Da coluna Radar, na Revista Veja

O Ministério Público concluiu um levantamento dos gastos com verbas indenizatórias dos deputados estaduais do Amapá em 2011, mesmo ano em que os promotores descobriram também uma lista de falcatruas que corriam soltas na assembleia legislativa local, durante a operação Eclésia.

Seis deputados abocanharam mais de 1 milhão de reais, cada um, com verbas indenizatórias só em 2011. E outros quinze torraram 800 000 reais ou mais no mesmo período – entre eles o presidente da Casa à época, Moisés Souza – o cabeça de um esquema de corrupção que envolve formação de quadrilha, lavagem de dinheiro e outras práticas criminosas, segundo o MP.

A festa com verba indenizatória foi garantida por uma decisão do Legislativo local de dobrar o limite de 50 000 reais para 100 000 reais por gabinete. Os documentos apreendidos na Aleap mostram que o apetite dos parlamentares amapaenses custaram 23 milhões de reais: para ser ter ideia do tamanho da brincadeira, esse valor supera a soma dos orçamentos previstos para bombeiros e polícias militar, civil, militar e técnico-científica do estado naquele ano.

Por Lauro Jardim

http://veja.abril.com.br/blog/radar-on-line/brasil/farra-dos-milhoes-no-amapa/

  • Isto é uma VERGONHA, temos de combater rigorosamente este tipo de aberração com o dinheiro público, é vergonhoso termos políticos dessa estirpe…

  • Quando o PSB vai substituir o pessoal da harmonia que ocupa cargo de confiança no seu governo?
    Por exemplo no IMAP tem gente que ocupa o cargo desde o primeiro semestre do governo do PDT.

  • E AINDA QUEREM FAZER CRER QUE O MINISTÉRIO PÚBLICO NÃO ESTÁ COMPROMETIDO. TODOS OS DEPUTADOS DEVERIAM SER DENUNCIADOS, INCLUSIVE O ATUAL GOVERNADOR, JÁ QUE RÉU CONFESSO, POIS O PAI VIAJAVA COM PASSAGENS DA AL.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *