Chuta que é Macumba

Macapá registrou no último final de semana o assustador número de mais de 40 acidentes de trânsito, com 3 mortes. O que, convenhamos, é um número excessivo pra uma cidade desse tamanho.

 

Boa

Do blog do Bolero

O Juiz Normandes de Souza deferiu o pedido do Delegado João Neto, e mandou para o IAPEN o ITALO SILVA FERREIRA, por ter atropelado e matado um casal de motoqueiros, no dia 28, por volta das 03h15min da madrugada, na Rua Leopoldo Machado Rodovia JK, quando dirigia um GOL prata de placas NEJ- 5087com excesso de velocidade e atropelou o casal JONH AMORIM ARAÚJO, 22 anos e ALESSA FARIAS DE OLIVEIRA, 17 anos, que morreu na hora.

 

 

Leopoldo Machado

Espaço fica aberto à EMTU, se quiser dar explicações técnicas.

Mas eu trafego todos os dias na rua Leopoldo Machado, que fica perto da minha casa e afirmo que aquela pista de rolamento à direita está perigosa.

É uma pista dividida por ônibus, carros que vão virar à direita, motos e bicicletas. E ainda, algumas vezes, por pedestres, já que entre a pista e os arremedos de calçada, não há espaço.

Os ciclistas, coitados, estão em perigo constante. Nenhum espaço reservado a eles. No sábado vi um ser atropelado. Poderiam ter tomado a decisão de, ao fazer mudanças na Lepoldo Machado, e garantir uma ciclovia.

 

Pronto. Falei!

 

  • Concordo com o perigo que tá a pista da direita da Leopoldo, não dá pra se sentir a vontade andando nela. A imprensão é sempre que vc está andando por cima da calçada.

  • o pior é que os carros não estão respeitando a faixa de não parar do lado direito, e proximo a Farmabem e ao Sesi os carros continuam estacionar atrabalhando todo do transito. e não tem fiscalização…..

  • Certíssima. Ciclovia já! Afinal, é direito dos que utilizam as bicicletas como meio de transporte diário ter o mínimo de segurança. Já passou da hora das autoridades competentes tomarem providências para garantir tal direito.

  • A imprudência ainda é a principal causa dos acidentes em Macapá, acredito. É verdade que a ruas bem sinalizadas ajudam um pouco, mas muito gente aqui pisa forte mesmo, são mal educados e não conhecem a regra de trânsito. Outra, muito adolescente dirigindo sem habilitação. A fiscalização precisa ser intensificada e os infratores punidos a rigor da lei.

    • Correta suas observações.A engenharia de trânsito de Macapá deixa muito à desejar,quase inexistente,mas a má educação e desrespeito dos condutores de veículos é um absurdo.As leis são muito brandas neste país,daí o resultado nefasto no trânsito brasileiro.Taxas altíssimas pagas de impostos e segurança “zero” de nossas vidas,lamentável.Autoridades e governos incompetentes,preocupados só com seus umbigos.

      • Carla, a educação no trânsito deveria ser uma disciplina nas escolas. Mas convenhamos, com os maus exemplos diários que temos nas ruas as crianças seguem o mesmo ritmo. As condições das vias, falta de calçada e a forma criminosa dos poderes públicos em não investir nos transportes coletivos levam a um caos generalizado. Acho que tudo isso é proposital porque forçam as pessoas adquirirem veículo, principalmente moto. Quem ganha com isso? Precisa falar?

        • Começar pelas escolas mesmo! Nao aguento mais a falta d educaçao d tantos pais ou responsaveis q vaopegar as crianças na escolas. Nao descem dos carros, gritam, buzinam. Onde esta a fiscalizaçao em frente as escolas? E as escolas,por que nao fazem uma campanha para q os motoristas q vao pegar as crianças, descaçm d seus veiculos, peguem suas crianças e nao façam fila dupla. Nao se faz nada, absolutamente nada. Passar em frente a escolas em hora d saida e entrada das crianças requer paciência e da revolta da fila dupla obstruindo as ruas. Como queremos ter amanha, adultos motoristas responsaveis se o mal exemplo começa pelos proprios pais!

        • Verdade Jonas, a educação sobre transito nas escolas darão aos futuros motoristas melhores condições de vida, em um transito caótico como é o de Macapá.A má educação dos atuais motorista só contribui(e muito)para este cáos.Falta aos nossos parlamentares, vontade de fazer a coisa certa.

    • Eles são do rebaixamento das bocas de lobo e serão levantadas as tampas ou asfaltadas c/ demarcação das mesmas. Na próxima semana o problema estará resolvido.

  • Um absurdo realmente, a falta de ciclovia põe em risco os ciclistas e a falta de fiscalização de tránsito está incontrolável, estacinamento de qualquer jeito, na Pe. Júlio, fazem conversão de qualquer jeito, motoristas e passageiros sem cintos, crianças em pé nos bancos trazeiros de carros, carros estacionados do lado direito da Leopoldo Machado e nenhuma multa por isso. ESTÁ VIRANDO TERRA SEM LEI EM TODOS OS SENTIDOS, TRÂNSITO, MEIO AMBIENTE,ENFIM,…

  • aproveitando para perguntar….Por onde andam os guardas de trânsito?? pelo menos ao longo da Leopoldo, que está proibido estacionar a direita, eu não os vejo!! Não adianta as placas sem fiscalização!!! Vamos botar esse povo pra Trabalhar!!!

  • A modificação na Rua. Leopoldo Machado, tirando o estacionamento do lado direito p/ criar a terceira faixa, deu-se exclusivamente p/ desafogar o transito da via q já se apresentava c/ indícios de congestionamento. O objetivo foi atingido, foi eliminada a lentidão do transito e hj a mais de mil carros estão passando pela nova faixa no horário de pico. Ciclofaixa vai ser feita na Rua. Hamilton Silva dentro cinturão de ciclofaixas que vamos implantar.

  • Essa ruas de Macapá estão uma porcaria, só buracos,a prefitura não vacila em aplicar uma multa, mas cumprir com suas obrigações deixa muito a desejar.

  • Vejam a buraqueira que esta a mendonça junior entre tiradentes e sao jose, que isso gente no centro da cidade.

  • A Leopoldo Machado ficou muito boa, várias cidades que conheço e dirijo tem uma engenharia viária que aplica a mesma logística de fluxo da referida rua. Sejamos razoáveis, reclamar das elevações dos bueiros e de motoristas abusados que estacionam no local proibido sem ter fiscais é uma coisa, mas reclamar da trafegabilidade resultante é injusto. Melhorou consideravelmente e qualquer pessoa que já tenha tido oportunidade de dirigir em grandes centros sabe que em via expressa, com faixa de ônibus, devemos ir pra faixa de conversão antes de chegar a esquina desejada. Falta despertar os motoristas a cidade não pode parar e adotar o comodismo de uns, deve atender VOLUME DE FLUXO . Macapá não é roça, é uma capital!

    • Desde que arrumem um lugar para os ciclistas..Não vale é deixa-los sob ameaça constante de atropelamentos

      • Se vc me apontar uma via expressa q tenha ciclovia, eu mando fazer uma na Leopoldo. Qdo teve ciclovia na Leopoldo? Nunca. Os ciclistam tem que andar em outras vias, pq esta rua foi planejada p/ dar fluidez ao transito e, como já anunciamos a Hamilton Silva será a rua de circulação das biciletas, dentro cinturão de ciclofaixas.

        • Prezado Carlota…Eu nao entendo de engenharia de trânsito..Mas entendo de circular e estou vendo todos os dias que ficou perigoso..Claro que a Leopoldo nunca teve ciclovia. E nao é por isso que jamais pode ter..Falei que deixava o espaço aberto para a EMTU justificar tecnicamente, se quiser. Dei minha opinião como usuária. Nao venha querer que eu aponte as solucóes por que eu nãi sei e nem ganho pra isso. E, penso que, se é para os ciclistas andarem em outras vias, vcs devem fazer uma campanha informando isso a eles…

          • Prezada Lene, jamais pedi p/ vc apontar soluções, até porque vc não é engenheira de transito, é jornalista e funcionária pública. Se ainda preciso esclarecer, apenas pedi p/ vc apontar em qual cidade do Brasil tem via expressa c/ ciclovia/ciclofaixa. Talvez vc não observou a reposta, qdo disse que a mudança da Leopoldo foi p/ dar fluidez ao transito que estava a beira de congestionamento e, se vc observar isso foi eliminado. Vamos iniciar a sinalização da Hamilton Silva e a sua sugestão de divulgação e orientação ao ciclista será feita.

    • Caro Zanjo, o pensar desta forma trás a segregação e não o desenvolvimento, não visamos o COMODISMO e sim adquação devida a que temos direito. Pergunto porque não respeitar e priorizar o meio de transporte mais democrático e saudavél que existe, atualmente várias grandes cidades aqui no Brasil e Europa estão buscando adquar-se a essa realidade, onde a bicicleta ganha espaço,junto a melhoria efetiva dos transportes públicos. Nós temos vantagens comparadas a esses grandes centros pois esses medidas estão sendo adotadas quando já se instalo o caos viário, façamos ou melhor tomemos medidas antes de chegar a isso.
      Grande Abraço.

      • O Maurício defende as ciclovias, mas nunca procurou a EMTU p/ discutir ou p/ levar as suas idéias. Aonde tem ciclofaixa não andam – Av. Claudomiro de Moraes. As opiniões são válidas, mas. 7 meses no cargo e antes de modificar a Leopoldo ninguém pedia ciclovia ou ciclofaixa p/ lá. Mas a nossa responsabilidade é atender as demandas do cidadão, portanto, vamos começar a sinalização da Hamilton Silva, tirando o estacionamento do lado direito p/ criar a ciclofaixa e após fazer um cinturão de ciclofaixas – FAB, Independência, Orla até a JK, findando nommeio do mundo, pq a rodovia é estadua sob a competência do SETRAP.

  • É o resumo da displicência com o dinheiro público! É tinta que mal chegou o inverno e já estão se apagando! Número exagerados de placas (absurdo), acostamentos do lado esquerdo que horas cabem um carrinho da CHERY e outros um ônibus de tão mal planejado que foi delimitado. E ainda tem os burados da boca de lobo que ficam do lado direito da via de foi dita que seria exclusiva para o tráfego de ônibus (linha verde se eu não me engano).
    Tem muitas coisas que eu, sinceramente no consigo engolir.

    Um perguntinha: ALGUEM SABE ME DIZER QUAL EMPRESA OU QUEM GANHOU (SE TEVE LICITACAO OU NAO) PARA FAZER ESSES TACHOES, QUANTO CUSTOU CADA UM. O MESMO EU PERGUNTO DAS PLACAS TAMBEM, QUE ATÉ POUCO TEMPO, TINHA DO LADO DIREITO E LADO ESQUERDO A SEGUINTE PLACA – ESTACIONAR EM FILA INDIANA. RSRS

    HA…CICLISTAS. PELOS OLHOS DA EMTU, VOCES NAO TEM ESPACOS. ANDEM NAS CALCADAS QUE SAO UMAS JOINHAS!!!

  • Valeu Lene,estamos vivendo hoje no estado,no município no país uma crise de mobilidade urbana, que vem sendo acompanhada por uma crescente contestação à hegemonia do automóvel por parte da população.Segundo estudo da Confederação Nacional dos Municípios, acidentes de trânsito matam mais de 66.000 pessoas todos anos desde de 2006. Eles são hoje os maiores responsáveis por mortes por causas externas no Brasil, superando os homicídios.De acordo com a Federação de Ciclismo do Estado do Rio, não existem estatísticas oficiais de acidentes envolvendo ciclistas, mas a Confederação Brasileira estima que 1.500 morram, a cada ano, no Brasil, em acidentes envolvendo bicicletas. Um dos dramas da nossa cidades é que a frota automotiva aumenta a uma velocidade muito maior que a da malha viária. “Quem precisar de rapidez terá de usar transporte público. Quem preferir o conforto do carro vai ficar parado nos congestionamentos”,ações imediatas fazem-se necessárias, dar combate a motoristas que dirigem alcoolizados é hoje uma prioridade na área de segurança pública em praticamente todos os países desenvolvidos.Pergunto porque não é assim aqui? Um estado pequeno no que tange a geografia viária.No Brasil, a associação perversa entre álcool e direção é uma tragédia nacional – em média, 25.000 pessoas morrem todos os anos em desastres provocados por gente que bebeu demais.A nova lei deveria ser um instrumento eficiente na prevenção de acidentes provocados pelo uso de bebidas alcoólicas, mas, para que ela se traduza em queda nas estatísticas, é preciso que haja fiscalização ostensiva por parte do estado e primordialmente PRISÃO sim para aqueles que matam, sem meios termos.Bebeu, dirigiu, matou e penitenciária direto a exemplo da medida adotada esse fim de semana por um juiz quando um excroque assassinou um casal!O bafômetro, instrumento usado pelas polícias para medir a concentração de álcool no organismo do motorista, é usado timidamente no Brasil – em geral, apenas nas estradas, nos feriados prolongados, e em blitz esporádicas nas ruas.”No Brasil, o problema não é a falta de informação sobre os riscos de dirigir alcoolizado, mas a certeza da impunidade ao fazê-lo”,no nosso país, são freqüentes os casos de motoristas bêbados que fazem vítimas fatais e recebem, como única pena, a obrigação de fazer trabalhos comunitários ou distribuir cestas básicas a famílias pobres, isso tem que ser alterado para cumprimento de penas em regimes fechado, não dependendo de fatos como ser réu primário, radialismo, talvez porém se ações radicais não forem adotadas não veremos efeitos positivos, além desta devemos continuar orientando, educando, esclarecendo os efeitos da falta de GENTILEZA no transito aqui e no pais.
    Lene eu e vários amigos estamos lutado para que politicas publicas sejam implantadas para melhorar a situação da ciclomobilidade no estados e primordialmente no nosso município, assim peço sua ajudar na divulgação de nossas ações visto que seu blog tem uma abrangencia enorme interna e externamente.
    Um grande abraço do seu vizinho.

    • Muito boa sua esplanação à respeito do assunto aqui postado.As leis de nosso país são muito brandas e prescisam ser mudadas com urgência urgentíssima.

  • A má-educação no trânsito, a arrogância de quem se acha alguma coisa a mais, só porque está no comando de um volante são os maiores vetores de desgraça no trânsito. Isso, infelizmente não é privilégio de Macapá, mas sempre que estou por ai, tenho a impressão de que ai é muito pior. Um moto-taxista me contou que eles mesmo retiram as tartarugas de redução de velocidade , para passar sem reduzir.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *