• Espero que o Profº Adalberto seja o vitorioso. Não basta crescer. Crescimento é coisa que se deve buscar com responsabilidade, com diálogo, com democracia. E, lamentavelmente, democracia e diálogo são coisas que o atual reitor não sabe fazer.

  • O Adalberto tem uma bonita história como professor, como pró-reitor, como amigo da Unifap. Ele tem a boa energia que precisamos neste momento da nossa história. Não queremos mais quatro anos de autoriatarismo, de escravidão, de trevas. Não, não, não queremos Filocreão como Vice, não queremos Chelálá como pro reitora.

  • até que enfim um candidato gente da nossa gente. Olha adalberto, vou torcer muuuuitooo por você. Que Deus te abençoe. Você será vitorioso.

  • Depois da derrota no Sindicato dos Policiais Civis,derrota na OAB e a próxima será a derrota na Unifap e assim vai se desfazendo a Harmonia.

    • É a mesma pessoa com vários nomes, com certeza.. Nao entendo por que nao coloca sua posiçao e assina. Universidade é onde a democracia deve ser plena.

      • concordo que “universidade é onde a democracia deve ser plena”. perseguidores se preocupam em saber quem são as pessoas q estão contra suas manobras. quem quer democracia procura ler, avaliar e entender porq as coisas estão “estranhas”. a UNIFAP precisa mudar isso é FATO.

        • Cara Alcilene, você não percebe que seria uma ação absurdamente perigosa se as pessoas se manifestassem com seus nomes? Você não acha que seria uma exposição desnecessária, neste momento, em razão dos posicionamentos partidários que parecem ser CONFLITUOSOS nesse cenário?
          Concordo com você que é no mínimo “estranho” essa atitude anônima, dentro de uma universidade onde a formação de cidadãos críticos acerca de seus direitos e deveres na sociedade e também no que diz respeito a não ter vergonha de expor suas idéias deveria ser meta primordial. Você ta do lado de fora, longe do fogo cruzado de idéias dissonantes.

          • Nao entendo não. Nem concordo. Na Universidade não sao todos concursados? professores, servidores, estudantes.. entao. Acho que o anonimato só serve para agredir desnecesssriamente, ao invés de colocar uma posiçao, uma opçao, no momento de eleiçoes democráticas. É o que penso

      • Ainda espero, torcendo para ver um dia, que as pessoas possam se mostrar de forma mais corajosa num espaço democrático. Na sessão do CONSU, no último dia 15, a sala do consu tornou-se um campo de batalha só pra votar as alterações e o regime paritário. Cenas de autoritarismo e manipulação eram visíveis. Este é o nosso povo, é a nossa Macapá.

      • Minha Caríssima Alcilene, são quase quatro anos de autoritarismo e desrespeitos. Que avanços são esses de autoria do Tavares? Os avanços que você fala são consequencias das lutas da comunidade acadêmica, não são méritos dele. Obrigado por você está contribuindo com o debate.

      • Alcilene, sei que você é uma pessoa sensível e te amamos muito pela sua competência profissional. Dizer NÃO a reeleição do Tavares é ser democrático e lúcido.

        MOÇÃO DE REPÚDIO

        A Diretoria do Sindicato dos Docentes da UNIFAP (SINDUFAP) vem manifestar seu repúdio à Profa. Cláudia Chelala, Pró-Reitora de Administração da UNIFAP, pela agressão verbal, rancorosa, desrespeitosa e autoritária dirigida ao Coordenador Geral do SINSTAUFAP na última reunião do CONSU. As agressões, de cunho pessoal, visaram desqualificar o Coordenador Geral do SINSTAUFAP, Hélcio Alcântara, eleito democraticamente por sua categoria. As palavras utilizadas pela Pró-Reitora não refletem o comportamento íntegro que o técnico-administrativo tem demonstrado como trabalhador e a frente da entidade sindical. Discursos de ataque moral ao representante de uma categoria tem uma tripla função: a) deslegitimar os que dissentem; b) atacar os movimentos sociais através de quem os representa legitimamente; e, c) silenciar as vozes dissonantes.

        Restringir, distanciar, silenciar os dissonantes, eis a postura da Pró-Reitora!!! E não é de hoje. Em 2007 a Pró-Reitora buscou na justiça, por meio de liminar, impedir que diretores do SINDUFAP fizessem manifestações, usassem carro de som ou mesmo abordassem os professores da UNIFAP. Os representantes dos docentes não poderiam falar com os docentes, eis a democracia defendida pela Pró-Reitora. A proposta é tão absurda que a liminar e a “democracia” que ela defende foram derrubadas em seguida.

        O companheiro Hélcio é um profissional competente, dono de um comportamento irretocável e que tem a postura de não silenciar, atuando na defesa daqueles aos quais foi eleito para representar. Ao longo do seu mandato tem se manifestado com muita seriedade e serenidade e é um grande combatente pela transformação da Universidade e pelos direitos dos trabalhadores.

        A livre expressão de idéias é legítima, quando verdadeira e respeitosa, independente de agradar ou não a administração vigente. Respeito e autonomia frente a administrações superiores são princípios que perpassam a atuação do SINSTAUFAP e do SINDUFAP. Diferente dos movimentos sociais que atuam no corpo da UNIFAP, a Pró-Reitora, entretanto, rompeu com esses critérios e agride diretamente uma pessoa cuja voz representa uma categoria.

        Galileu Galilei dizia frente à Inquisição que o mundo se movia. Era rancoroso, inimigo da fé e dos poderes. Ele estava certo, os poderes estavam errados.

        Pela Democratização da UNIFAP!

        DIRETORIA DO SINDUFAP

        Ensino Público e Gratuito: Direito de Todos, Dever do Estado.

      • O Tavares não concorreria a reeleição da Reitoria. Ele estava pleiteando uma vaga no SENADO FEDERAL. Então, como não deu certo a aliança política, ele optou usar a reeleição para reitor da UNIFAP como forma de se preparar para a proxíma candidatura ao SENADO. Isso é um NOJO. Você precisa ficar do nosso lado. O lado dademocracia e daqueles que sofreram durante quatro anos.

  • O Adalberto representa o atigo grupo que comandava a unifap, do tempo que era conhecida como UNIFRAUDE, onde as coisas andavam “assim devagar”, até o terreno da frente deixaram invadir, nada de novos cursos, onde quem dava as cartas era o Paulo Guerra (leia-se Gilvan e Sarney) e a FUNDAP brincava com o dinheiro público. Cursos a beira de fechar, técnicos desprestigiados, falta de estrutura. Não vamos confundir a eleição do Tavares com o grupo da harmonia que comanda o estado.

  • Qndo da chegada do Prof.Dr.Tavares na unifap achamos q seria um ótimo nome pra alavancar a estaguinação em q se encontrava a instituição. O povo de Biologia e aqueles q militavam por mudanças encamparam a luta. Mas qr conhecer o ser humano dee poder nas mãos dele. É um Reitor autoritário, pois qndo do esgotamento de argumentos se utiliza do poder, desrespeitoso para com os colegas e alunos..( Eu sou o Reitor e f…!)vixi excelente. Fez pela Unifap? Fez! lutou pelo curso de seu interesse(Farmácia)e Medicina por ser projeto dos Zulhudos ou vcs acham q na lista triplice d qm foi a “Mão”? Prof. Dr. Tavares não tem e nunca terá o apoio dos acadêmicos e funcionários, tem de alguns professores. Mas como a decisão é politica e nisso os zulhudos são Doutores. seja qm for, q dispute com o atual Reitor perderá. E eu aposto com qm quizer q ele será reconduzido ao cargo.!!!e não vai ser por “competência”.

  • Vamos votar no Tavares. Tavares é a solução. Tavares é o crescimento, o desenvolvimento com DEMOCRACIA.hushhuehs

  • Enquanto a ralé fica perdendo tempo nessa discussão do REPIQUETE, vou lançar meu próximo livro. Pobre é triste..

  • Como aluno da pós-graduação do PPGDAPP digo o seguinte:
    1) Esse Tavares é um oportunista que só pensa “naquilo”…
    2) A UNIFAP, embora tenha avançado em alguns aspectos, ainda não adquiriu perante a sociedade o prestígo que deveria ter. Cursos imporantantes, como o de Direito, abandonados e sem infraestrurura.
    3) Voto ADALBERTO!!!!

    • Caro “Paladino da Justiça” e demais,

      Visito o blog da Alcinéia periodicamente em busca de notícias livres, aquelas que não são noticiadas na imprensa oficiosa dos meios de comunicação tradicionais.

      Mas fiquei surpreso ao ver este espaço sendo utilizado com o nível jogado ao rés do chão por aqueles que insistem em destratar o prof. Tavares. É óbvio que foi apropriado por pichadores digitais

      Primeiramente, meu caro, que se refere a si mesmo como “Paladino da Justiça”, eu duvido muito que você seja aluno de Mestrado em Direito Ambiental e Políticas Públicas da UNIFAP. O mesmo vale para a maioria que destrata e não assina o próprio nome.

      Não dá para considerarmos como válidas quaisquer opiniões que venham de pichadores, porque o único objetivo destes é, desculpem-me a utilização do vocábulo populesco, “jogar merda no ventilador”.

      E não me venham com a história de perseguição, porque se vocês comprovarem pelo menos um caso de que está havendo perseguição a docente, técnico ou aluno na UNIFAP eu voltarei aqui para retratar-me.

      E eu conheço o prof. Tavares desde quando ele entrou na UNIFAP, e o vi começar suas pesquisas e experimentos em cima de duas mesas de carteiras de sala de aula cobertas com folhas de jornal, e se hoje ele tem uma enorme estrutura a sua disposição é porque ele construiu isto, não caiu nada do céu. O mesmo vale para toda a UNIFAP.

      E eu posso provar o que afirmo.

      Quem tem competência trabalha com o que tem. Quem não tem, pode receber um bilhão de dólares e todo o equipamento do mundo que não vai produzir nada. Vai sempre esconder sua incompetência atrás da esfarrapada desculpa de que faltou apoio à pesquisa. E, se receber apoio, inventa outra desculpa.

      Quando o prof. Tavares assumiu, a UNIFAP estava sim a beira da falência (se isso fosse possível para um órgão público), desmoralizada, humilhada e sem perspectiva de futuro.

      Hoje a história é outra e basta vir aqui e olhar para ver e crer. Obviamente isto não é só fruto do trabalho do prof. Tavares. Todo mundo que resolveu arregaçar as mangas para tirar a UNIFAP da lama está de parabéns. Do PhD ao auxiliar de serviços, todos que resolveram trabalhar estão de parabéns. Mas se não fosse a figura central do prof. Tavares, pesquisador reconhecido internacionalmente e respeitado politicamente não teríamos chegado a tanto.

      É claro que o prof. Tavares não é santo. Em política, administração pública de alto escalão e qualquer outro espaço onde se dispute o poder, santos não vingam. Digamos que acho que ele não seja lá muito maleável no trato com as pessoas, mas isto não faz dele um déspota. Um déspota não deixa ninguém falar. O prof. Tavares pode até gritar com quem fale, mas deixa falar. Falta ao outro também saber gritar. Isto é democracia. O embate dos contrários. E na UNIFAP não tem faltado este espaço.

      Se o prof. Tavares não é chegado a abraçar velhinhas e beijar criancinhas, tudo bem, o importante é que ele administre bem a UNIFAP. A história tem nos provado que os políticos populistas e simpáticos são sempre grandes mentirosos e, como já havia nos alertado o barão de Montesquieu, quem muito fala, pouco pensa.

      Abraços a todos,

      Walter Silveira – PROEAC/UNIFAP

  • É Alcilene,com a posse do professor tavares, a Unifap teve muitos avanços:teve bolo,balões,refrigerantes,foguetório e nada mais.

