“Não se pode admitir meia transparência”, afirma Capiberibe sobre portal da ALAP

O senador João Capiberibe esteve presente na manhã desta segunda-feira, 2, ao lançamento do novo portal da transparência da Assembleia Legislativa do Amapá (ALAP). Durante o evento ele lamentou o fato de o novo portal não ter sido apresentado ao público, houve apenas uma apresentação da página principal, sem mostrar os detalhes do tipo de informação que a Assembleia Legislativa está disponibilizando, isso impediu que fosse feito um debate em torno do tema. “Se a apresentação fosse feita, os presentes poderiam constatar que o portal da AL é pouco transparente e não se pode admitir meia transparência”, afirmou Capiberibe.
Após acessar o portal da transparência da ALAP, Capiberibe, que é o autor da Lei Complementar 131/09, conhecida como Lei Capiberibe, que institui a transparência nas contas públicas, detectou diversos erros e omissões cometidos pela instituição. Segundo o senador “O Portal da Transparência da ALAP necessita de medidas urgentes para que possa atender os requisitos que a Lei impõe”.
Verba Indenizatória
Com relação à verba indenizatória existem coincidências nos valores gastos por parlamentares da Casa que merecem avaliações mais detidas. Por exemplo, três deputados: Edinho Duarte, Dalto Martins e Junior Favacho, gastaram durante o mês de novembro de 2011 exatos R$ 49.500,00.
Dados como os salários dos funcionários, tanto de carreira como comissionados, foram omitidos. É flagrante a falta de detalhamento nas despesas, divididas em algumas rubricas: despesas com passagens e locomoção, material de consumo, outro serviço pessoa física e/ou jurídica. “Todos esses fatores dificultam para o contribuinte identificar em que estão sendo gastos os recursos da Assembleia Legislativa do Amapá”, afirma João Capiberibe.
Assessoria de Imprensa
Sen. João Alberto Capiberibe

  • Concordo com o senador Capiberibe, existe muita coencidência nos gastos de alguns deputados! Fica aqui a critica para que o portal da transparência da ALAP melhore!

    • Já q é pra melhorar, peço q o filho do pai da transparência tbm faça ajustes na seu portal… VIVE DANDO ERRO!!!

    • As declarações contidas no portal são vergonhosas ( TABELADAS). Não existi transparência alguma. É uma vergonha. O povo do Amapa precisa acordar já passou da hora.

  • Por enquanto é o PORTAL DA INDECÊNCIA. Somente depois de colocar TODOS os dados desde maio/2011, conforme determina a Lei é que poderemos considerar de PORTAL DA TRANSPARÊNCIA.

  • O problema está no fato de que, lei que vem do Vongresso Nacional, não tem muita consistência. Se algum gestor público entender de não cumpri-la, nada a fazer. O Estatuto Nacional do Idoso é um exemplo,que é ignorado até pela Justiça.

  • A esperteza esta nas transferencias para ONGs e Instituições privadas, desses ninguem vai atrás, com isso ninguem acaba

  • QUEM ESPERA TRANSPARENCIA DE CERTOS ÓRGÃOS PÚBLICOS COMO NO CASO EM TELA ACREDITA EM PAPAI NOEL. OU COMO DIRIA A MINISTRA ELIANA CALMON: “SÓ QUANDO O SARGENTO GARCIA PRENDER O ZORRO’.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *