“Eu começo a sonhar, a projetar o futuro e não faço isso sozinho. Faço isso com a matéria-prima da política, que é vida das pessoas”, disse Clécio Luis no programa Togas & Becas

O ex-prefeito de Macapá, Clécio Luis, concedeu entrevista ao programa “Togas & Becas”, na rádio Diário FM, neste sábado, 08.05. A entrevista ocupou o noticiário e “quebrou a internet” do Amapá, o dia inteiro.

Ao programa, Clécio confirmou que é candidato ao governo do Amapá, ano que vem (2022).

E conforme adiantou este blog, Clécio declarou que vai fixar moradia em regiões do estado, para se aprofundar em dificuldades e construir soluções de empregos e alternativas para desenvolvimento, de acordo com a vocação econômica de cada município do Amapá.

Entre outras coisas, Clécio Luis afirmou que:

“Eu começo a sonhar, a projetar o futuro e não faço isso sozinho, faço isso com a matéria-prima da política que é vida das pessoas, são as pessoas”

“Eu não vou abandonar, nem rasgar a minha trajetória e história política, independente de onde eu esteja. Como prefeito, como governador, como alguém que está ocupando um cargo no executivo. O Estado, o povo, sempre estará acima de qualquer partido político”

Sobre morar no município de Santana neste mês, apesar de ser ao lado de Macapá.

“Eu não quero ir e voltar. Quero viver as dores e as delícias de Santana, vivenciar tudo isso. Quero acordar, ir na padaria,  tomar café em Santana. E sentir os problemas, conhecer as possibilidades, as pessoas e as histórias do município”

 

  • Eis um político que já provou que, também, é um gestor público. Possui experiência e sabe que política e gestão pública andam juntas porém separadas.

  • Primeiro Clécio precisa definir sua verdadeira identidade. Que Clécio teremos em 2022? O Clécio esquerdista que começou no PT, foi fiel escudeiro do João Capibaribe do PSB e o único Prefeito eleito em uma capital pelo PSOL? O Clécio que se reelegeu pela REDE fazendo acordos políticos com as velhas raposas da política Amapaense? Ou o Clécio que deixou toda a sua ideologia socialista de lado (distanciamento do aliado histórico Randolph) para se entregar de corpo e alma ao projeto político da família Alcolumbre? É bom lembrar que atualmente Clécio anda lado a lado com o governador Waldez! En

    Então, que Clécio teremos?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *