Da Lua está sendo considerado insurgente

O Deputado Pedro Da Lua começou a incomodar a harmonia que reina no poder legislativo do estado. Da Lua votou contra o projeto de “eleição a qualquer tempo”, de autoria da mesa diretora da casa. Votou contra a PEC de autoria do presidente da Assembleia Legislativa, Moisés Souza (PSC), que altera o artigo 95 da Constituição do Amapá, que trata das competências da Assembleia Legislativa, que, quer passar a apreciar, rejeitando ou não, os nomes indicados para o cargo de Procurador-Geral de Justiça do Ministério Público.

Além de ter votado contra dois projetos de autoria da mesa diretora, Da Lua vai propor que a Assembleia Legislativa reduza seu orçamento em 36 milhões, colocando esses recursos para saúde, segurança e passe estudantil.

Um grupo de deputados teria reunido ontem mesmo, para discutir essa “insurgência”. Emissário já levou recado do grupo a Da Lua.

Vamos espiar.

 

  • Comentário editado (……) ou seja, também não representaria ninguém.
    Porém, a continuar desse jeito, ele estará fazendo muito pelo povo.
    Pois só o fato de se insurgir contra esses deputados (….), isso já é uma ousadia.
    A continuar assim, vou começar apoiá-lo publicamente, pois sei que é plenamente possível alguém precisar ser marginal prá furar o bloqueio desse estado hipocrático de direito.
    Sem a marginalidade que sempre lhe foi peculiar, Da Lua não teria conseguido se eleger.
    Nesse caso sim, os fins estão justificando os meios.
    Observe, mas não muito.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *