Coluna Café com Notícia

Por Márcia Corrêa e Ana Girlene

Oitivas com Noronha
O ministro Otávio Noronha, responsável pelo inquérito da Operação Mãos Limpas, deverá ouvir desembargadores e deputados citados na investigação no próximo dia 7. As oitivas deveriam ter acontecido em junho, mas foram remarcadas sem maiores explicações. Muitos magistrados e parlamentares chegaram, inclusive, a viajar a Brasília. A operação foi deflagrada no dia 10 de setembro de 2010 pela Polícia Federal em Macapá-AP, que chegou a afirmar, na época, que o potencial de desvio de dinheiro público chegava a R$ 820 milhões.

Concurso na AL
Em entrevista durante a semana, o presidente em exercício da Assembleia Legislativa, deputado Junior Favacho, assegurou que a Casa realizará concurso público no início do próximo ano. O único concurso realizado pela AL foi em 1992, mantendo inalterado seu quadro de servidores efetivos em apenas 132. Por outro lado, estima-se que 1500 funcionários trabalhem no Poder em cargos de confiança. A promoção do processo seletivo consta no rol de recomendações do Ministério Público. A promessa é antiga. Será que agora vai?

Mais recomendações?
Durante a inauguração da sede e casa de apoio a pacientes de câncer, do Ijoma, o presidente interino da Assembleia Legislativa, Júnior Favacho, ficou bem ao lado do promotor Roberto Álvares, chefe de gabinete do MPE/AP. Enquanto Pe. Paulo Roberto, presidente do Ijoma, dizia ao microfone que “roubar dinheiro público é ceifar vidas”, os dois trocavam palavras ao pé do ouvido. Será que o promotor fazia mais algumas recomendações a Favacho?

Trabalhando no escuro
Uma comissão formada pelo deputado Keka Cantuária (PDT), o economista Jurandil Juarez e o procurador jurídico da Assembleia Legislativa, Eugênio Fonseca, está responsável pela análise de todos os contratos de prestação de serviços e convênios firmados pelo Poder Legislativo. Com poucas informações em mãos, já que essa documentação foi apreendida durante a chamada “Operação Eclésia”, o grupo resolveu manter suspenso todos os pagamentos, até que uma análise individualizada seja realizada. O trio apelou ao MP para que libere parte da documentação apreendida.

Escola do Legislativo
A Escola do Legislativo localizada na zona norte da cidade foi desativada. Recentemente inaugurada, sequer chegou a funcionar e já está de portas fechadas. O proprietário do prédio (uma antiga casa de shows – Planetário), Marlon da Costa Borges, encaminhou documento ao presidente da Casa na época, deputado Moisés Souza, pedindo a desocupação do imóvel. O setor de patrimônio da AL também não registrou nenhum dos equipamentos ou móveis encontrados no local. Criada para oferecer cursos à comunidade, a Escola teve seu trabalho limitado à capacitação exclusiva dos servidores do Poder Legislativo.

Posse no TCE
Enquanto os conselheiros afastados Regildo Salomão, Amiraldo Favacho, Manoel Dias e Júlio Miranda continuam “lutando” na Justiça para retornar ao Tribunal de Contas do Estado – TCE, na última quinta (02), a presidente em exercício, conselheira Elizabeth Picanço, deu posse aos novos servidores efetivos da instituição. Aprovados no último concurso, realizado em janeiro deste ano, cerca de 30 servidores de nível médio e superior já estão ocupando suas funções no órgão de fiscalização.

Café Pingado

Pendrives
Mochila com pendrives contendo arquivos sigilosos foi roubada de um Gol oficial, de placas NEN 7494, de propriedade do MPE/AP, no dia 27 de junho. As investigações levaram à denúncia de cinco pessoas com pedido de prisão, entre elas o deputado Moisés Souza, sua esposa Regilene Gurgel, os radialistas Pedro da Lua e Rodrigo Portugal, e o delegado de polícia civil Paulo César Martins.

Redistribuição
A desembargadora Sueli Pini negou os cinco pedidos de prisão feitos pelo MPE/AP no caso do suposto roubo da mochila com os pendrives. Porém, a negativa teria sido motivada pelo fato de ter sido apresentada uma única denúncia envolvendo os cinco nomes. Pini, então, teria desmembrado a denúncia e a encaminhado para uma das varas criminais da Justiça. Na sua compreensão, os indícios não apontariam de forma igual para todos.

“Espetáculo”
No microblog Twitter, logo após a informação do pedido de prisão contra Moisés Souza e mais quatro pessoas, veiculada em primeira mão com detalhes da denúncia pelo Café com Notícia, o advogado e presidente da Emdesur/PMM, Vicente Cruz, escreveu: “pedidos de prisão, como esperado, começam a pipocar. É só o começo”. E completou com espetada no MPE/AP, autor da denúncia: “Plateia tem para o espetáculo!”.

  • O D’lua e o Portugal, são dois dos maiores pilantras da história do Amapá, já foram envolvidos em casos de pedofilia, estão sempre na ponta dos escandalos e justiça nunca tirou esses caras de tempo. Isso eu não entendo!

  • Rapa eu passei um dias fora de macapa city, e quando volto o paulão eo domiciano estao fazendo um programa matinal na radio, gostei sou dos caras.

  • Concurso na AL
    Em entrevista durante a semana, o presidente em exercício da Assembleia Legislativa, deputado Junior Favacho, assegurou que a Casa realizará concurso público no início do próximo ano. O único concurso realizado pela AL foi em 1992, mantendo inalterado seu quadro de servidores efetivos em apenas 132. Por outro lado, estima-se que 1500 funcionários trabalhem no Poder em cargos de confiança. A promoção do processo seletivo consta no rol de recomendações do Ministério Público. A promessa é antiga. Será que agora vai?

    Cara Alcilene… Isso já virou até piada. Qual o interesse dos nobres deputados em fazer o tal concurso? Na AL tem mais cargos e contratos administrativos do que servidores efetivos da casa… Isso é legal? É moral?… Bom… No conceito de legalidade posso passar em branco, mas na minha opinião… Isso é obsceno!

  • Uma comissão formada pelo deputado Keka Cantuária (PDT), o economista Jurandil Juarez e o procurador jurídico da Assembleia Legislativa, Eugênio Fonseca, está responsável pela análise de todos os contratos de prestação de serviços e convênios firmados pelo Poder Legislativo.

    Minha Nossa Senhora… Já não bastava o Fran Junior… Agora, chamaram o Jurandil Juarez.

  • Escola do Legislativo
    A Escola do Legislativo localizada na zona norte da cidade foi desativada. Recentemente inaugurada, sequer chegou a funcionar e já está de portas fechadas. O proprietário do prédio (uma antiga casa de shows – Planetário), Marlon da Costa Borges, encaminhou documento ao presidente da Casa na época, deputado Moisés Souza, pedindo a desocupação do imóvel. O setor de patrimônio da AL também não registrou nenhum dos equipamentos ou móveis encontrados no local. Criada para oferecer cursos à comunidade, a Escola teve seu trabalho limitado à capacitação exclusiva dos servidores do Poder Legislativo.

    Será qual o motivo de ter fechado???
    E a história do Anexo da AL e da Escola do Legislativa na Zona Sul, como ficou? Entrem no Site do TJAP (www.tjap.jus.br) e digitem o nome dos donos dos referidos locais locados e, por favor, leiam atentamente.

  • Pendrives
    Mochila com pendrives contendo arquivos sigilosos foi roubada de um Gol oficial, de placas NEN 7494, de propriedade do MPE/AP, no dia 27 de junho. As investigações levaram à denúncia de cinco pessoas com pedido de prisão, entre elas o deputado Moisés Souza, sua esposa Regilene Gurgel, os radialistas Pedro da Lua e Rodrigo Portugal, e o delegado de polícia civil Paulo César Martins.

    Esse povo já gosta dea Polícia, MPE e TJAP.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *