Coluna Café com Notícia

* Ana Girlene

CAFENOTICIA

1 – Mensalão

Militantes do PT, desde a prisão dos condenados no caso “Mensalão”, exigem o silêncio dos aliados sobre o episódio. Insistem na tese de prisão política em pleno governo Dilma e acusam os meios de comunicação de linchamento público. O discurso é velho. No Amapá, vem sendo usado desde 2010 pelos presos na operação “Mãos Limpas”.

 

2 – Canal

Acadêmicos do curso superior em Gestão Ambiental da Faculdade Fama foram às ruas para elaborar um diagnóstico dos problemas ambientais na área de entorno do Canal do Jandiá, bairro Pacoval. Para apresentarem o resultado da pesquisa, organizam uma audiência pública, no próximo dia 23, na sede da Assembleia de Deus (próximo à ponte Sérgio Arruda), a partir das 9h.

 

3 – Problemas

Das informações colhidas desse contato direto com a comunidade, os acadêmicos antecipam, que além dos visíveis problemas ambientais, as principais demandas apontadas pelos moradores estão relacionadas aos setores de infraestrutura, saneamento e segurança. Que o debate resulte em medidas concretas, porque de audiência pública andamos meio fartos.

 

4 – Perigoso

Promotora Andrea Guedes falou pouco na coletiva sobre o “Caso Marba”, mas o suficiente para causar polêmica. “Ele é um homem que gravava todo tipo de conversa e com todo mundo. Ele seguida as pessoas. Tem o perfil de um criminoso”, disparou. O conteúdo dessas gravações em áudio e vídeo ainda estão sendo analisadas pelo MPE. “Muitos equipamentos de espionagem não foram devolvidos pela perícia”, detalhou.

 

5 – Intimidade

Quanto a existência de supostos vídeos gravados no Motel Bariloche, de propriedade do empresário, o promotor Afonso Guimarães não confirmou a apreensão do material, tampouco descartou. “Posso apenas assegurar que se tais conteúdos forem localizados, jamais serão expostos”, garantiu. Waldenes Barbosa, advogado de Marba, disse que tudo não passa de “fofoca”. Será?

 

6 – Violência nas escolas

Para amenizar o clima de insegurança e diminuir a violência que toma conta das escolas, a campanha “Conte até 10” vai atuar nas unidades de ensino. A ideia é promover a reflexão entre os jovens sobre as consequências de atitudes agressivas tomadas em momentos de fúria. Nos últimos meses a violência entre estudantes tem crescido bastante, o que já resultou em lesões corporais e até morte no Estado.

nota 6

 

7 – Vítimas

De acordo com o Mapa da Violência 2013, o volume de homicídios contra jovens de 15 a 24 anos corresponde a 39,3% das mortes ocorridas entre a população brasileira. Em outras faixas etárias, os homicídios respondem por 3% dos óbitos. Os dados revelam o quanto as políticas de segurança pública fracassam no diálogo com a juventude.

 

8 – Organização

Organizar os espaços públicos não é tarefa simples, mas o problema precisa ser enfrentado. Óbvio que haverá desgaste com uma ou outra classe, afinal, todos têm direito ao trabalho. Nada contra os empreendedores populares, importantes para a economia local, só que a coisa anda sem controle. Clécio iniciou o diálogo com a categoria para estabelecer regras no uso dos espaços públicos. Tomara que avance.

 

9 – Política

Vereadora Neuzinha Velasco (PSB), tomará posse nessa segunda (18), no cargo de secretária de relações institucionais do GEA. A nova pasta cuidará, em parte, da agenda política do Setentrião. Para Neuzinha, Camilo foi consumido pelos problemas administrativos do Estado, o que teria enfraquecido seu contato com as lideranças comunitárias. “Precisamos conversar mais com as pessoas”, avaliou.

 

Pingado

GEA abriu edital de credenciamento a pessoas físicas para prestação de instrutória. As inscrições vão até o dia 25 na EAP//

 

“Dentre os papéis do professor a gente tem que ser policial dentro de sala de aula” professor Willys.

 

“A escola está fazendo um trabalho isolado. A família está deixando a desejar, os pais estão mais ausentes”, Promotor Paulo Celso.

 

Não tem motivo para o Centro de Cultura Negra passar boa parte do ano tão abandando.

  • A avaliação da vereadora do PSB é no minímo estranha, querem conversar mais com a população agora? As vésperas da eleição do ano que vem? E por causa não conversaram antes? Antes deram foi porrada nas classes profissionais do Estado. E se ganharem darão um pontapé sabemos onde.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *