Da série “Corram para as Montanhas”. Capítulo Mil e Pouco

Da Folha de São Paulo

Políticos presos pela Polícia Federal agora estão em campanha

 

FELIPE BÄCHTOLD
DE PORTO ALEGRE
NELSON BARROS NETO
ENVIADO ESPECIAL AO INTERIOR DA BAHIA

Ao menos 12 prefeitos detidos pela Polícia Federal pelo país desde 2009 são candidatos neste ano. Outro que passou meses foragido também concorre em outubro.

Como ainda são investigados ou só respondem a processo, estão imunes à Lei da Ficha Limpa, que exige condenação colegiada (mais de um juiz) para barrá-los.

Prefeito inaugurou lombada com champanhe na BA

Um desses 13 políticos comanda uma capital: Roberto Góes (PDT) lidera pesquisa Ibope em Macapá (AP).

O escândalo envolvendo Góes é citado na campanha. Ele passou dois meses no presídio da Papuda (DF), entre 2010 e 2011, por suspeita de desvios de verbas federais.

“Em questão judicial, só quando se é julgado se pode apontar o dedo a quem quer que seja”, afirma Góes.

Do Correio Brasiliense

Brizola Neto assume dupla jornada em Macapá com compromissos oficiais e presença no palanque do candidato do PDT

Gabriel Mascarenhas

O Ministro do Trabalho, Brizola Neto (PDT), fez uma jornada dupla na capital do Amapá, no início deste mês. Ele aproveitou a agenda de compromissos oficiais da pasta para participar de um comício do prefeito de Macapá e candidato à reeleição, Roberto Góes (PDT), preso pela Operação Mãos Limpas, da Polícia Federal, em 2010, que investigou denúncias de fraudes em licitações. Vestindo a camisa com o número do correligionário, ele subiu no palanque e anunciou que falava em nome da presidente da República: “A presidenta Dilma mandou um recado para o Roberto. Ela precisa de prefeitos como você para desenvolver o Brasil”, discurso o ministro, como mostra o site oficial da campanha de Góes na internet.

Quando não está exercendo o cargo, o prefeito que, segundo Brizolinha, conta com a aprovação de Dilma, não pode permanecer em determinados locais públicos após as 22h nem sair do estado por mais de um mês, durante dois anos. A restrição é fruto de um acordo feito com o Ministério Público, em troca da suspensão de um processo criminal por porte ilegal de arma. O evento, no último dia 3, começou às 20h45m. No palanque, ao lado de Brizolinha e de Góes, havia outro alvo na PF dois anos atrás: o ex-governador do Amapá e presidente do PDT, Waldez Góes.

De microfone em punho, o ministro não poupou empenho em benefício do correligionário. Recorreu até ao nome do próprio avô, fundador e maior símbolo da história do partido: “Este é o desafio do PDT, dar dignidade ao povo. Independentemente do contexto, em nome do meu avô, Leonel Brizola, peço o voto ao Roberto”, conforme reproduziu a página eletrônica da campanha pedetista. O ministro fez um afago na militância, afirmando que “ainda não havia visto um comício tão maravilhoso” e concluiu: “Roberto precisa continuar a ser prefeito porque foi capaz de trazer recursos para Macapá. Deu dignidade às crianças por ter compromisso com a educação. É esse respeito que vai determinar o futuro dessas pessoas”, previu o ministro, segundo o site.

A empreitada dois em um de Brizola Neto consta de sua agenda oficial, disponível na página do Ministério do Trabalho na internet. Ele permaneceu em Macapá até terça-feira, dia 4. Nesse período, antes e depois de trabalhar pela reeleição do candidato pedetista, o ministro também compareceu a eventos oficiais. Na segunda-feira, participou da abertura de um seminário sobre seguro desemprego na Região Norte. No dia seguinte ao comício, visitou a Superintendência Regional do Trabalho e Emprego e se reuniu com sindicalistas e gestores municipais, antes de embarcar para Belém, de acordo com as informações publicadas no site governamental e confirmadas pela assessoria de imprensa da pasta.

O duplo expediente a que se propôs o ministro da Trabalho se explica pela importância da disputa no Amapá para o PDT e no fato de o PT, partido de Dilma Rousseff, não ter lançado candidatura própria na cidade. O PDT só comanda o Executivo de duas capitais: Macapá e Porto Alegre, do prefeito José Fortunati. De acordo com a última pesquisa de intenções de votos do Ibope, feita em agosto, Roberto Góes tem 29% da preferência do eleitorado, seguido da candidata do PSB, Cristina Almeida, com 16%, e de Clécio Luís (PSol), com 13%.

“A presidenta Dilma mandou um recado para o Roberto. Ela precisa de prefeitos como você para desenvolver o Brasil”
Trecho do discurso de Brizola Neto no comício de Roberto Góes, transcrito do site do candidato

 

  • PUTZ! Brizola avô deve ter se revirado no túmulo,ou não(?),vai ver que de lá do além tá mandando “recadinhos p/o Neto e Dilminha.Aff! se é este o pensamento da presidenta,dizer oque dos envolvidos do mensalão,fichinhas e Lula pagando de “bom moço”.É muita cara de pau mesmo desse Brizola Neto,não é àtoa que ele é ministro do trabalho.Esse povo(politiqueiros) não sabe oque é trabalho,ralar,pegar no trampo,que o diga o professor Lulinha que vivia às custas do sindicato e hj é chiclete da Dilma.Para falar a verdade,creio que ela é que é a chicleteira dele.OH! povo 100 noção,Brasilia(diga-se Palácio do Planalto),é o mau ex. p/o país inteiro e novato que não se alia ou entra no panelaço,tá fora,não serve p/ser politico.Brasil,teu nome é corrupção.

  • Acontece que o povo já se acostumou com a corrupção, que, nos idos de 1950, era tratada como “malversação”. Ainda jovem, eu ouvia dizerem que a corrupção era um mal do capitalismo.Hoje, aos 82 anos, chego a conclusão de que esse mal pernicioso, está na direita, no centro, na esquerda. O desrespeito é total e quem tentar acabar com a corrupção, corre o risco de “entrar nela”…

    • OPS! a resposta que dei p/a Larissa era p/vc,até pq acho que ela é jovem e pelo comentário dela,creio que não vai entender o meu.

  • VAMUUUUU QUE VAMUUUU 12!!!!NÃO ADIANTE COLOCAR ESSAS BESTEIRAS QUE O POVO JÁ DECIDIU, É ROBERTO 12!!VAI ALCILENE COLOCA AI!!!!

    • Besteira é sua opinião, besteira não, burrice. Só sendo muito burro para, num espaço como este, escrever uma insanidade dessa. Voce deve ser da familia Goes, ou tem um PAPUDO, cargo comissionado.

    • Ontem de tarde uma galera de jovens bateu em minha porta(Av. Raimundo Alvares),p/pedir votos p/o 12.Só fiz uma pergunta aos jovens “qual a escolaridade de vcs?” e ao ouvir a resposta,pedi licença e fechei a porta.Não adianta,jovens de hj com estudo deficiente,sofrem a influência nefasta dos politicos corruptos,em troca de algumas moedas.A probreza maior não é só a da moral ou monetária,é principalmente,da má educação(estudo de péssima qualidade) e da ignorância (falta de conhecimento),neste país.Pobres jovens s/futuro, em um Brasil de corruptos.

  • É triste quando se escuta um povo dizer: vou votar em A porque B também rouba. Assim vamos formando a base de um Estado sem perspectiva de futuro, porque se não houver gente séria, o futuro desse Estado será dificil, aí, adeus melhores salários. Acorda povo, existem várias opções para se renovar.

  • É Brizola mesmo. Até hoje o Rio de Janeiro arca com as consequências nefastas do “vô”. E querem que a gente acredite que ainda estamos na ditadura.

  • Égua não olha? Esse povo merece o político que tem, parece que aquele prefeito preso não é o mesmo que concorre a reeleição e até um dia desses não iria concorrer a reeleição. Vamos acordar povo esse prefeito deveria desocupar a cadeira e ir direto pra cadeia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *