ENERGIA PRA QUEM, CARA PÁLIDA?

Por Lourival Freitas

“O Amapá não tem, hoje, energia suficiente para alavancarmos, por exemplo, um parque industrial, que requer uma quantidade significativa de energia. Tenho certeza de que esta usina vai nos tirar do isolamento, até porque, com a vinda do Linhão de Tucuruí e mais a construção da UHE Santo Antonio, em Laranjal do Jarí, o Estado do Amapá ficará auto-suficiente em energia elétrica, podendo até exportar. Estamos ansiosos aguardando a empresa vencedora que deverá começar a montar seu canteiro de obras e a contratar da mão-de-obra ainda no segundo semestre deste ano”, anima-se. As audiências públicas, que discutiram o Aproveitamento Hidrelétrico de Ferreira Gomes, aconteceram nos municípios de Ferreira Gomes, Porto Grande e Macapá, nos dias 24, 25 e 26 do mês de fevereiro, respectivamente.

Surpreendentes as palavras do secretário Antonio Carlos Farias publicadas em matéria do Diário do Amapá( 28/06/2010) a respeito do leilão para construção e concessão da Hidrelétrica de Ferreira Gomes.

O secretário demonstra total desconhecimento das normas que regulamentam o setor elétrico brasileiro.

Como muito bem explicado pelo engenheiro Adeilton B. Leite em recente artigo intitulado “2012 – O FIM DO AMAPÁ” , o Amapá não se beneficiará da energia gerada pela Hidrelétrica de Ferreira Gomes nem de qualquer outra construída no nosso Estado. Nem mesmo o tão falado linhão de Tucurui nos tirará do isolamento como ingenuamente anunciou o incauto secretário.

O resultado do leilão que será realizado amanhã (30/07/2010) mostrará as empresas vencedoras que construirão as Hidrelétricas e as empresas distribuidoras ou comercializadoras de energia que comprarão a energia produzida.

Certamente entre as empresas vencedoras não estará a nossa gloriosa e inadimplente Companhia de Eletricidade do Amapá, que pelas regras do modelo vigente do Setor Elétrico Brasileiro, muito bem expostas pelo engenheiro Adeilton, não pode participar do referido leilão.

Ressalta-se mais uma vez a necessidade de que a CEA seja imediatamente federalizada, ou do contrário, será o fim do mundo termos um apagão em pleno século XXI.

Brasília, 29 de julho de 2010

Lourival do Carmo de Freitas

* Lourival é amapaense, Engenheiro Elétrico formado pelo ITA, Técnico de carreira da CEA, ex-deputado federal pelo PT e assessor da Eletrobrás.

  • Caro Lourival Freitas,
    ao meu ver, o estado do Amapá, vive numa profunda letargia de desenvolvimento causado pela falta do reoordenamento dos berços portuários do Porto Organizado de Macapá, em Santana; conforme a portaria nº 71/2000 do Ministério dos Transportes.
    A estrutura atual do setor portuário tem como marco a promulgação e implementação da Lei n° 8.630 de 25.02.93, denominada de Lei de Modernização dos Portos, que substituiu a visão sistêmica e o planejamento centralizado pela atuação concorrencial entre portos em âmbito nacional.
    A nova legislação incentivou a transferência
    de todas as atividades associadas à exploração comercial de áreas e instalações portuárias, mediante contrato de arrendamento para o setor privado.
    A concorrência interportos e intraportos passou a ser estimulada, e abriu-se a possibilidade de terminais de uso privativo movimentarem cargas próprias e de terceiros,regendo-se exclusivamente pelas normas do direito privado, sem a participação ou a responsabilidade do poder público, que permaneceu apenas com a propriedade das instalações portuárias. O papel do governo federal consistiria, assim, em estabelecer a política do sub-setor portuário, o planejamento estratégico com visão de longo prazo e a regulação, envolvendo tanto aspectos econômicos (tarifas adequadas) como técnicos (padrões de segurança e de proteção ambiental).
    Os grandes portos do país como:
    Santos (o maior da América Latina), Paranaguá, Itajaí, Itaqui e outros operam dentro dessa lei.
    Então porque, Deputado, o Porto de Santana não segue essa mesma política?
    Enquanto o porto de Santana se mantiver nessa política do atrazo, a Amazônia Oriental em relação ao seu desenvolvimento econômico, continuará a ver navios…
    Isso é de sua responsabilidade, Deputado…

  • Existe um falso dilema nesse debate. O aumento de disponibilidade de geração de energia no Amapá não pode ficar condicionada ao futuro da CEA.

    • Concordo com você. Mas se não resolvermos o problema da CEA, toda a energia gerada no Amapá servirá para o Brasil inteiro menos para os consumidores do Amapá.

  • Caro Modigliani,
    Infelizmente não entendo muito de Portos.A responsabilidade acredito ser de todos nós, mas não tenho mandato nem competência legal para decidir sobre este assunto. Com a palavra a Prefeitura de Santana e a Companhia Docas de Santana.

    • Sei perfeitamente que V.Senhoria, não entende nada sobre portos.
      Mas, a indicação do atual Presidente da Companhia Docas de Santana – CDSA, o Dr. Adeilton Barbosa Leite, veio de V. Senhoria.Ou não veio Deputado…

  • Caro Modigliani:

    Pelo visto você é especialista em legislação portuária mas, infelizmente, pouco entende sobre as causas do subdesenvolvimento do Amapá e nada sabe sobre o Porto de Santana, o qual orgulhosamente presido.
    O Porto Organizado de Macapá (Porto de Santana)administrado pela Companhia Docas de Santana foi responsável pelo escoamento de 75% das importações e 87% das exportações do estado do Amapá em 2009.
    Note-se que a balança comercial (exportações + importações) somaram 190 milhões de dólares naquele ano.
    Em 2005, ano em que assumimos o comando da companhia, pelo porto passaram 50% das importações e 61% das exportações do estado que somaram 78 milhões de dólares à época.
    Portanto no período 2005/2009 o porto aumentou significativamente seu grau de importância na viabilidade logística do comércio internacional. Isto sem que fosse preciso o poder público injetar um mísero centavo em suas contas.
    Em valores absolutos o porto movimentou aproximadamente 1,5 milhões de toneladas de mercadorias em 2005 quando operamos 53 navios, saltando para 3,6 milhões de toneladas em 2009 com 85 navios operados.
    Para melhor dimensionar estes números basta dizer que, em 2009, comparando o principal indicador que ranqueia os portos brasileiros, superamos em toneladas movimentadas os portos de Fortaleza (3,5 milhõoes); Natal (3,1 milhões); Belém (2,9 milhões); Porto Velho (2,3 milhões) e Recife (1,8 milhões).
    É bom frisar que mesmo com este incremento fantástico na movimentação de carga os navios que se dirigiram ao porto não perderam tempo fundeados ao largo esperando espaço para atracação, como aliás é corriqueiro nos portos citados em seu comentário (alguns chegam a ficar fundeados por até 20 dias aguardando vaga nos cais).
    Isto põe por terra a sua teoria de que “falta reordenamento dos berços portuários do Porto Organizado de Macapá”.
    No tocante a Lei de Modernização dos Portos (lei 8.630) vimos cumprindo a risca o que ela preconiza. É tanto que se encontra em nosso site (www.docasdesantana.com.br)para consulta o Plano de Desenvolvimento e Zoneamento Econômico do Porto – PDZ, recentemente atualizado, e o Programa de Arrendamento de Áreas-PROAR, instrumentos que orientam os investidores interessados em arrendar áreas no porto para explorar seu negócio. Caso seja seu caso, por favor, habilite-se.
    A propósito, no mesmo site no link Notícias, abrimos cadastramento para empresas de engenharia consultiva participar de processo licitatório para a confecção de Estudos de Viabilidade Técnica e Econômica – EVTE, para fins de arrendamento.
    Quanto a concorrência “interportos” vou lhe dar uma notícia em primeira mão. Este mês a Transpetro iniciou suas operações de transbordo de derivados de petróleo pelo nosso porto pois transferiu sua base instalada no porto de Miramar em Belém para cá. Só esta operação proporcionará a atracação de 64 navios/ano conforme previsão inicial.
    E tem mais, em 2010 a previsão é que movimentemos mais de 5 milhões de toneladas e em 2011 mais de 6 milhões. Nenhum porto no Brasil tem crescido desta forma.
    Portanto meu caro Modigliani redirecione suas baterias para outro alvo pois, ao contrário do que você imagina, o Porto de Santana é fator decisivo para o desenvolvimento estadual e regional.
    Aproveito o ensejo para convidá-lo a conhecer in loco os demais avanços obtidos e a forma como atuamos.
    J. Adeilton B. Leite
    Presidente da CDSA

      • Nessa vc se deu mal, mas vou dar uma lidinha pela net e ver como anda o Porto por meus próprio olhos e volta com informações imparciais para uma discusão mais técnica! Tenho dito… O AP cresceu a passos de tartaruta em relação ao Brasil! Isso é fato! Daí… Precisamos relacionar ou dar contra ponto em relação ao nosso Porto! No mais, discutimos em prol do Amapá! Boa campanha para todos!

        • Meu caro, certas informações que o Presidente da Companhia Docas de Santana, apresenta, contradiz com a realidade do porto.
          Um exemplo, é o Programa de arrendamento de Áreas – PROAR, instrumento que orienta os investidores interessados em arrendar áreas no porto para explorar seu negócio.O porto não possui berços portuários para esses investidores implantar seus terminais de carga. Em 1989 toda a área retroportuária e segundária foi invadida.
          Então, eu pergunto de que maneira a CDSA poderá instalar esses investidores no Porto Organizado de Macapá, em Santana. Se a estratégia dele, é levar esses investidores para a margem da ilha de Santana, não será possivel por causa do processo de colmatagem que é muito intenso.
          Colmatagem: operação de guiar águas ricas em detritos minerais e orgânicos para bacias ou planícies baixas e pantanosas.
          Resumindo, o Sr. Adeilton com suas ações, está sufocando as operações portuária. O porto de Santana foi projetado para operar com conteineres e não com outros tipos de carga. Por exemplo, minério, combustível,madeira, biomassa.
          Por sinal, o porto de Santana não oferece segurança nenhuma para os navios petroleiros da Transpetro nas operações de transbordo de combustíveis.
          Com a palavra o Presidente da CDSA.

        • Informação correta:
          O processo que ocorre na ilha de Santana, é de assoreamento e não de colmatagem.
          Assoreamento: obstrução, por areia ou por sedimentos quaisquer, de rio, canal ou estuário, geralmente em consequência de redução da correnteza.
          O prcesso de colmatagem ocorre no “Canal Sul”, na Baía de Guajará, em Belém do Pará.

  • Há um certo tempo o Amapá passou a ser gerido por oportunistas e incompetentes dá nisso. Já falei aqui. Eles montan data-shwo, servem quitutes, chamam alguns “jornalistas” do esquema e blá,blá,blá,blá. Como diz o Prof. Dr. Tostes é o fazejamento substituindo o planejamento. Estamos nas mãos de doutores da HARMONIA. Que Deus ilumine!

  • O Lourival deveria também escrever sobre o que ele fez como dep. federal e diretor da eletronorte para ajudar a CEA nos seus inúmeros problemas. Diz ai perseguidor dos 992 e 1.040.

    • japa,
      Caso você não saiba deputado federal e Diretor da Eletronorte não são responsáveis pela gestão da Companhia de Eletricidade do Amapá.A situação atual da companhia é fruto da gestão e da orientação do governo do Amapá. Portanto quem tem o dever de responder e resolver os inúmeros problemas da CEA é a diretoria da CEA e o acionista majoritário da empresa(governo do Amapá).Quanto aos 992 e 1050, repito, cobre de quem fez a lambança.Não queira me responsabilizar pela pilantragem, safadeza, calhordice, cafajestice e corrupção dos governantes que com certeza você conhece e apoia.

      • Isso mesmo. E os que entraram sem concurso, foram coniventes e sabiam que poderiam ser pegos. Os concursados, todos voltaram.

        • Concursado (PMM/GEA)!

          Tenho pena dos janeleiros, mas o Amapá precisa ver punição ao agentes públicos que fizeram essa lambança, como o Lourival disse, pois só os janeleiros estão pegando porrada por causa disso! Quem era o Governador na época??? E o Sercretario??? Esse povo tinha que ser responsabilizado´! E a Assembléia tava dormindo??? E o MP tava onde???

          Isso que dá existir turma de harmonia tortuoso! Existe uma diferença muito grande entre harmonia entre poderes e corrupção deslavada!

          Chega de impunidada! Cadeia para os agentes públicos irrespónsáveis!

          • As pessoas dessa lista deviam se preparar e prestar um concurso público. Nao acredito que essa situação seja resolvida. tem muita enganação de político. Conheço esse processo e nao há nada nele que prove que essas pessoas tinham vinculo com a união. Esse é o problema. A ação é do MPF.

        • Aos 21 anos de idade, em 1990, recém formada em Educação Física, fui para Macapá iniciar minha carreira profissional. Comecei na Escola Jardim Felicidade, contratada pela EMDESUR, num escritório atrás da SEAD, era lá que eu recebia meu contra cheque. Um dia um professor me perguntou se eu do Quadro Federal. Eu disse: que não. Ele disse que eu deveria levar meus documentos na SEAD, pois todos passariam para o Quadro. Assim fiz.
          E como num toque de mágica. virei federal.
          Ora, as responsabilidades desse episódio com certeza tem nome: Governador, Presidente, Secretario e Ministro de Administração.
          Nós meros brasileiros não somos responsáveis por isso. Somos vítimas.
          Pois poderia ser muito diferente minha história profissional.

  • É hilário o Lourival se achar o cara quando o tema é o setor enérgetico. Ele se diz funcionário de carreira da CEA e, dos gabinetes refrigerados em Brasília resolve formular a opinião tucuju. Será que não é hora de fazer o dever de casa ao invés de buscar uma boquinha pessoal no cangote do Lula? Ah! eu nào sabia que existia engenheiro elétrico. Srá que ele dá choque ou é eletricista o correto? Menos seu lourival, menos…

    • Eu não me acho o cara de coisa nenhuma. O que faço é apenas o meu dever de opinar e alertar para os graves problemas do Amapá. Quem tem que fazer o dever de casa é a diretoria da CEA e governo do Estado, administrnado com seriedade e competência um serviço essencial para o desenvolvimento do Nosso Estado. Trabalhar em gabinete refrigerado não é privilégio, mas uma necessidade para amenizar o calor.

  • Aproveite essa generosidade de “ajudar” a CEA e estenda para reparar o mal que fizestes aos 992 e 1040. Aproveite que está em Brasília e faça essa correção, não apenas terá o sono dos justos, como outros também dormiram com mais tranquilidade. Lembrando dos que já faleceram esperando retornar a folha federal, pessoas honestas e trabalhadoras, AMAPAENSES como você. Que descansem em paz e dêem graças para os que aqui ficaram, aturando essa cambada de vagabundos encostado que usam e abusam do poder e nada acontecem. Cordialmente seu admirador.
    ** Tenho que admirar um homem desses, sejamos honestos o cara ferrou a vida de uma galera e nem dói o coração.

    • Vc é dos 992 ou 1040? Vc foi concursado? Quem nao era concursado nao vai voltar. É conversa de politico pra enganar o eleitor. Aquilo foi uma ilegalidade que quando foi descoberta, deu no que só podia dar. Jogaram a conta na costa do Lourival. Mas o Barcellos cometeu a ilegalidade e quando vieram fiscalizar outras situaçoes descobriram. Conheço o assunto, pois soi concursada e fui uma das que colocaram na folha do governo federal. Mas meus direitos foram garantidos e voltei para o estado, pra onde prestei concurso.

    • Primeiro você é tão covarde que se esconde no anonimato. Tenho a consciência tranquila e nunca ferrei ninguem. Quanto aos 992, 1050, você está totalmente enganado ou mal intencionado. Como deputado federal eu nunca tive o poder de contratar e muito menos demitir nenhum funcionário público.O que houve foi uma tremenda irregularidade constatada pelo Ministério Público Federal e o TCU e com a qual eu não poderia concordar. Portanto, não queira me atribuir responsabilidade pela pilantragem,safadeza, cafajestice de quem que seja.Se estive tudo OK, a Justiça Federal já teria resolvido.

  • Está errado escrever a qualificação do Lourival como engenheiro elétrico, afinal ele não dá choque, apenas é especialista em eletricidade. O correto é engenheiro eletricista. Faço a reparação por entender que é construtiva. Mudando de assunto, tá na hora dos amarelos abrirem o olho senão o zolhudo ganha deles pro senado. Se conselho valer é preciso que a deputada Janete veja o partido como um todo em busca de objetivos comuns, pois ela tem sido grossaeira, mal educada e até intolerante com alguns militantes do PSB. Isso sem falar no que estão fazendo com o Dep. Ruy smith. Toda cautela pode ajudar, mas com rachas e divisionismos todos poderão perder. Depois que não culpem o fofo pela desafortunada derrota.

    • Ok obrigada. Quanto ao outro assunto, Janete já foi grosseira até comigo no twitter. Também nao concordo com o que fazem com o Ruy. Estou preocupada com Capi também..Waldez a Gilvan #eca

      • Esquente não, vc não errou! A ciência é ENGENHARIA ELÉTRICA, e o grau é de ENGENHEIRO ELETRICISTA. Vc apenas montou as coisas, provavelmente na rapidez da escrita, normal num blog. No mais, concordo com vc.

      • O que estão fazendo com o Ruy Smith? A Janete está sendo grosseira? Racha no PSB? Por quê? Estou por fora mesmo.

    • Alcilene,
      De fato eu não sou engenhenheiro eletricista.Cursei dois anos de engenharia civel na Universidade Federal do Pará, mas não concui.Me formei em Ciência da Computação no ITA, estudei Ciência Política na UnB e conclui o curso de Administração de Empresas na Universidade Paulista.

  • O Lourival ainda não deixou cair a ficha. Ele não tem credibilidade para se manifestar sobre a CEA, pois todos sabemos que ele incorpora o discurso entreguista. Tá na hora dele purgar seus pecados vindo sacudir bandeirinhas pro Capiberibe, como já fez no passado. Ou pegar um ITA pro norte!

  • Concordo com vc ex deputado Lourival,
    estaremos novamente aver investimento em nsso estado apenas para gerar riqueza a aventureiros, como no passado quem desta vez irá subir o topo dos mais ricos do mundo, no setor mineral tranformamos um sulista aproveitador e seus olhos que como diz osmar jr: “SÓ ME DESPREZAM”, como cidadãos, mas que nos servem o terrível prato do oportunismo, atrelado a aliança com este grupo corrupto que governa o AP. Mas falyta vc dizer não só o que se fez e faz, mas sim nomear os pacatos “cidadões” que na sudirna e sob a ignorância do povo constroem acordos que criam este cenário de auto flagelamento, auto destruição de nosso futuro, isso em vias de um presente cruel e sem sonhos, falta vc dizer que tem as rédias do poder no estado chama-se um grupo chamado HARMONIA, que sob a batuta do “general” SARNEY, que aliás relembrando seu primeiro slogam de campanha dizia que o amapá vai ter força, e realmente a força de atraçao e escandalos, de atos ilicitos e de ações de saqueamento de nossas riquezas refletem bem o ponto principal de seu artigo e falar da CEA é lembrar que seu partido através de DALVA e JOEL, aliados de sarney, são responsáveis pela situação caótica e melancólica da mesma, fruto de anos de corrupção e de uso da mesma para fins eleitoreiros, COMO AGORA!

  • Sr. Lourival Freitas, Respeito o seu direito de escrever sobre o que bem entende, entretanto de energia você não entende nada, você ja pensou em qual energia é usada quando está em época de estiagem, a energia do estado é complementada com energia de combustivel fossil, que alem de poluir o meio ambiente é cara, com o linhão não precisariamos utilizar esse tipo de energia, obrigado.

    • Meu caro Alexandre,
      Não é só na época de estiagem que utilizamos a energia térmica gerada em Santana. A potência do Paredão é de apenas 74 MW para uma demanda de mais de 200MW. Portanto, mesmo no período de chuvas já geramos mais de 120MW nas usinas térmicas de Santana.Não adianta ter o linhão de Tucurui se não vai ter nenhuma empresa de geração disposta a vender energia para CEA. Não pense que o linhão vai trazer energia de graça para a CEA.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *