A REBIO do Piratuba está em perigo. Muito fogo em seu entorno

São incêndios florestais, a maioria pra fazer pasto, que se alastram nessa época do ano atingindo todo o eecossistema.

A chefe da Reserva Biológica do Lago Piratuba, Patrícia Pinha, informou ao blog que a pressão de incêndios ao longo de todo o limite oeste da unidade de conservação é muito grande. Muitas vezes os incêndios tem início no entorno e acabam por se alastrar para a REBIO.

Outras vezes os incêndios tem início dentro da reserva em razão da captura ilegal (sem autorização) de búfalos alongados (asselvajados) por vaqueiros dos municípios de Pracuúba, Amapá e Tartarugalzinho.

Esses búfalos se dispersaram ao longo do limite oeste em razão da falta de controle adequado da atividade pecuária de um modo geral no Amapá, incluindo o entorno da Reserva Biológica do Lago Piratuba, e causando vários problemas ambientais na região.

Há um Termo de Ajustamento de Conduta-TAC, assinado entre os pecuaristas do entorno da REBIO e Ministério Público Federal, que está sendo executado.

Porém o fogo continua e os búfalos seguem sem controle.

Incêndios entorno perto limite reserva biológica

Incêndios perto da reserva biológica

  • Pra mim não é novidade, a uns vinte anos atras, fizemos uma denúncia junto ao IBAMA, sobre a agressão que a reserva estava sofrendo, devido ao projeto do prefeito da época, que queria transformar o município de Tartarugalzinho no maior pólo de pecuária do Amapá, para isso ele subornou fiscais do IBAMA, colocou trabalhadores braçais no igarapé do Tabaco (vinte homens), bico-jato e passagens de búfalo na Terra firme e Lago Novo, com o propósito de baixar a água dos lagos para criar pastagens, conseguindo com isso seu intento. Para os eco chatos entenderem o que estou dizendo, basta comparar uma imagem de satélite de quinze anos atrás e uma atual, a diferença é visível.
    Agora misture tudo isso e acrescente a turfa formada pela vegetação aquática seca pela falta de água e a sedimentação natural, (turfa é um combustível) fazendeiros no entorno da reserva mandando caçar búfalos arredios, inclusive com vaqueiros experientes do Marajó. Não me surpreende não, o MPF deveria investigar quem são os fazendeiros do entorno da REBIO, uma dica: Ex-funcionário do IBAMA, Ex-deputado e atualmente Conselheiro do TCE, afastado por currupção.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *