DIREITO DE RESPOSTA

Alcilene. Venho respeitosamente solicitar a este Blog, o direito de resposta ao Sr Caio Isacksson Santana, que em seu “artigo”  SINSEPEAP E A IMATURIDADE POLÍTICA NOS DIAS ATUAIS, desferiu calúnias e injurias a meu respeito, e que, pelo presente mecanismo, espero ter a possibilidade de responder com a verdade.

QUEM SABE FAZ A HORA NÃO ESPERA ACONTECER…

Por Cristiane Barbosa, professora de Geografia pela UNIFAP e sindicalista

Lendo hoje o pseudo “artigo” intitulado SINSEPEAP E A IMATURIDADE POLÍTICA NOS DIAS ATUAIS, fiquei estupefata. Parecia que estava lendo novamente a LEI nº 1.540/2011, que além de insana, é completamente desrespeitosa para com os servidores públicos do Estado do Amapá. O “artigo” supracitado também caminhou pela mesma linha de confusão: de identidade ideológica, de valores e de interesses. Suas afirmações são confusas, falsas e sem legitimidade para construir a fundamentação do referido.

Nesses 31 dias de greve lembrei-me de mulheres e homens que no período mais tenebroso da história de nosso país (DITADURA MILITAR), contribuíram com pensamentos, sangue e VIDAS para a reconstrução da LIBERDADE, da DEMOCRACIA e por que não dizer, para o resgate do valor de SOLIDARIEDADE, que se hoje podemos caminhar sem a possibilidade do MEDO, dos dias de pavor, isso muito se deve a todos os que não se acovardaram, não se calaram, muito menos ficaram passivos diante das truculências ou até mesmos das cooptações e amarras do poder. Muito pelo contrário. E é por ter na referência de luta dessas mulheres e homens que resistiram no passado que ainda VANGUARDISTAS se erguem, e seguem lutando. Afinal quais seriam as referências políticas atuais para os VANGUARDISTAS DO MOVIMENTO DE GREVE DA EDUCAÇÃO se não os que morreram pela LIBERDADE, pela JUSTIÇA, pela DEMOCRACIA e pela SOLIDARIEDADE.

Ressalto também que não é verdade que os sindicalistas da educação estiveram apáticos nos governos passados. Ao contrário, os sindicalistas da educação sempre estiveram nas ruas lutando por justiça salarial e por direitos. Há de se ressaltar que as maiores greves no Amapá são dos educadores estaduais: em 1999 (com aproximadamente trinta dias de greve); em 2004 (com trinta e três dias de greve) e em 2007 (com quarenta e quatro dias de greve). Apesar, diga-se de passagem, do atrelamento das direções do sindicato aos Governos, o MOVIMENTO DE BASE seguiu fortemente organizado e comandado pelos VANGUARDISTAS que o autor do pseudo “artigo” tenta desqualificar, esses mesmos VANGUARDISTAS ajudaram o movimento a conquistar a principal bandeira de luta da educação estadual – o PLANO DE CARGOS, CARREIRAS E SALÁRIOS, Lei nº 0949/2005, com muita honra. Pois, após o ESTATUTO DO MAGISTÉRIO ter sido RASGADO em 2009, ficamos sem “eira nem beira”.

Afirmo também que a culpa de trazer ao cenário político atual os responsáveis pelo sucateamento do Estado, dos aprisionados na PAPUDA; dos assassinos da saúde pública, pelos responsáveis dos baixos Índices de Desenvolvimento da Educação Básica (IDEB) e pela baixa aprovação no ENEM, se deve exclusivamente ao Governo atual, que vem implantando políticas de arrocho salarial e demonstrando falta de maturidade política na condução do Estado, forçando os servidores públicos em geral a empreenderem greves como única alternativa para abertura de diálogo e obterem respeito por parte de seu governante. E por fim, afirmo: sou Professora de Geografia, e nos últimos 08 anos apesar de lutar pela qualidade do Ensino Público e pelos interesses da categoria da educação, várias vezes fui perseguida durante os governos de Waldez e Pedro Paulo, porém nunca me acovardei diante dos escândalos de corrupção e retaliações políticas. Pelo contrário, sou ativista sindical e atuo profissionalmente na E.E. Maria Ivone de Menezes desde 2008. E por ter cedido minha imagem pública a campanha eleitoral do atual governador, isso me gabarita e legitima a exigir o cumprimento das promessas feitas em campanha.

Já o autor do pseudo “artigo” chegou ontem na educação do estado e nada conhece, muito menos contribuiu nas lutas e conquistas dos trabalhadores que essas e esses VANGUARDISTAS estiveram encampando ao longo dos últimos 15 anos no Estado do Amapá.

Lembrando que Fernando Henrique Cardoso desferiu ataques semelhantes aos trabalhadores em seu governo, retirando direitos através de redação semelhante ao do art. 3º da Lei nº 1.540/2011 que hoje o Governador do Amapá reeditou – e isso não é mentira! E Lula no início de seu governo revogou tal atentado aos direitos dos trabalhadores. Portanto, como cantou Geraldo Vandré: “… QUEM SABE FAZ A HORA NÃO ESPERA ACONTECER…”.

 

P.S.: Lia Borralho, leciona Língua Portuguesa no Colégio Amapaense, é sindicalista e várias vezes também perseguida nos Governos Waldez e Pedro Paulo; David leciona História na E.E. Mª Ivone de Menezes, é sindicalista e várias vezes perseguido pelos Governos anteriores; Paulo Guilherme leciona História na E. E. José de Alencar, é sindicalista e também foi perseguido nos governos anteriores.

 

 

  • sabe o que é engraçado? esses educadores falarem de greve como se fosse a maior e melhora tarefa da vida profissional deles. quer dizer os meus filhos que estudam em escola pública que se danem. sou do nordeste mas moro no Amapá mais de 30 anos e amo essa terra. por isso faça uma comparação dos salários de lá com os de cá. lá servidor público dificilmente tem carro de luxo como os de cá. entendeu o quer que eu desenhe?

    • Sílvio é vero. Carro de luxo lá é pau-de-arara ou bicicleta. No nordeste os professores são mal remunerados sim, mas eles tem duas coisas importantes para a educação: VOCAÇÃO E COMPROMISSO. Podem observar que não se ler notícias de greves de professores naquela região.

      • Querido BARATA vc deve está cego ou não tem tv nem rádio em casa, pois é do Nordeste que vem aquela professora reclamar por tudo o que se reclama no Amapá, independente de salário a LUTA É GERAL E NO BRASIL TODO POR DIREITOS DA CATEGORIA.

  • Toda solidariedade aos lutadores que não se rendem as imposições dos governos, sejam eles quais forem. Quanto aos pais e alunos, não se desesperem, todas as aulas serão repostas, nenhuma criança ficará prejudicada. O prejuizo que existem vem do governo, que não dá condições de trabalho. Salas de aula superlotadas, com 50 crianças e ou adolescentes, escolas sem material pedagógico, sem livros atualizados, sem água de qualidade, sem merenda regionalizada, sem ventilação, sem banheiros funcionando. E os pais quando irão retirar o veu de Jade que cobre seus olhos e impede a visão da realidade? Os nossos filhos precisam da nossa união, professores e pais, lutando juntos por uma educação pública de qualidade. Paz e Bem a todos!

    • Só agora vc percebeu isso? pq não reclamou há 8 anos atras, quando absurdos aconteciam na educação e ninguém fazia nada. Até parece que as escolas estão sucateadas, super lotadas e etc.. de 6 meses pra cá. E mt bonito exigir maravilhas de um governo que so teve um semestre de trabalho, quando se passou 8, eu disse OITO ANOS CALADOS.

      • Concordo com vc. Todos sabem que a greve é o último recursso,após encerrado todos as negociações é que se deflagra a greve. Levando em conta que o atual governo está há poucos meses, quanto tempo os “sindicalistas” esperaram para negociar?? é de espantar a rapidez com que foram às ruas radicalizando, mas no governo passado esperaram oito anos calados ou não se fizeram perceber….

        • Alcântara; Pesquise – Lei 11.331/01(FHC); Lei 10.697/03(Lula) e Lei 1.540/11(Camilo). Talvez aí Vossa Senhoria entenda o porque da greve dos professores, que diga-se de passagem do seu resultado se aproveitam todos os servidores(civis e militares) do Estado do Amapá. Por isso, se o governador tivesse publicado a 1540 há seis miléssimos de segundo, há seis segundos, há seis horas, há seis semanas ou há seis meses de governo, por certo a greve seria deflagra, posto que, não trabalhamos para governos mas sim para o Estado. Governo é conjuntura, nós somos estrutura. Por fim uma coisa merece ser dita: Esta greve só ocorreu e durou o tempo de trinta e quatro dias por causa do Camilo e seus assessores, pois nós apresentamos um escopo da proposta que pois fim ao movimento na primeira semana de greve. E se esse governo e seus técnicos tivessem o cuidado de consultar site de jornais de circulação nacional de certo não teriam feito ctrl c ctrl v no art. 3 da Lei do arrocho do FHC.

      • Boa Aurea, você tocou na ferida, agora ta na hora dos professoras lutarem por seus alunos e convocar seus alunos para a luta, já que não vai dar tempo pra estudar mesmo.

  • Volto a a dizer o que tenho defendido no twitter, dogmatizaram as lutas sindicais no Amapa, onde a politica partidaria dita as “doutrinas” a serem seguidas por seus fieis escudeiros. Nao tenho nada contra as pessoas fazerem greve e lutarem por seus direitos, agora, usar desse artificio, atacando diretamente os direitos de nossos estudantes e profissionais que não compactuam com esse tipo de manobra, eh inaceitavel e repugnante.

  • Parabéns Cristiane,
    Não se pode permitir que pessoas insensatas tentem transformar mentiras em verdades. Aliás, é a covardia, a mentira e a falta de consciência política de pessoas daquela estirpe que tem levado este Estado a bancarrota.

  • O mesmo blá blá blá de sempre…

    A mesma conversa p/ boi dormir de sempre…

    E a mesma música de sempre “quem sabe faz a hora…”

    Queridos mestres, antes de fazer greves e discursos inflamados vão trabalhar EFETIVAMENTE as 40 horas semanais, para depois reclamar!

    obrigado!

  • Interessante,não vemos greve por melhores condições de ensino,como:menor número de alunos em sala de aula,melhores materiais didáticos,salas de aulas ventiladas e bem iluminadas etc, mas mexe com o bolso do professor que a coisa pega.

  • Estava indo tudo bem até a parte onde a professora diz..”E por ter cedido minha imagem pública a campanha eleitoral do atual governador..” Pronto perdeu a credibilidade que eu estava colocando, como os professores que no primeiro governo PSB tiveram o estatuto rasgado votaram de novo neles? Se votou e acreditou nele então merece estar pegando chuva e sol na frente do Palácio. Parabéns e fica a dica ano que vem tem eleição para prefeito e os mesmos professores que hj estão batendo lata, estarão com seus carros adesivados de 40. Ë isso que eu não entendo.Respeito, mas não entendo.

  • Ei Barata…passar fome e dificuldades é ter compromisso e vocação com a educação??!!!por favor,quando não se tem nada de bom para se falar,deve-se ficar calado.
    Devias te candidatar lá no nordeste,ou aqui mesmo.Mas tem que dar exemplo:se for professor,exija que corte 80% de teu vencimento para mostrar que tens VOCAÇÃO e COMPROMISSO com a educação,que não é o dinheiro que interessa,que não tens família para sustentar.Faz,isso,Barata!!
    Queres o que ,a institucionalização da miséria por vocação,com compromisso de ser miserável até que a morte me separe da minha profissão??´ta doido cara???!!

    • VAI DAR AULA LÁ NO NORDESTE OU NO SULDESTE PRA VER SE VC NÃO VAI SENTIR FALTA DESSA MISÉRIA QUE VC TÁ FALANDO!! REALMENE A SUA VOCAÇÃO É OUTRA!!

    • Ei Paulo, vende o carrão de luxo que vc não passa fome e nem dificuldades. Nunca ouvi falar que professor aqui no Amapá estivesse passando fome. Dificuldades sim, todos nós passamos. O único compromisso que alguns professores tem,falo alguns professores, é com o bolso. A educação que se dane. O prejuízo com a greve é enorme para alunos, pais de alunos e para o erário público,e a tal reposição de aulas é “balela”, não existe! Deixei de acreditar em papai noel há muito tempo.

  • Esse tal de Pedro deve ser parente exonerado da ex-Secretária de educação.vai ler o estatuto do magistério seu senhor.Vai dar aula pelo menos uma vez na tua vida.Não tenho nem mais o que dizer para um caboco assim!

  • A verdade e que a Professora tentou justificar algo injustificado, em que o Sindidicato passou para os filhos dos pobres (alunos) a sua magoa pelo processo de recondução dos professores fora da sala de aula que tiveram que voltar para poderem receber sua dedicação exclusiva.
    Eu pergunto para professora onde estava quanto aos demandos na eduação:
    -falta de merenda na escolas;
    -sucateamento das escolas;
    -roubo de 200 milhões;
    -filtro de PVC fabricado em caragem e comprado a peso de ouro;
    -falta de material didático;
    -exesso de alunos em sala de aula;

    Penso que sua justificativa de luta é muito boa mas não apagaram a inercia do passado.

    • É isto,acho que esse povo recuperou a visão agora,no desgósverno,estavam cegos.Se eles(professores) acham estar em uma luta por melhorias,deveriam ir aprender a lutar lá pelas bandas do nordeste.Lá eles iriam saber oque é luta realmente,pois tudo é tão precário,que burro em vez de puxar carroça, ele é que é puxado pela carroça,de tanta fome que passa.

  • É bem verdade que a maioria do professores do Amapá não tem compromisso com a educação, não perdem a oportunidade de fazer greve, ficar em casa e esperar o final do mês para receber o salario integral e os alunos que se danem.É uma grande mentira o que dizem que as aulas serão repostas, na verdade são trabalhinhos de pesquisa valendo ponto e valendo aulas, todo ano/greve é assim, o MP deveria acompanhar isso de perto.

  • Uma dica pro camilinho , contratar a Fundação Getúlio Vargas pra fazer a Gestão do GEA, e exonerar os secretários incompetentes, assim ele terá desculpa de dizer que estar enxugando despesas, já que pra ele falta experiencia pra governar.

  • Infelizmente idiotas travestidos de intelectuais existem por toda a parte. É o caso desse tal professor Isacksson. Respeito qualquer opinião contrária, desde que pautada na coerência e no respeito. Quando esse sujeito diz que os professores estão servindo de “massa de manobra” atinge diretamente a trabalhadores honestos, dignos e dotados de discernimento suficiente para organizar as suas próprias idéias e fazer as suas próprias opções políticas. Assim como os indivíduos pedantes, arrogantes e tal, ele deve se achar o “esclarecido”. Se existem indivíduos servindo de “massa de manobra” são esses que têm assumido cegamente o discurso do governo e repetido insanamente uma série de informações inverídicas a respeito da classe dos professores. Caso o referido professor seja desprovido de memória ou faz questão de não lembrar: várias greves foram deflagradas durante o governo Waldez. Em 2004, os professores acampados em frente ao Palácio do Governo sofreram talvez um dos atos mais covardes já tomados contra os movimentos sindicais do Amapá: alguns alunos, levados pela direção da UECSA (provavelmente a mando do governo), invadiram a General Rondon, rasgando faixas e gritando ofensas contras os professores. Em 2007, em represália à greve dos professores, o governo Waldez chegou a efetivar corte nos salários dos professores; tendo depois, sob pressão, que voltar atrás. Então, sr. Isacksson, crie o seu próprio discurso, não fique repetindo as asneiras que essa imprensa, que vocês diziam ser “jabazeira”, anda propalando por aí. Outra coisa: não é por causa de uma greve de um mês, que alguém vai deixar de conseguir uma boa nota no ENEM ou deixar de ser aprovado no vestibular. Um dia esses alunos vão ser trabalhadores e essa talvez seja uma ótima oportunidade pra eles aprenderem conosco a lutar por seus direitos; ou, seguindo o seu exemplo, se acovardar, ao ver seus direitos serem suprimidos. Se o senhor faz parte desse governo e quer defendê-lo, é um direito seu; porém, respeite os seus colegas de profissão, se é que o senhor sabe o que significa ética.

    • Leia novamente o artigo. Verás que não chamo os professores de massa de manobra. O que eu disse é que o COMANDO DE GREVE do sindicato “tenta a qualquer preço, tratar a categoria como massa de manobra”, o que é bem diferente, no mais, respeito o seu ponto de vista, pois a ideia é fomentar o debate.

  • Não dá prá fazer a apologia da pobreza. As comparações salariais das regiões é coisa de quem nunca estudou ciências sociais e a realidade brasileira. O governador Camilo tá redondamente equivocado e cometeu um grande calote eleitoral ao enganar o povo com suas promessas de dias melhores e valorização profissional. A onda amarela da mudança transformou-se num grande pesadelo e os ataques à legislação trabalhista demonstra a farsa do des(governo)40. Um governo que se aliou com setores da direita(Pedro paulo, João Henrique, Edinho Duarte, etc) e dividiu o governo com os petistas aloprados que depenaram a CEA.

    O PSB diz que é socialista, mas ferra com o trabalhador. O PT diz que é pelo trabalhador, mas não levanta uma palha em defesa dos trabalhadores do setor público. Ande está o tal de INSTITUTO RAÇÃO HUMANA que fica silente diante dessas atrocidades cometidas contra a classe trabalhadora? Cadê o sr. Errolflyn e a petista Dalva Figueiredo que permanecem calados diante das injustiças perpetradas contra o servidor público.

    Essa aliança do mal, PSB/PT, desregulamentalou a Lei da Data Base e ainda quer retirar conquistas e garantias importantes da classe trabalhadora do setor público. Governos fascistas não gostam de leis e nem do estado democrático de direito, pois assim podem agir despoticamente e usar o poder de estado para intimidar e oprimir os trabalhadores. Hoje é contra o trabalhador; amanhá poderá ser contra os poderes constituídos.

    • Que discurso ultrapassado meu caro Vasconcelos.Vc precisa estudar um pouco de história para não falar abobrinha. Querer taxar o governo atual de facista é no minimo desconhecer o que representou o facismo na primeira metade do século XX.

    • Aliança do bem foi PDT e PP não? Queres mil revoluções por minuto? Vai ouvir RPM. Tenha paciência o remédio amargo que o Amapá está tomando agora se faz necessário por conta da corrupção forjada na ALIANÇA DO BEM (PDT-PP). Oito anos de safadeza nesse Estado e vc não viu? Por que não fizestes as mesmas cobranças tempos atrás? Devo imaginar PQ… Tempo novo já chegou e o pior, vais ter que concordar.

    • Porque tanto odio para um governo que apenas começõu? Só posso pensar que vc ta levando para o lado politico ou pessoal esta amargura.
      Não sou partidario não apoiei nem um candidato, não nasci aqui e Amo este estado de coração e estou torcendo muito para que as coisas aqui melhorem, pois o furação da corrupção já passou(WG e PP), logo precisamos dar um certo tempo para avaliar uma administração que apenas começou e sejamos mais racional na nossa avaliação e não levar o odio para o lado pessoal

  • Já deixei de acreditar em muita coisa…Sou professor há mais de 10 anos e o blá, blá é sempre o mesmo…É nosso direito ter melhores condições de trabalho e salário e estamos lutando por isso…No entanto, vai uma reflexão: e nossas crianças e jovens que pouco lutam por uma educação de qualidade no Amapá. E o IDEB quando é que vamos melhorar? Já tá mais do que provado que dar um bom salário para os profissionais da educação não vai garantir por si só a qualidade na educação das escolas públicas do Amapá…Tem gente que só quer falar e ganhar…

  • Aproveitando a falta de respeito para com o servidor por parte da SEAD, estou pensando em ganhar dinheiro vendendo vaga na fila do recadastramento, alguém quer uma vaga?????
    Hoje, 21/06, servidores que pegaram senha pela manhã foram atendidos no final da tarde.
    `
    É pouco ou quer mais?

  • Nossa Alcilene, o que vejo é que seu blog tá virando uma bagunça, tá’só uma troca de acusações, já foi bem mais cultural. Reveja seus conceitos.

  • O que mais esses professores vão querer agora ? O governador já cedeu a quase todas as reivindicações e o ódio continua.

      • Grande CONQUISTA!!! Em detrimento dos prejuizos causados aos pequenos brasileirinhos que deixaram de aprender mais alguma coisa nesse periodo de greve. E nao me fala em reposicao de aula, porque nao existe, e so enganacao. Nota dez pra voces.

      • Se vieres a ver seus direito serem tirados arbitrariamente entenderás esse sentimento que não é ódio, é irresignação e temos o direito de ir contra tudo isso .

  • Parabéns Cristiane e todos que estiveram no movimento social de educadores, tenho orgulho de dividir com você a mesma profissão, nada há a temer, a luta é para poucos, a covardia é de muitos, que se escondem atras de comentários de blogs para desferir impropérios e inverdades contra os que ousaram a manter suas bandeiras de pé (ou diria suas sombrinhas), não entendo como alguns ousam falar em educação, quando nem sequer conhecem a rotina de uma escola, é bom que se diga que nós professores não temos o dom de ser professor, até onde conheço dom vem com o ser humano, não precisa passar quatro anos no magistério, depois quatro anos na universidade, se especializar, fazer curso de extensão, em fim fazer estágio, bom quem é professor sabe como funciona. Nós somos profissionais e devemos ser respeitados,valorizados, e bem remunerados como tais, vocação e para quem tem atividades sacerdosais e ainda sim a igreja cria todas as condições pra tal. Parabéns aos educadores que se deixaram dobrar pelas artimanhas de um infestado de incompetência e desconhecimento das leis.

    • vai dá aula pra mais 60 alunos que verás quem são os coitados, não conheces a realidade da educação no nosso Estado, seu desinformado!!

  • Ou tô ficando miope ou tão vendo mais do que eu… Vejo sim uma grande categoria não pela sua organização mais pela importância da função pra sociedade. Digo que não percebo essa organicidade por vê uma entidade manchada por um presidente irresponsável (Aildo), sobre isso, não vi quase nenhum professor se manifestando ou bravejando discussos moralista. Será que só pra fora que a categoria sabe pedir respeito e organização? Respeito também é se fazer respeitado e se mostrar com respeito. Quanto aos direitos só totalmente a favor! Mas não vamos quanto ao resto… vamos usar espelho!!!

  • O certo é que, independente das críticas de a, b, ou c, eu Professor Eduardo, tendo qualquer direito meu ameaçado vou fazer quantas greves forem necessárias, seja no governo Waldez, Pedro Paulo, Camilo, João Capiberibe, etc. E tenho certeza que qualquer pessoa, mesmo esses que estão criticando hoje a postura dos professores, se tivessem sido lesados ou ameaçados nos seus direitos fariam e farão o mesmo. Então por favor, vamos dar um tempo na demagogia!

    • Justo a cobrança de quaisquer direito conquistado quando ameaçado! Mas creio ser demagogia também em um embate político se atribuir santidade e sacro-ofício pra criar característica satânicas no opositor e sim ganhar simpatia da maioria. As reinvidicações são justas, mas a postura purista de algumas lideranças não condiz com o histórico de desorganização e pouca unidade interna da categoria. Vejo só que a categoria só tem se unificado no caos (greves) e quanto as questões referentes ao papel formador e organizativo das entidades dos professores amapaenses também está na dimensão das reflexões que devem ser feitas na atual conjuntura, pois o esvaziamento das entidades sempre é útil ao encastelamento e aparelhamento político, coisa já evidente no SINSEPEAP. Por fim concordo com a quase totalidade das reivindicações, mas apesar de crêr que cada professora e professor maculado no seu direito seja um héroi, não acredito que hoje a atual direção do SINSEPEAP seja uma a liga da justiça por conta das lambanças do último período… É preciso pensar em direitos sempre, entretanto, a hora de repensar representatividade e legitimidade da entidade também está na pauta do dia. É o que penso! Boa sorte aos que desejam e lutam pelo melhor na educação!

  • belo texto da prof. cristiane, uma lutadora historica da esquerda brasileira, militante e defensora das classes menos favorecidas que merece todo nosso respeito! nao se deve dar ouvidos a pseudo ativistas, puro chiado da estatica, como dizia rubem braga. esse movimento é justo, tao justo que conquistou o que reinvidicava. eu como do quadro da seguranca publica, fico com uma pitada de inveja desses lutadores da educaçao, que mesmo com um sindicato vendido(como foi no gov. WG) continuam na luta, reinvidicando melhorias e cumprimento de promessas de campanha…

  • NAO SOU PROFESSOR MAIS PENSO EU QUE O PROFESSOR DEVE SER VALORIZADO ATE PORQUE SAO PESSOAS QUE LUTAM MUITO PARA TERMOS UMA EDUCAÇAO DE QUALIDADE NESSE PAIS CHAMADO BRASIL NAO E SO NO AMAPA QUE TEM GREVES ISSO OCORRE EM TODO O BRASIL SAO PESSOAS QUE SO QUREM SER RECONHECIDAS PELO GOVERNO FEDERAL SEU TRABALHO TEM VALOR SIM PORQUE SAO ELE QUE ENSINAM NOSSAS CRIANÇAS A SEREM CIDADAOS DO FUTURO.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *