Da Folha de São Paulo, ontem

Polícia Federal realiza buscas na Assembleia do Amapá

JEAN-PHILIP STRUCK
DE SÃO PAULO

A Polícia Federal cumpriu na manhã de hoje (16) mandados de busca e apreensão na Assembleia Legislativa do Amapá e em moradias de funcionários da Casa. Na casa de um assessor parlamentar, a PF apreendeu R$ 11 mil em dinheiro vivo.

As buscas são mais uma etapa da Operação Mãos Limpas, que investiga um suposto esquema de desvio de verbas por políticos, empresários e funcionários públicos do Estado.

Os agentes chegaram à Assembleia por volta de 8h e realizaram buscas nos gabinetes dos deputados e no anexo da Assembleia onde funciona a Secretaria de Finanças da Casa. Computadores e cerca de 200 documentos foram apreendidos. Os agentes deixaram o prédio por volta de 13h.

A Assembleia afirmou que dois funcionários foram conduzidos de forma coercitiva (quando alguém é levado pelos policiais para depor) pela Polícia Federal até a sede da superintendência do órgão no Estado.

Segundo a assessoria da Assembleia, um dos funcionários é a secretária do presidente da Casa, Jorge Amanajás (PSDB), e o outro trabalha no setor de finanças. Seus nomes não foram divulgados.

A PF investiga supostas fraudes na folha de pagamento, como a contratação de funcionários fantasmas, falsos pagamentos de diárias e uso de verbas indenizatórias pelos deputados.

Segundo a PF, os valores das verbas indenizatórias recebidos pela maioria dos deputados nos últimos meses variou entre R$ 10 mil e R$ 40 mil. Além dos valores elevados, os registros de despesa mostram valores redondos.

O teto estabelecido pela Assembleia previa que os deputados podiam pedir até R$ 50 mil. Um deputado estadual chegou a incluir como despesa na verba indenizatória o aluguel de um veículo Palio por R$ 3.600 por dia.

Apenas as prestações de contas de um dos 24 deputados não levantou suspeitas da Polícia Federal.

A assessoria da Assembleia afirmou que não poderia comentar as suspeitas porque a PF ainda não se reuniu e divulgou oficialmente os motivos das buscas. A assessoria também disse que o presidente da Assembleia, Jorge Amanajás, não poderia comentar a ação porque está viajando.

Não é a primeira vez que a PF apreende computadores e documentos na Assembleia Legislativa. Desde setembro, quando a Operação Mãos Limpas foi deflagrada, a PF já realizou buscas na Casa. Na primeira fase da operação, Amanajás, então candidato ao governo do Estado, chegou a ser levado de forma coercitiva pela PF para depor.

  • Parabéns PF… São dignos de aplausos. O Amapá está passando um perrengue nesse momento, mas acreditamos que será a salvação de nosso estado.

    TIRO O CHAPÉU PRA VCS POLICIAIS FEDERAIS… TOMARA QUE PASSEM O AMAPÁ A LIMPO.

    O POVO DAQUI NÃO MERECE TANTA BANDIDAGEM…

  • PARABENS A POLICIA FEDERAL QUE MERECE MERITOS PELO TRABALHO QUE ANDA FAZENDO NO AMAPA DESBARATANDO ESSA QUADRILHA DE LADROES DE DINHEIRO PUBLICO O AMAPAENSE NAO MERECE TATA HUMILHAÇAO EM REDE NACIONAL E INTERNACIONAL QUE FOI ALGO DE ESTARRECER ELES TEM MAIS E QUE BOTAR ESSA CORJA PARA CORRER DAQUI MESMO.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *