A terceira via

* Ruy Guarany – Jornalista. Publicado em http://www.diariodoamapa.com.br/cadernos/principal/artigos/item/9683-a-terceira-via

Por decisão do Diretório Regional, o Psol lançou o economista Charles Chelala como pré-candidato ao governo do estado. Muito embora a indicação dependa de confirmação, durante as convenções partidárias que ocorrerão no período de 10 a 30 de junho, Charles Chelala surge como uma opção viável para valorizar a disputa política.

Nome respeitável, dotado de preparo, com conhecimento pleno da ciência econômica e gestão pública, a indicação está sendo recebida com agrado pelos segmentos da sociedade amapaense que vê no pré-candidato qualidades que se identificam com a atual realidade do estado.

Ora exercendo o importante cargo de secretário de governo, na Prefeitura de Macapá, Chelala vem mostrando capacidade e competência para manter o equilíbrio das contas públicas, cujos resultados começam a fluir em benefício tanto da sede Macapá quanto dos distritos municipais.

Sabendo-se que a economia não é uma ciência exata, o profissional da área precisa estar atento sobre tudo o que acontece no contexto econômico nacional, para poder analisar e adequar, de acordo com as necessidades da população, da região em que atua. E isso Charlhes Chelala sabe fazer muito bem.

O pré-candidato do Psol se apresenta como terceira via capaz de evitar a polarização da velha política e oferecer ao Amapá novos métodos de governar com conhecimento de causas, primando pelo equilíbrio das contas públicas e priorizando ações que atendam as reais necessidades do estado e da sociedade.

Causou mal-estar, no âmbito político e nos segmentos sociais, as decla-rações do senador João Capiberibe (PSB-AP) contrárias à decisão do Psol de concorrer com candidato próprio à sucessão estadual.

O mal-estar ocorreu até porque a democracia, conquistada pelo povo brasileiro em monumentais manifestações contra a ditadura, restaurou a liberdade em nosso país, o direito de ir e vir, o voto livre e soberano, a independência dos partidos políticos para tomarem decisões isentas de interferências estranhas que contrariam as normas partidárias.

  • Bem, os governos do PSB não viabilizaram mudanças significativas. Não vimos desenvolvimento socioeconômico. O governos do PDT, teve o mesmo comportamento,ou seja nada acrescentou , em busca do desenvolvimento, pior ainda, expôs, ao mundo, a face cruel de um governo sem nenhum compromisso com as demandas sociais,a CORRUPÇÃO.
    Portanto, entendo que com os fracassos históricos, O PSOL passa a ser a primeira via. Errar é humano permanecer no erro é burrice.

  • Só ouço falar bem desse Sr.,então é mais uma opção nocenário politico e é sempre bom apostar no novo,desde que este novo tenha visão e capacidade para enfrentar velhos e antigos desafios.Administradores devem atentar para as necessidades da população como um todo e não para necessidade de pequenos grupos.

  • Sem sombra de dúvida não queremos mais 4 anos de PSB. Já se foram 12( 8 do Capi + 4 do Camilo). Além de serem maus gestores públicos. De PDT já e foram 8 anos de Waldez, péssimo gestor também. É evidente que os nossos candidatos tucujus (Capiberibes e Góes) estão querendo implantar a sua oligarquia aqui no Amapá, como Sarney fez no Maranhão, acham que as suas familias são a solução para os problemas do povo do Amapá. A gestão desses governantes do passado mostrou que eles são do passado e que não são a solução que o povo espera. O Amapá merece mais, Chelala governador.

  • sim o psol esta administrando a prefeitura da capital do estado mais se sabe que antigo gestor deixou uma divida de mais de 230.000.000 milhoes de reais e quem esta dando uma força consideravel é o governo do estado na pessoal do governador camilo capiberibe então eu não justo cuspi no prato que se come. Pela hipocrisia politica fico com camilo governador de novo

Deixe um comentário para custodio Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *