Bares, Boates e Casas Noturnas são fechadas pela PMM

A operação do sistema de fiscalização e grupamento ambiental da GMM fechou no último final de semana bares, boates, mini box e casas noturnas. A ação objetivou diminuir os índices de poluição sonora, resíduos sólidos, horário e alvará de funcionamento e a comercialização de bebidas alcoólicas.  Segundo o secretário Eraldo Trindade, o principal alvo desta ação são os comerciantes que já foram notificados ou autuados em operações anteriores. “O bar parada obrigatória, por exemplo, foi notificado várias vezes e até agora não regularizou a situação. As pessoas precisam saber que há uma legislação a ser cumprida e precisam regularizar seu estabelecimento”.

Ambientes com música alta ou atuando fora do horário pré- estabelecido pelo código de postura também foram interditados. “Mesmo se eles tivessem com o alvará de funcionamento, a equipe de fiscalização tomaria as devidas providências. Todos os dias recebemos denúncias de moradores que residem as proximidades reclamando do volume alto nos finais de semana”, frisou o diretor de fiscalização Robson Picanço.

O material apreendido foi destruído no final da manhã desta terça-feira ( 19), no aterro controlado: centenas de garrafas de whisky, vodca, latas de cerveja, garrafas de álcool  e água ardente.

 

No total mais de 20 estabelecimentos foram fechados: Mini Box Lino ( sem alvará ), parada obrigatória e Mini Box Dantas (sem alvará  ) , comercial Guanabara ( sem alvará ), Võo livre ( sem alvará ), bar vermelhão (poluição sonora), mercantil baratão ( sem alvará), Boate Deep (sem alvará ), snack bar e restaurante (fora do horário de funcionamento), American Bar e Choperia ( fora do horário de funcionamento) e Bahamas Executive Club ( fora do horário de funcionamento) .

 

Coordenadoria de Comunicação – Andréia Freitas – Assessora/Semur

 

 

  • ótima inicitativa da PMM, moro perto de um desses mercantins e sofro como tanta perturbação,barulho, bebedeira e brigas, mas, infelizmente a PMM fecha, notifica e nos outros dias eles voltam a funcionar novamente com a mesma bagunça nas madrugadas. Acho que tem que haver uma punição maior pra essas pessoas, a falta de respeito da parte desses proprietários e frequentadores é imensa.

  • Parabens a PMM. Poderiam fiscalizar também os vizinhos que amanhacem tomando todas e não deixam as pessoas terem uma noite de descanço. Tem dias que minha filha de 1 ano e meio não dorme a noite, por que o vizinho põe uma caixa amplificada pra fora de casa e fica a noite toda no ultimo volume.

    Obrigado!

  • Acho justo! Eu AMO festas e quanto mais ela durar, pra mim, melhor. Mas o problema aqui em Macapá é que tudo começa muito tarde. E a razão pra isso é que as pessoas criaram esse hábito… se começar a realmente fechar cedo, as pessoas vão chegar mais cedo e tudo vai melhorar.

  • Será que vai haver de novo pedido de desculpa pelo prefeito aos empresários? Principalmente àqueles peixes grandes ( Deep e Bahamas)

    • Pior que ‘e verdade. O Povo da Vigilancia Sanit’aria t’a mordido com as declara’c’oes do Roberto Goes (Prefeito de Macapa – PDT).
      As den’uncias est’ao no MPE sobe o caso dos Supermercados… Ser’a que ele vai ter coragem de novas declara’c’oes contra a atuacao de funcionarios publicos?

  • este negocio das festas ai em MCP começarem as duas da manhã é um absurdo isto não existe em lenhum lugar do mundo, o dia a manhece e tem neguinho bebado com seu carro com todo o volume na beira mar, nossa que ridiculo, e com este negocio em macapá de todo mundo conhecer todo mundo fica uma coisa de cumadre e o cara acaba não cumpreindo lei, aqui em Recife as 7 hs da noite eu já estou tocando meu pianinho e as 9 da noite já vou pra outro PUB tocar ai em MCP os Gigs de Barzinho começam 11 da noite rsrsrsr(olha eu vou te falar mano), enfim é um coisa cultural e ainda vai demorar um tempo pra normalizar e ja dor de cabeça pro Heraldo Trindade…

    • Verdade,essa cultura de todas as festas aqui começarem na madrugada é UÓ.Há 03 anos morando aqui, não vou em casas noturnas por conta disto,pois onde morava antes(RJ),os hs são bem mais cedo,às 16hs já tem restaurantes com música ao vivo e baladas tb.Muitos destes estabelecimentos encerram seus expedientes às 24hs.Aqui em Macapá enquanto uns voltam das baladas, cachaçadas, dirigindo bebados e perigosamente,colocando em rísco vidas humanas,outros estão se dirigindo aos seus trabalhos e se exspondo à risco nas ruas da cidade.Medidas mais duras deveriam ser tomadas por parte das autoridades locais.

  • Até que enfim!!! Uma sugestão para a próxima ação: Haras (zona norte)!!! Festas de segunda a segunda pra meia duzia de gatos pingados e o som às alturas!!! Nada contra a diversão alheia, deste que essa impossibilite a paz no meu santo lar!!

    • Oremos Alinne….essas festanças nos haras realmente é algo difícil de aceitar nas nossas madrugadas e durante o dia também…ninguém consegue conversar dentro de casa se não for no grito por causa do som de lá…e olha que moro a uma certa distancia…mais parece que está dentro da minha casa…égua!!!mais não é pai d’égua.

  • Espero que essas ações nao sejam passageiras. Na minha opinião os gestores municipais deveriam pedir o apoio da PM para dar segurança as fiscalizações, pois esse guardas municipais não possuem o minimo preparo para lidar com o público. O ocorrido com o policial militar é uma prova do total despreparo dessa categoria. Para o bem da sociedade eles não podem usar arma de fogo.

  • Aqui em Porto Velho é mais ou menos no ritmo de Macapá quanto ao horário,e poluição sonora é muito frequente no grupo que participa da Ressocialização Ambiental do MP-RO; já em Rio Branco – Acre a maioria fecha cedo, no máximo até 1h.

  • Alcilene, queremos pedir ajuda para denunciar a poluição sonora que a associação campestre da saúde, que fica na rod. JK, em frente ao motel Treviso, faz ás segundas feiras, imagine.É um treme terra que não nos deixa dormir.O som vai até 3, 4 horas da manhâ. Moramos ao lado do motel Treviso e agradecemos se as autoridades tomem as providências necessárias.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *