Ela ama Macapá

Querida Alice Caxias, que todos os anos, faz a doação do delicioso bolo de aniversário de Macapá, para a festa da Confraria Tucuju.

Alice é dona da padaria que, pra mim, faz o melhor pão da cidade: Esquina da Leopoldo Machado com padre Júlio.

Foto: Chico Terra
Foto: Chico Terra
  • No fim tudo deu certo e Macapá sai ganhando pelas mãos do povo. Merecido presente por ser acolhederora e gentil casa de todos. Amo a cidade, minha terra fruto do acaso, vim parar em Macapá por um amor (relacionamento), diferentemente dos que vem em busca de oportunidade financeira, aquí aprendi o “jeito de ser do povo daqui”. Obrigado aos amigos que conquistei, amigo não se ganha, obrigado pelo vento que me refresca e pelo rio que me fez ter uma sensação nunca sentida antes, ao ver sua grandeza me emocionei da primeira que vez que enxerguei, “enxergar” não é ver, enxergar é a ponto sentir latente a força da natureza, e constatar o quanto somos pequenos como homens.
    Eu não moro em Macapá, e sim Macapá em mim.
    Não joguem lixo no rio, nas ruas, não pixem, não destruam o pouco que nós é ofertado pelos gestores do nosso dinheiro.

    Macapá é pequena, ainda pode crescer como uma cidade planejada, estruturada e com um povo educado e feliz.

    PEDIDO.
    Gestores olhem o futuro, o que adianta roubarem tanto para comprar seus bons carros e andar em ruas feias e esburacadas, roubam e constroem seus castelos em meio ao caos.
    A cidade é de vocês também, não se iludam em viajar e voltar dizendo que tal lugar é lindo, a sua cidade não é linda por causa de você gestor. Macapá ainda pode ter a chance de crescer ordenadamente e com qualidade estética e social.

    Declaro meu amor. E gente que fique claro não tenho pretensão política, fui abordado por um conhecido que me perguntou se eu tava fazendo terreno, devido minhas posições no blog e nas rodas sociais.

    Não! Eu prefiro ser livre… Liberdade de falar sem pudor, sem máscara e sem rabo preso, compreendo quem precisa submeter-se por sobrevivência mas, não é meu caso felizmente. Parabéns Macapá, Macapaenses e nós filhos adotivos da capital, e que conseguimos enxergar com a alma o que é o “Jeito Tucuju”.

    Macapá – Amapá – Brasil – Meio do Mundo.

    Lindo bolo, e que atualização do blog. Putz! Você exagerou lotou de post’s, merece descanso! Kkk. Parabéns pra você filha da terra.

  • Valeu Alcilene, obrigado pelo apoio, estou muito feliz por fazer parte desta festa, vc. tem razão Amo muito a minha cidade!!!
    um grande abraços, alice

  • Só uma Pergunta: Se o bolo é doado,porque a constava no orçamento da Confraria o valor de R$ 12.000,00 para confecção do bolo.

    • Realmente a Alcilene se equivocou, o bolo não foi doado mais teve um desconto de quase 35%, e lhe digo mais se eu tivesse condiçoes daria com maior prazer, infelizmente ainda sou uma pequena empresaria sufocada pela carga tributária do país, mas qualquer hora eu chego lá. Se tem uma coisa que não tenho medo é de trabalho, por isso o que mais peço `a Deus é SAUDE!!!!

      • O mais importante é o trabalho que vc doa eo seu carinho e amor pra festejar Macapá…O resto é diabinho dos que quiseram rachar a festa tradicional

  • Lene, concordo com vc, o melhor pão da cidade é o da Panificadora Nossa Senhora de Fátima, maravilhosoooooo. Parabéns p Alice e p Joaquim.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *