Ações de prevenção à dengue e ao Chikungunya ganham reforço no Amapá com campanha nacional

A Coordenadoria de Vigilância em Saúde (CVS) da Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) ganha um forte aliado nas ações de combate e controle da dengue e da febre Chikungunya, as duas doenças causadas pelo mesmo mosquito, o Aedes Aegypti.

O Ministério da Saúde lançou nesta terça-feira, 4, a campanha nacional de prevenção às doenças, com o objetivo de divulgar as orientações sobre como evitar a proliferação do mosquito e alertar a população sobre a gravidade das enfermidades.

No Amapá, a CVS, em parceria com as prefeituras e diversas instituições, como o Exército Brasileiro, vem executando um plano de contingência que se concentra em Oiapoque, área mais afetada pela febre Chikungunya, para conter o avanço da doença. São ações de monitoramento, de eliminação dos criadouros, orientação à população, capacitação de profissionais, orientação técnica aos municípios relacionados ao bloqueio de transmissão e organização da rede assistencial.

Segundo a coordenadora da CVS, Angélica Lima, o modo de prevenção e transmissão dos vírus da dengue e chikungunya são iguais, portanto, as ações de combate e os cuidados devem ser os mesmos.

Dengue

De acordo com os dados da CVS, em todo Estado do Amapá foram notificados 1.875 casos de dengue, sendo 659 confirmados, 7 casos graves e 1 óbito (Laranjal do Jari). O que chama atenção este ano é o registro de uma epidemia da doença em Laranjal do Jari que, até o ano passado, não tinha nenhum caso da doença. O município tem hoje 895 casos notificados e 445 confirmados de dengue e óbito.

“Os demais municípios do Estado estão se mantendo dentro da estimativa de casos esperada, até com redução de registros, em função das ações reforçadas. Na capital, são 418 casos notificados e 184 confirmados” destacou Angélica Lima.

Chikungunya

Segundo a CVS, foi registrado no município de Ferreira Gomes, o primeiro caso suspeito de febre chikungunya. Trata-se de um paciente de Oiapoque. O Amapá tem registradas 760 notificações da doença. 476 casos confirmados. Oiapoque continua com o maior registro da doença. O município tem 714 casos suspeitos e 470 confirmados.

Em Macapá, são 43 notificações e 5 casos confirmados, sendo um importado de Guadalupe e os demais de Oiapoque. Santana mantém dois casos, sendo um da Guiana Francesa e outro que foi descartado.

Cleide Freires/Sesa

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *