Elenco da seleção se manifesta: “Somos contra a organização da Copa América, mas nunca diremos “não” à seleção”.

Atletas disseram que não quiseram tornar a discussão sobre a competição continental um assunto político.

Há pelo menos uma semana, a polêmica sobre a realização da Copa América no Brasil tem gerado muitas discussões, com muitas especulações na imprensa esportiva a cerca do assunto. Jornalistas, lideranças e políticas e sociais revoltados com a decisão do governo em receber em oferecer o país como sede para a realização do campeonato, que já havia saído das mãos da Colômbia, devido a onda de manifestações que tem causado conflitos violentos, e da Argentina, com o governo argentino alegando que a realização do torneio no país poderia elevar o número de casos de Covid-19.

Após o jogo, válido pelas eliminatórias da Copa do Mundo, contra o Equador, no dia 04 de Junho, o então capitão da seleção, Casemiro, afirmou em entrevista que os jogadores iriam se pronunciar sobre a realização dessa Copa América no Brasil, após o jogo contra o Paraguai, também válido pelas eliminatórias

“Queremos expressar nossa opinião” – disse o jogador Casemiro, em entrevista após a vitória contra o Equador, na partida do dia 4 de Junho. (Imagem do site globoesporte.com)

Ontem, 8 de Junho, após o jogo contra o Paraguai, quem falou foi o jogador e Capitão da seleção no jogo, Marquinhos. O jogador reclamou da postura da imprensa em pressionar os jogadores a tomarem uma posição politica, e ainda disse que em momento algum os jogadores se recusaram a vestir a camisa da seleção.

“Se cada um quiser se expressar politicamente, que façam no momento que estiverem em casa, no momento pessoal” – disse o jogador Marquinhos ontem na coletiva, após o jogo contra o Paraguai. (Imagem do site: globoesporte.com)

Os jogadores prometeram falar através de um manifesto, em comum acordo com o técnico Tite, se posicionando sobre a Copa América, e como prometido, os jogadores lançaram um manifesto em suas redes sociais :

“Quando nasce um brasileiro, nasce um torcedor. E para os mais de 200 milhões de torcedores escrevemos essa carta para expor nossa opinião quanto a realização da Copa América.

Somos um grupo coeso, porém com ideias distintas. Por diversas razões, sejam eles humanitárias ou de cunho profissional, estamos insatisfeitos com a condução da Copa América pela Conmebol, fosse ela sediada totalmente no Chile ou mesmo no Brasil.

Todos os fatos recentes nos levam a acreditar em um processo inadequado em sua realização.

É importante frisar que em nenhum momento quisemos tornar essa discussão política. Somos conscientes da importância da nossa posição, acompanhamos o que é veiculado pela mídia e estamos presentes nas redes sociais. Nos manifestamos, também, para evitar que mais notícias falsas envolvendo nossos nomes circulem à revelia dos fatos verdadeiros.

Por fim, lembramos que somos trabalhadores, profissionais do futebol. Temos uma missão a cumprir com a histórica camisa verde amarela pentacampeã do mundo. Somos contra a organização da Copa América, mas nunca diremos não à Seleção Brasileira”.

– Texto publicado pelos jogadores da seleção em suas redes sociais.

Na coletiva, o técnico Tite se afastou das polêmicas, dando maior esclarecimento às perguntas sobre atuação da seleção na Copa América, mas disse não ser “hipócrita ou alienado”.

A Copa América começa 13 de Junho, com o jogo de estréia entre Brasil x Venezuela, no Estádio Mané Garrincha, em Brasília.

Veja a coletiva pós jogo de ontem em:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *