Baixa de temperaturas na região sul e os impactos das mudanças climáticas

Nas últimas semanas, fomos impactados por muitas notícias desastrosas sobre as crises climáticas em várias partes do mundo. Na Alemanha, inundações invadiram ruas e destruíram casas deixando mortos e feridos. Os incêndios florestais no Canadá chegaram a queimar uma cidade inteira. Com uma onda de calor recorde, os incêndios nos Estados Unidos consumiram mais de quatro mil quilômetros quadrados. A China também está sendo alvo de fortes enchentes.

Inundações causaram mortes e grandes estragos em cidades da Alemanha. Imagem: Portal G1.

Estados Unidos e Canadá tem atravessado uma onda de calor intensa, com temperaturas batendo 50 graus Celsius, chegando a causar a morte de mais pessoas devido ao calor. Imagem: O Tempo.

 

Os animais também não tem resistido. Na foto, e possível ver uma estrela do mar e vários mariscos mortos. Acostumados com temperaturas mais amenas, estes animais não resistiram a grande mudança de temperatura. Fonte: Portal Uol.

No Brasil, as baixas temperaturas dos últimos dias também vêm causando espanto. O frio negativo chegou até Minas Gerais. A temperatura mais baixa foi registrada na cidade de Bom Jardim da Serra, em Santa Catarina, com -7,5ºC.

Neve na Serra Catarinense. Devido ao acúmulo de neve, estradas tiveram que ser fechadas para evitar possíveis acidentes. Imagem: Portal Uol.

Segundo o Professor Pedro Luiz Cortês, do Instituto de Energia e Ambiente da USP, sucessivos relatórios do painel de mudanças climáticas da ONU, vêm apontando para ocorrência de fenômenos climáticos extremos como uma das consequências das mudanças climáticas no mundo.

O Relatório será divulgado ao fim do ano.

Ainda segundo o professor, os eventos climáticos extremos, estão cada vez mais frequentes, segundo os diagnósticos do painel intergovernamental de mudanças climáticas.

“Chegou o momento de acreditarmos mais na ciência, nos prognósticos climáticos e tomarmos mais providências”, comentou o professor.

No Brasil, nas regiões sul e sudeste as temperaturas estão muito baixas. Pela climatologia do país pode nevar, nos meses de junho e julho acontecem episódios de nevascas, apesar de serem pouco comuns, são previstas na região, já havendo histórico de temperaturas negativas e maior acúmulo de neve. Ou seja, é comum nevar em alguns locais do sul do Brasil, porém ainda é algo que espanta os moradores das outras regiões.

Isso acontece devido a dois fatores, a massa de ar polar, e o ciclone extratropical. A massa de ar polar é uma massa de ar que se forma nos polos, dependo de onde a mesma vem ela pode ser seca ou úmida, se a massa vem do continente, ela vem fria e úmida, porém se vem de uma região dos polos ela deve vir seca e fria, mas sempre virá fria.

O ciclone extratropical é um centro de baixa pressão localizado no oceano atlântico sul, podendo ser enquadrado como fenômeno meteorológico, mas que sempre permanece no oceano devido ao movimento gerado com o movimento de rotação da terra, sendo um fenômeno móvel, que se move latitudinalmente dependendo da estação do ano. No período de inverno no hemisfério sul, o ciclone pode se encontrar mais próximo ao continente, podendo se associar a uma massa de ar polar, que está chegando ao continente.

Ciclone Extratropical na região sul do país. Este ciclone pode causar ventos de até 100 km/h.  Imagem: Metsul.

No caso, os episódios destes fenômenos meteorológicos geraram este inverno mais forte, com quedas bruscas de temperatura.

Porém, especialistas alertam que o inverno nas regiões sul e sudeste tem sido em média mais quente, com temperaturas chegando próximo a 30 graus celsius em pleno inverno.

Mais eventos meteorológicos não habituais podem ocorrer em outras partes do mundo, e a falta de chuvas  bem como um verão mais quente podem vir a afetar o Brasil.

 

Agradecimento: Victória Amorim, Meteorologista e Doutoranda pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE).

Assista a pequena entrevista do professor Pedro Luiz Cortês concedido ao portal Uol:

https://noticias.uol.com.br/videos/2021/07/29/frio-no-brasil-e-chuvas-na-europa-por-que-eventos-climaticos-estao-mais-frequentes.htm

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.