Deu em O Estado de São Paulo

BRUNO PAES MANSO – Agência Estado

O Tribunal Regional Eleitoral do Amapá determinou o bloqueio das contas da jornalista Alcinéa Cavalcante, condenada a pagar mais de R$ 2 milhões em indenização por danos morais ao senador José Sarney (PMDB-AP). A condenação já transitou em julgado e o processo se encontra atualmente na fase de execução. Alcinéa é colaboradora do Estado no Amapá.

Como Alcinéa não possui bens em seu nome para serem penhorados, a Justiça determinou o bloqueio de sua conta corrente. A jornalista precisou juntar seus contracheques para provar que sobrevive somente de sua aposentadoria como professora, de pouco mais de R$ 5 mil. “A lei não permite bloqueio de salário e esse é o único rendimento da jornalista. Ela vai ficar com o nome sujo e proibida de comprar qualquer coisa em seu nome”, afirmou o advogado Ruben Benerguy, que passou a defender Alcinéa na fase de execução do processo.

A jornalista foi condenada por causa de uma nota publicada em seu blog (www.alcinea.com) durante as eleições de 2006. No blog, ela publica, além de notícias, fotos antigas, poesias, obras de artes e temas variados. Na eleição de 2006, Alcinéa lançou uma enquete: mande fazer um adesivo com os dizeres: “o carro que mais parece comigo é o camburão da polícia”. Sugeriu aos leitores que dissessem o nome do político que deveria receber o adesivo. Vários políticos do Estado – um dos campeões em casos de corrupção, com prefeitos e governadores presos nos últimos anos – foram citados. Também citado na enquete, Sarney não gostou e decidiu processar a jornalista.

Alcinéa noticiava o processo em seu blog. A cada nova nota, recebia outro processo. Ela recorreu nos dois primeiros, mas foram outros 20 processos que determinaram sua condenação. “Acabei perdendo o prazo de recorrer e fui julgada à revelia. Não tinha dinheiro para pagar advogados”, explica a jornalista.

No Amapá, os principais jornais e as concessões de rádios e TVs são ligadas a políticos. Por isso, blogs e Twitter costumam ser os meios de acesso a notícias com isenção e imparcialidade. Os jornalistas, no entanto, são processados com frequência e acabam tendo de arcar pessoalmente com os custos na Justiça.

Além de Alcinéa, sua irmã, Alcilene, também foi processada por Sarney e teve de parcelar o valor da indenização, pagando R$ 500 por mês ao senador. No Amapá, o jornalista Antonio Correa Neto, que faleceu mês passado, também foi processado 17 vezes e devia mais de R$ 1 milhão. Não pagou porque não tinha dinheiro nem bens para serem penhorados.

A assessoria de imprensa de Sarney informou ontem que o parlamentar estava em viagem internacional e, por causa disso, não poderia ser localizado para comentar o caso. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

 

http://www.estadao.com.br/noticias/nacional,reporter-condenada-a-pagar-sarney-tem-conta-bloqueada,1033097,0.htm

  • Cadê a tal democracia brasileira??? Uma vergonha tentar calar quem mostra a verdade para o povo aliendado e corrompido pela mídia comum. Moro no Rio de Janeiro e os únicos canais que confio para me atualizar sobre Meu estado são os blogs de Alcinea e Alcilene e do nosso querido Correa Neto.

  • O Eleito
    Lobão

    Ele é esperto e persistente
    Acha que nasceu pra ser respeitado
    Ele é incerto e reticente
    Acha que nasceu pra ser venerado

    O palácio é o refúgio mais que perfeito
    Para os seus desejos mais que secretos

    Lá , ele se imagina o eleito
    Sem nenhuma eleição por perto

    Ele é o esperto , ele é o perfeito
    Ele é o que dá certo , ele se acha

    o eleito

    Seus ternos são bem cortados
    Seus versos são mal escritos
    Seus gestos são mal estudados
    E sua pose é militarista

    Ele se acha o intocável
    Senhor de todas as cadeiras
    Derruba tudo pra ficar estável
    Ele não está aí pra brincadeira
    Ele é o esperto , ele é o perfeito
    Ele é o que dá certo , ele se acha o eleito
    E o tempo passa quase , quase , quase parado
    E eu aqui sem a menor paciência
    Contando as horas como se fossem trocados
    Como se fossem contas de uma penitência
    E tudo , tudo parece estar errado
    Mas nesse caso , o erro deu certo
    Foi o que ele disse ao pé do rádio
    Com a honestidade pelo avesso
    Ele é o esperto , ele é o perfeito
    Ele é o que deu certo , ele se acha
    o eleito
    Ele é esperto , ele é o perfeito
    Ele é o que deu certo , ele se acha o …

  • Isso é revoltante. Um “cidadão que caiu de para quedas aqui no Amapá e nunca fez nada de positivo para o Estado utilizar a Justiça para tentar calar uma professora e jornalista amapaense que apenas disse a verdade nua e crua sobre esse político que tanto mal causou ao País e principalmente ao Amapá. O pior e ver alguns pseudos jornalistas, principalmente da emissora do ex senador e ex governador paralelo Gilvan Borges, defenderem esse cidadão e insinuarem uma possível candidatura ao senado. Essa postura não é surpresa, pois este político apoio o regime militar de 64.

  • “A única prisão real é o medo. E a única liberdade real é a liberdade de não ter medo.”
    ―Aung San Suu Kyi
    Li e lembrei da Alcinéa … até porque acho que somente essa mulher falaria essa frase com tanta propriedade.
    No mais, essa notícia me deixou PERPLEXA! Eu ainda consigo ficar assim….

    • Acho que a revolta esta centrada no cara errado. Que o bicho é uma hiena, já se sabe. Entretanto o resultado é fruto de uma instituição chamada justiça. É aí que está o nó górdio. Ela é assim mesmo. Imóvel. Incapaz de dizer ai.
      Tem seus rituais e se não forem seguidos, não será feita justiça nem injustiça, nem bosta nenhuma. Só porrada. É o seu caso minha amiga. Quem disse que o juiz ou desembargador ou ministro quer saber se voce tem razão ou não? Voce não cumpriu o ritual, por isso levou taca. E vai ser assim, sempre.
      Eu não acredito nessa instituição. Aliás, em nenhuma outra nesse País.

  • Sem contar o ataque à liberdade de imprensa, a correlação de forças está totalmente desequilibrada mais uma vez: como pode um homem da riqueza de José Sarney ser indenizado por jornalistas que vivem do seu trabalho ou da aposentadoria. A Justiça não vê isso não?

  • Vivemos em um estado onde a impunidade é o cartão de visitas e a corrupção é a arte mais nobre do poder. O atraso e o descaso é a nossa imagem, nossa cartira de cidadão amapaense. E viva José Sarney, dono do Amapá, do MAranhão e um pedaço de Brasília. Viva sua cegueira ambiciosa, sua história vergonhosa e seu presente pobre…

  • Pô gente tão achado ruim o quê, foram vcs que trouxeram o Sarney pra k e o elegeram democraticamente.

    • É isso aí. Não só elegeram o Sarney, mas também os Barcelos, os Goes, os Borges os Capiberibes, os Randolfes…

  • É pena que algumas pessoas não possuem discernimento entre o certo e o errado. Isso é fruto da má educação familiar, escolar e a religiosa … a sustentação da estrutura do caráter de uma pessoa. Não vamos discutir e sustentar político mal caráter. Vamos discutir o livre arbítrio de se expressar. Caso viermos a concordar com atitudes como essas, como vamos eleger os nossos legítimos representantes nos cargos eletivos? As pessoas que simplesmente defendem pessoas em causa própria são cúmplices das injustiças sociais da inconsequente escolha no processo eletivo. Se o cidadão é desonesto, não titubeie. Agora, calar por calar a livre expressão é chocante. Por que o político não denunciou o Estadão por postar essa matéria a nível nacional? Simples: O Estadão possui recursos jurídicos e financeiros para sustentar a notícia. As irmãs Alcinéa e Alcilene, não. Isso se chama covardia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *