Camarão no Bafo vai melhor com cerveja ou vinho?

José Bogéa. Advogado. Enófilo. Colunista do blog.

Bogea

O imortal baiano Jorge Amado dizia que era incapaz de fazer um ovo cozido, mas, comentam, na Bahia, que era um guloso gourmet, apaixonado por uma boa moqueca de camarão. Se é verdade, eu não posso afirmar. Mas, uma coisa é certa, a receita é citada em três de suas obras: Os Pastores da Noite, O Sumiço da Santa e o mais famoso deles, Dona Flor e seus Dois Maridos.

Amado me faz lembrar que o camarão é, certamente, um imenso presente da natureza à gastronomia. Dificilmente, alguém não se rende ao seu sabor suave, mas rico e característico. Como ele pode ser encontrado tanto na costa brasileira como nos rios do país, é ingrediente em muitos pratos típicos do Brasil.

No nosso estado, o famoso crustáceo exerce protagonismo marcante. O principal prato típico, o nosso “camarão no bafo” tem preparação simples, é servido para ser descascado com as mãos e, normalmente, acompanha uma farofinha e um molho de tucupi com pimenta.

camaraonobafo

O amapaense costuma acompanhá-lo com uma cerveja bem gelada, comercial e descomplicada como a própria receita. Perfeito! Mas, será que é possível “gourmetizar” a experiência de acompanhamento do icástico prato tucuju? Sim, e vale muito a pena.

Para os que não abrem mão da cerveja, provar o prato com uma Pilsen nacional, como a Eisenbahn ou Bierland, será uma experiência com prazer garantido. Se quiser investir um pouco mais, pois é difícil de achar em nosso mercado, uma Helles, cerveja tradicional de Munique, na Alemanha, também vai muito bem.

helles_schlenkerla_lagerbier_1

Agora, acredite, o vinho pode ser um parceiro excepcional, considerando as características de preservação do sabor que a receita mantém. O leve sabor adocicado do camarão apenas cozido no vapor vai muito bem com um Sauvignon Blanc do novo mundo, em especial do Chile ou África do Sul, que possuem média acidez e algumas nuances minerais.

Sauvignon-Blanc-630x417

Se os maridos de Dona Flor, Vadinho e Teodoro, eram tão diferentes em personalidade e apreciavam a moqueca; a cerveja ou o vinho, com suas características tão peculiares, também casam muito bem com o versátil sabor do nosso camarão no bafo. Portanto, a alegria está garantida, seja com uma boa cerveja especial ou com um bom vinho branco. Fica o convite a experimentação!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *