Divergências no Setentrião

 

O parcelamento dos salários de março dos servidores públicos do Amapá gerou divergências dentro do Palácio do Setentrião.

A primeira foi em relação à própria medida. Uma ala de “conselheiros” propôs que 60% da folha fosse paga. Ou seja, que fosse feito o pagamento no dia 31 dos salários até determinados valores, considerados baixos e médios; e no dia 10, seriam pagos os salários mais altos: delegados, oficiais da PM, médicos, auditores da receita, secretários etc.

O segundo imbróglio foi quanto ao anúncio do parcelamento. Alguns interlocutores mostraram-se a favor de a medida ser anunciada pelo próprio governador Waldez em entrevista coletiva. Maaas, a relevância da notícia foi resumida a uma nota no portal oficial do governo.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *