Deu na coluna do Paulo Silva no jornal A Gazeta

Ex-deputado perde terras
O juiz federal João Bosco Soares decidiu que são da União as terras do “Retiro Tucunaré”, “Fazenda Peixe Boi” e “Fazenda Lago Azul”, localizadas na região de Matapi, Curiaú e Vila Nova, que se encontravam na posse do ex-deputado estadual Jorge Amanajás. Na sentença, em ação de reintegração de posse ajuizada pela União, Bosco deu 45 dias para Jorge Amanajás desocupar á área.

  • Mais de um milhão de hectares? Um absurdo! Como um ex-professor e deputado por dois mandatos conseguiu tanta terra? Impressionante como nenhum jornal impresso daqui veiculou essa notícia. Somente a TV Amapá.

  • CREDO! se fica-se um pouco mais no mandato teria se apossado do PLANETA TERRA…kkkkk.Um absurdo,torço p/que nosso senador Randolfe tenha sucesso à favor da ética e moralização dos nossos representantes politicos,ele encabeça a “frente contra a corrupção e a impunidade”,neste Brasil.”Dai à Cesar oque é de Cesar”,então nada mais justo,que quem tira oque é do estado/povo,faça a devolução e seja tb punido por apropiação indevida.

  • SEGUE DISPOSITIVO DA SENTENÇA NO PROCESSO 2007-36.2005.4.01.3100: (…) Isto posto, JULGO PROCEDENTE O PEDIDO, resolvendo o mérito, nos termos do art. 269, I, CPC, para, afirmando a propriedade da União sobre as terras determinar a: Restituição, com reintegração de posse das terras registradas no 1° Ofício de Registro de Imóveis de Macapá (fls. 10/14), à União, terras estas medindo aproximadamente 1.377,9454 ha (um mil trezentos e setenta e sete hectares noventa e quatro ares e cinqüenta e quatro centiares), com de¬nominações de “Retiro Tucunaré”, “Fazenda Peixe Boi” e “Fazenda Lago Azul”, localizadas na região de Matapi, Curiau e Vila Nova, que se encontram na posse do Sr. Jorge Emanoel Amanajás Cardoso. Expeça-se o competente mandado de reintegração de posse para que o réu desocupe a área no prazo de 45 (quarenta e cinco) dias, caso em que o oficial de justiça ficará autorizado a reclamar força policial apenas em caso de resistência ao cumprimento da ordem e vencido o prazo indicado. Custas pelo réu. Condeno o réu ao pagamento de ho¬norários advocatícios, que fixo em R$ 2.000,00 (dois mil reais), com fulcro no § 4° do art. 20 do CPC. Havendo recurso, remetam-se os autos ao Egrégio Tribunal Regional Federal da 1ª Região, posto que não sujeita à remessa necessária. Registre-se. Publique-se. Intimem-se.

  • Ei seu juiz! E agora? Aonde o homem vai plantar e colher os milhõs de toneladas de soja e melância, que ele anunciou que produzia na fazenda Lago Azul?
    Excelente setença Doutor, até que enfim a casa caiu, agora manda ele plantar batata no asfalto.
    Se como Deputado ele ocupou irregularmente, meio mundo de terras públicas da União. “alvará” se tivesse si eleito governador.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *