao lado da Casa Libia; do Gato Azul; dentre outros que lembro mas não sei explicar… abraço.

  • Na divisão entre boites e bares(sinonimo de boteco).A boite juçarão,era de elite.Para completar o passeio etilico do Tadeu Pelaes,vai o corujão,na avenida Henrique Galúcio,bar santa maria,bar estrela,royal,urca bar,furna da onça,bar do jonas,bar e sorveria santa helena,hoje sorveteria,todos na avenida feliciano coelho.Status drinks,quente frio,zero grau samambaia,bar e sorveteria do abel,perto do xodó,balaio

  • Não sou do tempo do Tadeu (rss, rss…), mas conheci a maioria desses lugares. Faltou citar a lendária Star Club, com seus três ambientes, grande novidade naquela época.

  • Para os lados do Pacoval tinha o Sete Portas, Boate da Jurema, Zanini e a famosa Suerda. Hoje a sra. Suerda e seu filho Sean, moram no Lontra onde possuem um pequeno restaurante na beira do rio.

  • Faltou aquele bar em que rolava muita MPB e que ficava no Santa Rita, ali na esquina da Cora de Carvalho com a Professor Tostes, cuja proprietária sempre cantava Ronda: “de noite, eu rondo a cidade, a te procurar, sem lhe encontrar…”. A star clube copiava um modelo que fazia sucesso no gemini drive-in em Belém (com vários ambientes) e a Casa da Música Popular Brasileira (onde hoje funciona a Antena 1) alí no Araxá, era o máximo…ha tempo bom! como me dei bem por lá…

  • Você não postou meu comentário por quê?
    a)Yashá acusou de troll
    b)Keke e Brasil não iam a puteiro
    c)estréia sexual precoce e magnífica
    d)parágrafo “d” não permitido no blog
    e)a puta preta só falava patuá
    f)o Merengue não era “muito bom”

  • Oi alcilene,
    Meu amigo Tadeu Pelaes sabe tudo,mas ainda esqueceu do Celeiro, onde rolava MPB da melhor qualidade, Prato da Barro e no Araxá funcionava as terças, quintas e domingos o bang bar, santarém e mormaço. Duvido que um bom boemio não tenha passado por lá. Muitas vezes encontrei juizes, politicos,empresários, gente fina… todos claro, disfarçadamente e alegres com o clima do local.
    um abraço.

  • Legal o post, Lennon, Celeiro, Prato de Barro, tinha um outro no começo da ladeira da General Rodom, esqueci o nome, ainda tinha o Balaio no trem… mais a juventude gostava mesmo de tertulha e praça Zagury, depois um bom sanduiche no Tom Marrom, e um esticada na Star Nigh Club… oh tempo bom!

    • Esquina da general Rondon c/Pe. Júlio tinha o Cana Café.
      Papos & Boatos na Tiradentes c/Iracema Carvão Nunes – antiga fábrica amapaense

  • Faltou, o bom Jusarão, Continental, B-77 (boate no Buritizal,) Bar “onde o vento faz a curva” esquina da Timbiras com Hildemar Maia, antes de implantarem o bairro do Muca, nosso Fundo de Quintal, Cavalo de Fogo, no santa Inês, Urca bar no Trem, Abaitelândia Bar, esquina da Jovino com 13 de setembro, depois de lembrar eu posto mais. Há, a maioria era frequentado pelo meu Pai, quando as vezes, raramente e claro, ele me levava (Jeconias)

  • Tinha o bar do Luis Strong na Favela, o merengue também do Luiz Strong, o Vico que ficava atrás do Hospital São camilo e o Sobrado que ficava perto do Cemiterio de São Jorge

  • Bar e Restsurante O Planalto… ficava ali na Av Aimores de canto com a Hildemar Maia( hoje Loja extintores)… 0 dono era seu Furtado… era taxista na Praça de Macapá…. me lembro que as atrações de cantores eram divulgadas na TV Amapá na época… muito bom O Planalto.

  • Bar e Restaurante O Planalto… Era muito bom…ficava ali na Av Aimores de canto com a Hildemar Maia… no Buritizal

  • O dono do bar era seu Furtado… que também era taxista da praça… muito bom relembrar o Bar e Restaurante O Planalto… As atrações/cantores era divulgada na TV Amapá BA época…

  • Esquina da general Rondon c/Pe. Júlio tinha o Cana Café.
    Papos & Boatos na Tiradentes c/Iracema Carvão Nunes – antiga fábrica amapaense

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *