Cabidão do Amapá Produtivo

Fui ler o Diário Oficial dos primeiros dias de governo e fiquei assustada. Sabia que a máquina estava irresponsavelmente inchada, mas não imaginava que era tanto.

Eram muitos cargos, pessoal. Um verdadeiro cabidão. Certeza que uma parte realmente trabalhava duro, mas também de que boa parte não dava retorno ao estado. A quantidade de cargos no Palácio, por exemplo, era muito acima até do que o espaço físico comporta.

Isso eu fazendo uma análise absolutamente superficial.

#Oremos

  • É muito comum falar em máquina inchada, no Governo PSB/1994-2002, as secretarias eram lotadas de “funcionarios”, e olha que o ex- gov. Capi não realizou nenhum concurso publico durante dois mandatos, só no governo Waldez foram mai de 20. FATO!

  • E olha que vc é jornalista, passando 8 anos sem a curiosidade de investigar e publicar sobre o assunto. Aliás, poucos jornalistas divugaram as mazelas do governo da harmonia.

    • Não confunda. Esse blog não é um veículo de comunicação. Não vivo dele. Durante o dia tenhos minhas atividades profissionais.

  • As exonerações publicadas estão, em parte, respondendo minha intriga em relação a inércia dos órgãos fiscais do Poder Executivo no Estado. Por isso, sem digo, que a unanimidade tem efeitos maléficos, embora tardios. É bastante salutar para o administrador pública, deixar uma brecha para as críticas construtivas. Esta sim, embora não seja simpática a quem está no poder, muito contribui para que o Administrador maior tenha o verdadeiro diagnóstico de sua administração.

  • Trabalho numa instituiçao de ensino onde descobrimos existir varios professores fantasmas, tudo isso sob a proteçao da direçao e secretaria da instituiçao! Ficou uma situaçao tipo: “fingimos que nao sabemos” e assim continuou, agora nao sei como esses fantasmas irao fazer, estou esperando p ver se a direçao substituta ira denunciar ou nao, afinal a folha de ponto desse pessoal ficava escondida e alguns apareciam vez o outra no trabalho e outros passaram oito anos fora do Amapa!

  • Alcilene, onde trabalho tinham 4 com contrato administrativo, 1 só ia qdo dava na telha, outro ia todos os dias direitinho e dois eu só vi qdo foram ameaçados de ir embora e correram atrás de ponto. Detalhe: foi no Governo do PP.

  • Falando em Amapá produtivo qual é o plano de desenvolvimento que o Camilo tem para o Amapá? Será o velho PDSA do PSB?

    • O velho PDSA é o conceito político mais difundido entre os pensadores em torno do mundo. O Governo PDT foi cruel em desfazer o que estava começando a tomar forma no Amapá, cruel não com o Capi, e sim com o povo. O “velho” que usou pra desqualificar o plano foi o fim da picada. O mundo vai em busca da sustentabilidade.

      • Se você acha que vender Patê de chicoria, é avanço para um Estado então parabéns Zanjo, você está no lugar certo, nós que vimos o Amapá Produtivo desenvolver esse Estado é que estamos no lugar errado.

        • O “Amapá Produtivo” foi um plágio de quinta categoria do PDSA. O Governo Waldez, foi um governo que se preocupou muito em apagar a imagem do Capi, mas aproveitou tudo com novas nomeclaturas, só esqueceu de desenvolver… Sinto muito!

          • Se teve alguém que plagiou algo foi seu ídolo Capi o DPS ( Plano de Desenvolvimento Sustentavél) sempre existiu, ele só fez incluir o “A”.
            qual das fábricas criadas pelo capi obteve sucesso? Nenhuma, não basta contruir prédio, e a matéria prima? não são meia duzias de mandiocas plantadas no fundo de um quintal que vai gerar produção pra uma fábrica, quer um conselho, estude administração, vai te fazer bem!!

            • Estudei, para seu desespero! Não vamos perder mais tempo, já sei qual tipo de pensamento é o seu,”Ex-territorialista” kkk. Se acostumou com a mamata pública que só engessa o progresso real do Amapá.

              Fazer o que?! Tem gente que acha progresso o governo lotar o quadro, e viver só da máquina sustentada pelo resto das UF’s! MEDÍOCRE.

              Eu quero um Amapá que seja capaz de captar o básico. Aquí, tudo é verba Federal que Estado somos?Somos mendigos conformados pela política barata e tacanha.

            • Ah, não houve plágio do PDS, os conceitos básicos foram discutidos com quem tinha fundamentado é implantado no Acre, onde continua sendo implementado.
              O “A” foi para criar diferencial de marketing estatal.
              Informação é poder. Não te recomendo nenhum curso superior, recomendo que se informe.

      • Janjo,esta desqualificação feita pelo cidadão ai é tipico de um ser pequeno que só olha ao seu redor e não percebe que o horizonte é infinito e faz parte de nossas vidas.Um grande homem,um guerreiro não pensa desta forma.Lamentável.

      • Depois de oito anos de atraso CAPI é que vc diz que o Estado tava começando a tomar forma? Lamentavel mais aqui o PDSA não deixou nada de bom. E se é realmente tudo isso, aqui foi implantado equivocadamente. Caso eu esteja errado Zanjo, me diga o que o PDSA do Capi deixou de bom pro nosso Estado?

        • Respondo com prazer.

          Ficaram 3 fábricas rurais de beneficiamento de castanha, pescado e frutas. Jogadas ao tempo pelo governo PDT. Ficou o fomento a produção do Açaí, para abastecimento da rede pública de ensino Estadual.Ficou uma estrutura farmacêutica implantada no IEPA , que foi sucateada e passou a operar deficiente por um turno, por falta de investimentos. Ficou um Hotel ECO, prontinho para desenvolver turismo que faltava licitar os móveis e utensílios de funcionamento… Enfim.

          Sem mimimi… O Governo Waldez foi o fim de um projeto fantástico.

          • Que vergonha Zanjo, mostrar o fantástico desenvolvimento que foi deixado depois de 8 anos de governo capi. A castanha, o açai, o ECO hotel mudaram a vida dos amapaenses!!! Que vergonha, 8 anos em branco…

            • Zanjo, não adianta trocar idéias com “viúvas” do Harmonia12. Estão cheios de invejas e despeito. Perderam a “boquinha”, vão ter que devolver os carrões e deixar de frequentar restaurantes de luxo. Não sabem o que dizem.

              • Barata fico puto de não ter continuidade, o PDT se vingou querendo apagar tudo que o Capi fez. O sacaca tá um lixo. Curiaú idem, estádio… enfim triste.

                É verdade amigo, tem gente que prefere a Praça do Buritizal que o Monumento Marco Zero, prefere a Praça do Coco do que o Sambódromo, prefere o Parque do Forte(lugar bonito), do que o Estádio, a grandeza das estruturas falam por sí. Querendo ou não, os únicos que fizeram obras públicas com volume na paisagem da sofrida e feia da capital do Amapá, foram os construtores da Fortaleza no passado e o Capiberibe nos tempos modernos do Amapá, e claro Deus pelo rio Amazonas. Macapá tem 3 referências, Fortaleza, Marco Zero e Amazonas. Qual a marca do PDT?! Roubo. Obras inacabadas e 1 ponte que depende de BALSA pra chegar, e ainda tem a cara de pau de fazer marketing da ponte dizendo que integrou o estado por via terrestre!
                Ops! Falta uma ponte, né?! kkk. Ainda bem que acabou a mamata.

  • Tem gente que gosta de desviar o foco do post em questão, para a administração do Capi. É muito engraçado. Naquele governo houveram muitas falhas sim, mas nada perto dos devaneios e desmandos que ocorreram nos últimos oito anos, os quais resultaram em uma porrada de operações da FEDERAL, a mando do STJ, cujo resultado é de domínio público. Só os “cegos” e viúvos da harmonia que tentam, de forma inócua, querer desviar o cerne da questão.

  • Amapá produtivo, produziu cargos até onde entendi, o projeto era fomentar o emprego e qualidade de vida, gente fomentou. Rsrsrsrs…

    Passou, só quero saber quando retornam os recursos desviados ao longo da harmoniosa gestão. Justiça? Acorde, falta celeridade, os cofres públicos do Amapá estão secos.

  • Tem que mandar embora. Demitir. Será que o governo tem que ser pai de todos? É verdade que os caras precisam trabalhar. Mas será o governo a única alternativa? A grande parte quer é mamata. Ganhar sem trabalhar. E isso começou não foi no dito governo da harmonia, não.

  • O que está ocorrendo é justo, porém não podemos deixar estes cargos vazios, os quais devem se ocupados imediatamente pela galera concursada, aí sim seria mudança, onde haveria uma política de formação, qualificação e valoriação do servidor público e da população que necessita de pessoas qualificadas para lhes servir! O Estado precisa rever suas ações ao simplesmente manter contratos administrativos sem uma política trabalhista adequada. Alcilene, me diga, se você souber, quando o governo pretende chamar os concursados de 2009 das áreas de infra-estrutura, gestão e principalmente setor econômico, o que foi promessa de campanha? Pois sabe-se que são nesas áreas que os contratos rolam soltos. Até o momento só se sabe que no Rurap foram extintos os contratos para dar lugar aos concursados, mas e aí? Fico grata se conseguir algum burburinho a respeito.

  • neste porta retrato poderiam fazer uma homenagem as ex miss amapa que muito fizeram pore representar o estado e hoje ficaram esquecidas pelo tempo.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.