  • Creio que o momento seja de debates, mas levantar “picuinhas” nao vai ajudar fazea UNIFAP crescer. Ninguém é unanime, portanto, claro que existe uma rejeiçao ao professor Tavares. Que seja debatido o crescimento da instituicao, que diga-se de passagem, deu um salto em infraestrutura, de pessoal e de cursos nos últimos anos. Entao agora é o momento de decidir em dar continuidade ao seu projeto ou de devolver o “poder” aqueles que já foram os lideres da instituicao.
    Nao podemos fazer da eleiçao uma guerra baixa, porque no final das contas, todos os técnicos e professores sao amigos de trabalho.

    • José Alípio, eu concordo com você. O Profº Tavares é um GRANDE reitor. Ele implantou o curso de medicina porque era interesse dele. Ele implantou o curso de ciências ambientais(construiu um prédio) para atender interesses da sua pró-reitora. Ele construiu um prédio pra ciências sociais para atender interesse de sua pró-reitora. Ele implantou o curso de engenharia elétrica porque é meta do REUNI – Reestruturação e Expansão das Universidades Federais, que foi tão criticada pela “comunidade unifapiana”, e agora é mérito…
      Para os outros cursos sobrou a “migalha”.
      O prédio das Coordenações dos cursos foi “sucateado”, aliás, mostra bem o descaso dessa administração pelo ensino de graduação.
      A estrutura administrativa dos cursos de graduação continua funcionando de forma precária sem seus departamentos ou institutos.
      Meu Caro, pense muito. Não basta gostar de trabalhar. Você precisa ser respeitado como trabalhador, como gente, como ser humano. Na última reunião do consu a pró reitora acusou o presidente do seu Sindicato de “adulterar documentos(ATA)”, isso é DESRESPEITO com sua categoria inteira.

  • Bem, eu que estou na unifap há tempo, e que passei por todos os reitores que a unifap já teve, não posso deixar de me manifestar sobre os comentários dos visitantes abaixo, que estão sobre influencia de conversas de corredores sem nenhuma base de conhecimento. Posso dizer que a unifap ganhou e muito com a entrada do Prof. Tavares na instituição, e não só a unifap, mas o Estado do Amapá. Talvez a arrogância que o candidato opositor está tentando emplacar sobre a sua pessoa, deve-se a sua alta competência acadêmica-cientifica, e sua força de vontade, que quando diz que vai fazer, faz mesmo, pode aparecer o que aparecer contra, mas ele realiza e, é isso que caracteriza os grandes vencedores:
    a) Quem é Prof. Adalberto? ex-pro-reitor de graduação da gestão Brazão, que deixou os cursos de graduação da unifap todos irregulares, inclusive o curso de direito a ponto de fechar pela OAB-Nacional, e quem resolveu a situação? Gestão Tavares;
    b) O visitante que fala que é aluno do PPGDAPP, posso dizer sem medo de ser feliz, só és aluno hoje de mestrado da unifap, pelo fato de ser o Reitor o Prof. Tavares, se não, poderia ser sim aluno de mestrado, mas de outra instituição. Com exceção do mestrado em desenvolvimento regional, todos os outros foram criados tendo o Prof. Tavares como Pro-reitor de pesquisa e pós-graduação. Então, não caia nas falácias do candidato opositor;
    c) Para o aluno da biologia. Você acha que tendo o curso de biologia, como o curso mais produtivo cientificamente da unifap, os professores irão votar numa pessoa que se quer sabe o que é publicar um artigo indexado? A biologia ganhou sim, veja os laboratórios que estão em construção;
    d) O prof. Tavares acabou com acordos existentes de cargos na unifap, inclusive com parentes de deputados sem vinculo com a instituição. Ele mandou embora. Portanto, vejo que sua relação com a bancada do estado em Brasilia é profissional, e se não fosse isso, não teríamos os novos prédios, inclusive o RU que esta em obras. Se engana quem diz que o recurso veio do MEC, e que iria acontecer de qualquer jeito. Coitado de nós se o opositor for eleito. Qual a sua relação extra-institucional nos meios acadêmico-cientificos?
    Não quero falar por esse grande professor. Mas está claro, um resultado dando vitoria ao seu opositor, Adalberto, seria um caos para a unifap. Pode-se dizer, é a volta da UNIFRAUDE, UNIFACIL e outras uni…… que já existiram no passado, e ele participou. Pensem bem, conheçam a estória da unifap e deixem de demagogia.

    • Tenho “pena” desses dois candidatos corajosos. Vocês apresentam os defeitos de um e de outro, mas ninguém propõe metas de crescimento da Unifap. Afinal, o que a Unifap precisa pra ser melhor. A teoria crítica diz que só podemos melhorar quando olhamos o mundo criticamente. Por exemplo, poderiamos refletir na direção seguinte:
      1. “COMO A UNIFAP PODERIA SER E NÃO È?”
      2. Poderiamos ter os cursos de graduação bem estruturados física, administrativa e pedagógicamente. MAS, POR QUE OS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA UNIFAP APRESENTAM DEFICIÊNCIAS?
      3. A UNIFAP poderia ter um Centro de Vievências com banheiros limpos, livraria, lanchonete etc…MAS, POR QUE O CENTRO DE VIVÊNCIA É TÃO MAL TRATADO?
      4. A UNIFAP poderia ter espaços com bancos, pracinhas e locais que permitam uma leitura, um descanso saudável entre uma aula e outra. MAS, POR QUE A UNIFAP NÃO TEM BANCOS, NÂO TEM PRAÇAS, NEM LUGARES QUE PERMITAM UM DESCANSO SAUDÁVEL?
      5. O Prédio das Coordenações deveriam ter banheiros limpos, bibliotecas setoriais, sala pra professores com mesas e computadores pra pesquisas docentes. MAS, POR QUE O PRÉDIO DAS COORDENAÇÕES NÃO POSSUEM BANHEIROS LIMPOS, BIBLIOTECAS SETORIAIS, SALA PRA PROFESSORES COM MESAS E COMPUTADORES PARA PESQUISAS DOCENTES?
      6. TODOS OS PESQUISADORES DA UNIFAP DEVERIAM SER TRATADO COM RESPEITO, BEM COMO SEUS BOLSISTAS, COM SALAS DE PESQUISA, MESMO QUE FOSSEM SALAS DE USO COLETIVO. Mas, por que os pesquisadores da UNIFAP NÃO SÃO TRATADOS COM RESPEITO, NEM SEUS BOLSISTAS, E NEM TEM SALAS DE PESQUISA, MESMO QUE DE USO COLETIVO?
      7. Os docentes da UNIFAP deveriam ser estimulados a produzirem trabalhos “indexados”, a aprticiparem de eventos ciêntificos. MAS, POR QUE OS DOCENTES NÃO ESTIMULADOS E NUNCA POSSUEM NENHUM APOIO A PARTICIPAR DE EVENTOS CIENTIFICOS?
      8. O auditório multiuso da UNIFAP deveria ter os equipamentos necessários para um bom funcionamento. MAS, POR QUE O AUDITÓRIO MULTIUSO NÃO POSSUI EQUIPAMENTOS NECESSÁRIOS PARA O SEU BOM FUNCIONAMENTO.

      VAMOS PENSAR CRITICAMENTE E AJUDAR OS NOSSOS CANDIDATOS A ELABORAREM OTIMAS PROPOSTAS PARA GESTÃO 2010-2014.

      ASSIM NÃO DÁ, ASSIM NÃO PODE.

  • Todos fazendo um lindo discurso aqui…
    Muito bem… vamos contar… biologia tem 8 laboratorios…
    interessante… meu curso nenhum… alias ele é depoisito velho! cheio de talhas velhas! e as coordenações… quando é que vai ter uma reforma que preste….estruturalmente a unifap cresceu.. mais nao democraticamente… é pecado constantemente pensar que tavares vai ser democratico, participativo e integrado… temos que ter um olhar.. ele fez sim coisas boas… mais nao foi DEMOCRÁTICO! SE FOSSE teria pensando de todas as formas e ter olhados os outros cursos…e visto sim a necessidade de todos… tudo é sujo.. banheiro, salas de aulas, e muito mais…
    Temos quer ter mudança… é triste não poder ir no encontro nacioonal do meu curso… pois nao sou de biologia.. eles sim podem ter o que quizerem.. pois lhe convem o reitor… vcs acham… que tudo é negado para nosso curso…nunca tivemos o privilegio de termos um onibus da unifap.. para viajarmos…nunca mesmo… como eu disse somos discriminados… UNIFAP PRECISA DE MUDANÇA…o q esta na atual na gestão..nunca foi participativo…

    • NOTA DE APOIO A DIRETORIA DO SINDICATO DOS TÉCNICO-ADMINISTRATIVOS DA UNIFAP – SINSTAUFAP E, EM ESPECIAL, AO SEU COORDENADOR GERAL, HÉLCIO ALCÂNTARA.

      O CAMPO CONTRAPONTO e todo o movimento estudantil da UNIFAP, historicamente, têm lutado em conjunto com as entidades representativas dos Técnicos e dos Docentes – SINSTAUFAP e SINDUFAP – pela democracia na Universidade e por respeito aos anseios dos segmentos que a compõem.

      Em defesa dos movimentos sociais que tomem por base esses princípios, não poderíamos deixar de nos posicionar diante da denúncia de coação sofrida pelo companheiro Hélcio Alcântara, Coord. Geral do SINSTAUFAP, nas dependências da Reitoria desta Universidade, por representantes da administração superior desta IFES.

      Contextualizando, com o advento do processo de escolha do novo Reitor, a diretoria do SINSTAUFAP, bem como as entidades representativas dos segmentos estudantil e docente, realizou a consulta de sua categoria para se posicionar perante o Conselho Superior da UNIFAP – CONSU quanto ao regime de votação que seria adotado. Os movimentos sociais sempre buscaram conscientizar e defender o método mais democrático e igualitário para toda a Comunidade Acadêmica.

      Porém, devido ao posicionamento do SINSTAUFAP – assim como do SINDUFAP e do Movimento Estudantil – ter rechaçado e se oposto à proposta antidemocrática e oportunista oferecida pela administração superior desta Universidade, Hélcio Alcântara foi coagido e assediado moralmente nas dependências da Pró-Reitoria de Administração e Planejamento desta IFES, pela sua titular, a Pró-Reitora Cláudia Chelala, e mais alguns técnicos detentores de cargos de alta hierarquia, a fim de que fosse convocada outra Assembleia Geral para mudar o posicionamento contrário à proposta desta Reitoria, o que foi alcançado nesta nova Assembleia Geral, após sucessivas tentativas de desmoralização e humilhação ao Coordenador Geral do SINSTAUFAP.

      Fica claro que tal fato é uma atitude que visa calar lideranças sindicais que se opõem a falta de democracia encontrada na nossa Universidade. ASSÉDIO MORAL, ALÉM DE IMORAL, É CRIME!

      O CONTRAPONTO se solidariza e oferece total apoio a coragem e ousadia do Coordenador Geral e da Diretoria do SINSTAUFAP, à luta pela democracia e repudia atos tiranos que tentam calar os anseios da Comunidade Acadêmica e da sociedade!

      Macapá-AP, março de 2010.

      “O agressor não é aquele que se revolta! Mas sim o que reprime” (Maio 68)

  • O Reitor da UNIFAP, candidato a reeleição de reitot 2010-2014, mostrou o seu talento democrático, a sua delicadeza, o seu cavalheirismo apontando o dedo para a candidata a vice-reitoria Dra. Rosilda. Tá louco…não voto nesse senhor nem que fosse obrigado…Mal Educado!!!!

    • Maria, ele é muito mal educado mesmo…ele grita, não aceita opiniões, e não permite que o outro se justifique. Imagina o Tvares como nosso representante no Senadp Federal. è o fim do Amapá. Ou ele muda, ou sai fora seu grosso.

      • hausheus e ele ainda se acha o garotinho…acha que vai conquistar o nosso voto com aquelas cantadinhas, tipo mulheres carentes

      • Como assim? hehe O reitor é mal educado…vixe!que horror! eu pensei que só a pró reitora dele era “casca-grossa”…tô fora!

  • Caro “Paladino da Justiça” e demais,

    Visito o blog da Alcinéia periodicamente em busca de notícias livres, aquelas que não são noticiadas na imprensa oficiosa dos meios de comunicação tradicionais.

    Mas fiquei surpreso ao ver este espaço sendo utilizado com o nível jogado ao rés do chão por aqueles que insistem em destratar o prof. Tavares. É óbvio que foi apropriado por pichadores digitais.

    Primeiramente, meu caro, que se refere a si mesmo como “Paladino da Justiça”, eu duvido muito que você seja aluno de Mestrado em Direito Ambiental e Políticas Públicas da UNIFAP. O mesmo vale para a maioria que destrata e não assina o próprio nome.

    Não dá para considerarmos como válidas quaisquer opiniões que venham de pichadores, porque o único objetivo destes é, desculpem-me a utilização do vocábulo populesco, “jogar merda no ventilador”.

    E não me venham com a história de perseguição, porque se vocês comprovarem pelo menos um caso de que está havendo perseguição a docente, técnico ou aluno na UNIFAP eu voltarei aqui para retratar-me.

    E eu conheço o prof. Tavares desde quando ele entrou na UNIFAP, e o vi começar suas pesquisas e experimentos em cima de duas mesas de carteiras de sala de aula cobertas com folhas de jornal, e se hoje ele tem uma enorme estrutura a sua disposição é porque ele construiu isto, não caiu nada do céu. O mesmo vale para toda a UNIFAP.

    E eu posso provar o que afirmo.

    Quem tem competência trabalha com o que tem. Quem não tem, pode receber um bilhão de dólares e todo o equipamento do mundo que não vai produzir nada. Vai sempre esconder sua incompetência atrás da esfarrapada desculpa de que faltou apoio à pesquisa. E, se receber mais apoio, inventa outra desculpa.

    Quando o prof. Tavares assumiu, a UNIFAP estava sim a beira da falência (se isso fosse possível para um órgão público), desmoralizada, humilhada e sem perspectiva de futuro.

    Hoje a história é outra e basta vir aqui e olhar para ver e crer. Obviamente isto não é só fruto do trabalho do prof. Tavares. Todo mundo que resolveu arregaçar as mangas para tirar a UNIFAP da lama está de parabéns. Do PhD ao auxiliar de serviços, todos que resolveram trabalhar estão de parabéns. Mas se não fosse a figura central do prof. Tavares, pesquisador reconhecido internacionalmente e respeitado politicamente não teríamos chegado a tanto.

    É claro que o prof. Tavares não é santo. Em política, administração pública de alto escalão e qualquer outro espaço onde se dispute o poder, santos não vingam. Digamos que acho que ele não seja lá muito maleável no trato com as pessoas, mas isto não faz dele um déspota. Um déspota não deixa ninguém falar. O prof. Tavares pode até gritar com quem fale, mas deixa falar. Falta ao outro também saber gritar. Isto é democracia. O embate dos contrários. E na UNIFAP não tem faltado este espaço.

    Se o prof. Tavares não é chegado a abraçar velhinhas e beijar criancinhas, tudo bem, o importante é que ele administre bem a UNIFAP. A história tem nos provado que os políticos populistas e simpáticos são sempre grandes mentirosos e, como já havia nos alertado o barão de Montesquieu, quem muito fala, pouco pensa.

    Abraços a todos,

    Walter Silveira – PROEAC/UNIFAP

  • FORA TAVARES

    DEMOCRÁCIA JÁ

    POR UNIFAP IGUAL PARA TODOS!

    ADALBERTO PARA REITOR!!

    AH VENTILADOR AINDA NAO CAIU…O OUTRO DO LADO JA PAROU

    E AR NEM PRESTA… TEMOS QUE ARRANCAR UMA FOLHA DO CADERNO PARA PODER SE ABANAR!

    O TAVARES É MENTIROSO!

    FORA
    FORA
    FORA
    FORA
    FORA
    FORA
    FORA
    FORA
    FORA
    FORA
    FORA
    FORA
    FORA!

    SÓ PEDIMOS DEMOCRÁCIA!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *