Cidade Inteligente: Macapá será a primeira capital do Norte do país a sediar projeto de inteligência artificial a serviço da gestão

Nesta sexta-feira, 17, o prefeito de Macapá, Clécio Luís, assinou o Termo de Cooperação Cidades Inteligentes – um projeto piloto que utiliza tecnologias para melhorias que dinamizam a cidade e que será instalado em Macapá pela Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial. O projeto de inteligência artificial foi uma articulação do senador Davi Alcolumbre e o presidente da ABDI, Igor Calvet, que fará Macapá ser a primeira capital do Norte do país a ser contemplada com o projeto de inteligência artificial a serviço de uma gestão pública.

Após tratativas entre senador Davi Alcolumbre e representantes da ABDI, foi possível firmar o Termo de Cooperação Público e Privado entre os entes para iniciar o projeto tecnológico na capital. “Macapá passa a ser piloto da inovação no Norte do Brasil. Até pouco tempo, não se ouvia falar de startups e este será um projeto inovador em startups para o nosso estado. Já iniciamos algumas destas empresas, que têm o objetivo de expandir tecnologia e novas ideias do Amapá para o Brasil afora. Não temos dúvida de que a formalização deste acordo trará novos horizontes para Macapá em relação à tecnologia, ciência e às melhorias para a vida das pessoas”, salientou o senador.

Com a assinatura do memorando de entendimento entre Prefeitura de Macapá e ABDI, será possível a elaboração de cronograma de trabalho para a viabilização de programas e projetos de “Cidades Inteligentes”. “O projeto é pioneiro no Norte do Brasil e a ideia é aplicar melhorias como energia solar, iluminação inteligente, implementação de câmeras em semáforos para ajudar no monitoramento e na segurança pública, além de internet gratuita nestes pontos de Macapá”, informou o prefeito Clécio Luís.

Segundo ele, a gestão participa de fóruns que contemplam tecnologias de “Cidades Inteligentes” há três anos. “Já tivemos outras oportunidades de dialogar o projeto para Macapá. A ideia é que no início do ano iniciassem as aplicações. Porém, com a pandemia, tivemos que desacelerar a implementação. Com a articulação do senador Davi Alcolumbre, foi possível afinar o diálogo entre ABDI e Município para que o acordo pudesse ser concretizado para a nossa capital”, explicou.

O projeto também contempla a utilização de carros abastecidos por energia elétrica: combustível renovável que irá ajudar a diminuir custos dentro da gestão pública. “A ideia é que os veículos possam ser compartilhados entre servidores da prefeitura para trabalhos diversos. O custo operacional seria bem abaixo do aplicado ao carro convencional que utiliza combustível fóssil, e, desta forma, aplicando estes recursos em outras demandas do Município”, ensejou Clécio Luís.

Segundo Valder Ribeiro, diretor de gestão da ABDI, as tecnologias aplicadas nas “Cidades Inteligentes” já é uma realidade no Brasil e serão utilizadas na capital amapaense. “Será feito um teste em Macapá, chamado ‘living lab’, que é um laboratório vivo para ser testado na cidade. O projeto já foi expandido para cidades como Curitiba e Petrolina, e que foram implantados carros elétricos, semáforos com sensores de reconhecimento facial, iluminação inteligente e dentre outras tecnologias inovadores que estão sendo pensadas para Macapá”, explicou.

De acordo com o prefeito de Macapá, vários recursos poderão ser aplicados no município com a implementação do projeto das “Cidades Inteligentes”. “Iniciaremos com energia limpa, veículos à base de energia elétrica, iluminação inteligente. Mas a ideia é que tudo possa se expandir e planejar, futuramente, para um legado que possa ser inteligente e compartilhado a favor das pessoas. Poderemos dar um salto no sentido de inovar em recursos que gerarão empregos, renda, tecnologia e atrair empresas com a iniciativa deste projeto piloto em Macapá”, pontuou Clécio Luís.

Secretaria de Comunicação de Macapá

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *