Boa notícia para o Amapá

O PIB do Amapá – a soma de todas as riquezas produzidas pelo Estado -, referente a 2012, obteve crescimento nominal expressivo de 16,19% se comparado ao do ano de 2011. Na série histórica, entre 2002 e 2012, houve mudança na participação da economia nacional de 0,2% para 0,3%. No atual levantamento, o PIB amapaense ultrapassou os R$ 10,4 bilhões e O PIB per capta chegou a quase R$ 15 mil, o que representa um crescimento de 13,81% em relação a 2011, ocupando a quarta posição no ranking dos estados no Norte.

Os números foram divulgados na sexta-feira, 14, na sala de reuniões da Secretaria de Estado do Planejamento (Seplan), pela economistas Regina Célis, da Coordenadora de Pesquisa e Estratégias Socioeconômicas e Fiscais da instituição. A apuração é feita em parceria com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Para o secretário da Seplan, o economista José Ramalho de Oliveira, o crescimento exponencial do PIB estadual de 2012 representa avanços na economia amapaenses, que superou as dificuldades financeiras deparadas no primeiro ano de gestão do governo atual. “Para o Estado, isso significa que a economia vem se consolidando, tanto em valores físicos quanto na quantidade de riquezas produzidas”, avalia.

Na análise dos setores econômicos, observou-se aumento do setor primário em 13,58%, o qual participa com 3,2% do total das riquezas produzidas no Estado. No setor secundário, o aumento foi de 53,38%. A atividade representa participação de 11% da economia local. No terciário, o aumento foi 11,32%, com participação do PIB, de 86%.

“O setor secundário obteve o melhor desempenho na economia. O aumento ocorreu influenciado pelo crescimento da indústria de transformação [66,37%] e da construção civil [89,46%]. Esses setores refletiu positivamente no serviço de transportes de carga, que cresceu 35,86%”, analisa Regina Célis.

O crescimento expressivo do setor da construção civil, segundo a economista, ocorreu em função das inúmeras obras erguidas no Estado, tanto no setor público quanto no privado; obras formais e, principalmente, as informais, como as obras residenciais. “E nesse ensejo, o setor imobiliário demonstra sua força, crescendo 9% em 2012”, destaca a economista.

O PIB de 2012 revelou que a dependência da atividade da administração pública diminuiu 1,4 p.p em relação a 2011. “isso é um ponto positivo para o Estado, uma vez que essa redução demonstra crescimento do setor privado, em diversas atividades econômicas”, observa.

Ari Silva. Diretor de Marketing e Expansão
Ari Silva. Grupo Santa Lúcia

Retração

O setor extrativista apresentou diminuição na partição do PIB, influenciada, de acordo com dados da Balança Comercial, pelo preço das commodities no mercado externo e não pela queda na produção.

Segundo informações do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio, a balança comercial de em 2012 registrar queda nos preços dos minérios, porém, destaca um crescimento no volume das exportações, 24% maior que em 2011.

Melhor resultado nos últimos dez anos

Na avaliação da equipe de economistas e estatísticos da Seplan, que elaborou o estudo do PIB, o ano de 2012 se destaca por ter obtido o melhor resultado da economia nos últimos dez anos.

Quanto à divulgação do PIB Municipal, a Seplan vai divulgar, no dia 11 de dezembro, as informações das riquezas geradas por cada um dos 16 municípios amapaenses.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *