• Até que enfim encontrei alguém que comunga dos meus pensamentos. Não no sentido de perder o Amapá territorialmente para a França. Mas no reconhecimento que somos uma ilha, no mais puro sentido de sua definição. Completamente isolados do resto do Brasil.
    Outro dia disse a um amigo: O Amapá vive de costas para o Brasil e o Brasil, de costas para o Amapá.
    A logística torna este estado inviável. Nenhum outro estado é tão fora do contexto nacional quanto nosso Amapá. Nada do que possamos produzir aqui será competitivo com o resto do país. O custo Amazonas, cantado em verso e prosa, é nosso algoz.
    O primeiro erro foi tornar o Amapá estado, deveria ter continuado a ser território federal, mantido pela união, no mais puro interesse estratégico de manter a conquista do barão de Rio Branco. É claro que se vacilarmos, não apenas o Amapá, mas todo a Amazônia vai para as mãos de Macron e Companhia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *