A oportunidade do Amapá

Por Charles Chelala

Economista, professor, Mestre em Economia Regional

A situação atual do Estado do Amapá não parece nada animadora, com altos índices de desemprego, obras paralisadas e medíocres indicadores sociais.

Entretanto, o futuro tende a ser promissor diante de diversos fatores que, se forem aproveitados pelo próximo governo, promoverão um salto no desenvolvimento econômico e na geração de emprego e renda locais.

No período de governo que sucede ao atual, deverão ser implantadas em definitivo a Zona Franca Verde e a Zona de Processamento de Exportações, dois regimes aduaneiros especiais que conferirão vantagens consideráveis ao Amapá na atração de investimentos privados.

Também nos próximos anos serão construídas três hidrelétricas, uma no Jarí e duas no Araguari (duas delas já leiloadas e uma em processo de licenciamento ambiental) que juntas investirão mais de R$ 3 bilhões no Amapá, gerando aproximadamente 7,5 mil empregos diretos. As usinas e a interligação ao sistema nacional de eletricidade devem resolver o problema histórico de energia para novos empreendimentos.

A soma de investimentos públicos previstos para o próximo período também deverá ser inédita, com recursos federais (PAC), empréstimo do BNDES e aumento da capacidade de investimento próprio do Estado.

No comércio exterior, alguns dos principais produtos de nossa pauta de exportação apresentam tendência de preços e demanda crescentes, como o minério de ferro, o manganês, a cromita e o açaí, ampliando a geração de divisas e, dependendo de uma ação eficaz do futuro governo, deixem de ser exportados em sua forma primária e passem por processos de industrialização.

O Amapá também reúne condições ideais para ingressar no agronegócio da produção e beneficiamento de óleo de palma (dendeicultura), um dos setores que mais cresce no mundo.

Igualmente se espera para breve o aproveitamento econômico de recursos da biodiversidade e o usufruto de compensação financeira por redução de desmatamento e degradação, via créditos de carbono no mercado internacional.

Aqui foram apresentadas apenas algumas das oportunidades que se abrem para o Amapá. Para aproveitá-las, será necessário que o próximo governador tenha visão estratégica para transformar a matriz econômica deste Estado, no sentido de potencializar o desenvolvimento econômico.  Esta é a chance de começarmos a superar a economia do contracheque.

  • Taí!Ainda bem que veio alguem esclarecido mostrar parte do potencial do estado.Ou seja,se o amapaense votar no candidato sem ranço,sem perseguição,que se preparou anos a fio para esta missão,todos seremos felizes.Basta querer e acreditar,LUCAS14 neles!!!

    • Corroboro com seu comentário e afirmo o professor Chelala,tona-se assim um referencial da segurança exigida para efetivarmos a verdadeira mudança que o estado do Amapá necessita, ele e outros colaborados que compoem a equipe do nosso futuro governador estão preparados para implanta-las.Vamos concientizar nossa população, esclarecer a mesma que preciso mudar que não se muda retrocedendo ou usando as mesmas idéias de outrora.
      Grande Abraço.

  • Parabéns Chelala pelo artigo… todos nós esperamos isso, emprego e desenvolvimento!! … O Waldez Goés não tinha ranço, não era perseguidor, foi um governo prospero, e parou na cadeia, precisamso de governador comprometido com o povo, que faça as mudanças necessárias, com austeridade!!

  • Boa tarde, quero dizer a todas as pessoas que acreditam que podemos conscientizar alguém, que estão muito enganadas, visto que ninguém pode conscientizar outrem, pois a consciência de algo ou alguma coisa é um processo complexo oriundo da vivência de cada pessoa. Grande parte da população não entende o que foi muito bem escrito pelo professor Charles, nem faz idéia dos benefíos que isso trará para suas vidas, pois nâo estudou, não sabe como é feito e o que é necessário para implementar projetos. Infelizmente a única vivência que muitos tem é a de terem que sobreviver dia após dia, tentando imaginar se amanhã terão comida, se estarão “saudáveis” para que não precisem da saúde pública, se terâo emprego ou uma casa para morar. Essas pessoas, muitas das vezes não querem saber o que um bom gestor fará, quais suas propostas e da facticidade das mesmas…elas querem o imediato, desejam saber quanto os candidatos estão dispostos a pagar por seu voto, pois elas não sabem o que O VOTO representa e como influencia sua vida, só sabem que são obrigadas à ir, e já que devem ir e enfrentar uma fila, então é melhor fazer tudo isso com um dinheirinho no bolso. Há também aqueles que só votam em um candidato por causa dos benefícios pessoais que obterão com a eleição de seu candidato…aff, é tanta coisa…E INFELIZMENTE, É POR TUDO ISSO, QUE EXISTEM POLÍTICOS QUE NUNCA ACABARAO COM A MISÉRIA, COM O ENSINO PÚBLICO DE MÁ QUALIDADE, COM O SUCATEAMENTO DO SUS E SEGURANÇA PÚBLICA…pois esse sistema “cria” as pessoas que vendem ou trocam seu VOTO…
    Daqui há dois meses serei enfermeira, e como ninguém, a enfermagem chega às mazelas da população, a educação e saúde e uma maneira que eu encontrei de falar para a comunidade a influência da política em sua vida…sei que dessa forma contribuo para a SENSIBILIZAÇÃO DAS PESSOAS QUANTO A ESCOLHA DE POLÍTICOS SÉRIOS E COMPROMETIDOS COM AS CAUSAS DO POVO, E NAO COM AS DE UMA MINORIA.

    • Parabens pela profissão escolhida e pela explanação enviada.São de pessoas como voce,livres,apartidárias e de bom senso que a nossa população precisa.Continue na sua luta,não esmoreça nunca e faça a sua parte sempre que terás sucesso.
      Mais uma vez parabens

    • Parabésn pela sabedoria que tens das melhorias e avanços que o Estado precisa e por lutar pelo voto consciente. O voto inconsciente(ou vendido/comprado) é àquele no qual maus politicos se apoiam p/tornar a vida de muitos(povão e incautos), um inferno e as suas um paraiso sem fim ou com data marcada,como acabou de acontecer neste Amapá.

  • Sinceramente e pensando cá com “os meus botões” as pessoas do “Harmonia”,como o “Collor” tambem,prestaram um bom serviço ao amapá.Explico;se não fosse a burrice deles,misturada com a ganancia e a falta de carater de alguns,o amapá seria levado,aos poucos é claro,à mesma situação de penuria de alguns estados do Brasil.
    Obrigado “Harmonia”

  • Muito oportuno os comentários do professor, temos um estado rico, que não pode apenas se orgulhar de ser o mais preservado. Temos que ser desenvolvido, gostaria muito de ver o nosso cerrado produzindo alimentos, nossa costa produzindo petróleo, nosso distrito industrial recebendo industrias, preservar é importante mas não a custa da miséria do nosso povo, como é o caso das grandes reservas criadas no estado sem nenhuma contra-partida do governo federal. Lembro que em nome de um programa de desenvolvimento sustentável (PDSA) muitos
    projetos foram rejeitados/ignorados, isso não pode mais acontecer.

    • Programa este, que é copiado mundialmente, no Brasil e fora dele. O ACRED é menor que o amapa, e acessa mais recursos, avanca em todos os indicadores e é referencia em estado modelo pro desenvolvimento. La, o Programa é o PDSA. E o povo da uma mostra que o PDSA era o melhor programa, capi e janete eleitos, e camilo com chances reais de se eleger. Veja exemplos como o Pernambuco e o rio grande do norte, ambos governado pelo PSB, tiveram 80% dos votos do primeiro turno, eduardo campos e casagrande, os projetos que camilo defende para o povo, alguns foram implantados la, como o professor conectado, mae coruja, etc.. e Sao sucesso no estado. O povo precisa de Mais e merece Mais, por isso vai eleger CAMILO 40!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *