Em Brasília, Waldez cobra agilidade na aquisição de vacinas contra a covid-19, auxílio emergencial e reforma tributária

 

 

O governador também reuniu com a procuradora-geral do MP/AP e vice-presidente do colegiado para a Região Norte, Ivana Cei

Nesta terça-feira, 2, o governador do Amapá, Waldez Góes reuniu com governadores e o presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira, para tratar sobre a aquisição de mais vacinas para imunização da população brasileira, liberação do auxílio emergencial e a reforma tributária. Os três temas foram dialogados entre os governadores e Lira, que deram encaminhamento a um grupo de trabalho para discutir de forma contínua os assuntos.

De acordo com o chefe do Executivo, os governadores chegaram a uma proposta para que os estados possam comprar até 25% das doses de acordo com o índice populacional. No caso do Amapá, poderão ser adquiridas até 400 mil doses e, assim, os imunizantes serão doados para o Programa de Nacional de Imunização dando continuidade com o sistema de coordenação tripartide, garantindo controle, transparência, segurança e fiscalização na distribuição e aplicação.

“Estamos unindo nossos esforços para que possamos chegar em junho ou agosto com o maior número de brasileiros imunizados”, afirmou.

Góes também cobrou mais agilidade na aprovação das vacinas por parte da Anvisa e que todas os imunizantes já testados, aprovadas e em uso no mercado sejam adquiridas e disponibilizadas no Brasil. Além da recomposição do orçamento do Ministério da Saúde para reabilitar os leitos do SUS, a compra de mais insumos para continuar enfretamento da doença, principalmente diante da cepa brasileira.

Outro ponto discutido durante a reunião é a aprovação do auxílio emergencial e a discussão da reforma tributária conjunta, conforme proposta apresentada por todos os governadores.

“Temos cada vez mais milhares de brasileiros entrando na linha da pobreza, com dificuldade inclusive de sustento. É necessário aprovação do auxílio emergencial e também queremos uma discussão aberta sobre o  pacto federativo”,  declarou o governador do Amapá.

Ainda segundo Waldez, os governadores discutiram ainda políticas tributárias e indicaram mudanças que podem ser feitas para que os Estados sejam atendidos dentro das necessidades de cada um.

“Elaboramos uma proposta de reforma tributária e, de repente, o governo federal quer discutir isoladamente, como o caso do ICMS de combustível, após todo um  esforço que fizemos para ter uma proposta de reforma tributária”, relatou.

O presidente da Câmara, Arthur Lira, disse que o encaminhamento tem que ser por um mesmo objetivo, que é a compra das vacinas.

“Que esses encaminhamentos sejam dados com muita responsabilidade, calma e harmonia. Que todos nós tenhamos um único objetivo, que ao invés de tratar as coisas na discórdia, na disputa política, que nos unamos nesse momento para resolver o problema da vacinação”, disse Lira.

O governador também reuniu com a procuradora-geral do Ministério Público do Amapá e vice-presidente do colegiado para a Região Norte, Ivana Cei, e manifestou o apoio a proposta de criação de uma força-tarefa de combate à covid-19 em toda região norte.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *