Repiquete no Meio do Mundo

Um blog feito na esquina do Rio Amazonas com a Linha do Equador, no Amapá.

Funcionários do IBGE encontram dificuldades para realizar pesquisas por causa de boato em rede social

Alcilene Cavalcante em 28 de agosto de 2014

Em apenas uma semana, dois Agentes de Pesquisa e Mapeamento do IBGE tiveram dificuldades em realizar trabalho de coleta em campo.
A primeira situação foi em Porto Grande. Populares chamaram a polícia que após averiguar a documentação do agente e entrar em contato com o supervisor, atestou que o mesmo estava no exercício de suas atividades.

No segundo caso, apesar de o agente ter apresentado crachá, identidade, equipamento de coleta e mapa, o policial se recusou telefonar para o IBGE  e confirmar as informações. Conduziram-no ao prédio do Instituto e verificaram que era verdade.
Infelizmente, tal procedimento causou transtorno ao trabalho a ser executado na área. O agente acabara de chegar no local, portanto, não realizou suas atividades e, ao retornar, corre o risco de a população continuar duvidando que seja funcionário do IBGE. Em ambos os casos, as pessoas fizeram referência a um boato que circulou nas redes sociais sobre alguém se passar por agente do IBGE para efetuar assaltos. Não há nenhum caso relatado na imprensa local sobre tal situação.

Em vista dos fatos acima expostos, a Unidade Estadual do IBGE no Amapá vem a público informar:

1) que realiza continuamente pesquisas com entrevistas nos domicílios e também, permanente trabalho de atualização do cadastro de endereços;

2) todos os nossos Agentes de Pesquisa e Mapeamento possuem crachá com identificação e equipamento de coleta;

3) para confirmar se a pessoa é funcionária do IBGE, entre em contato com os telefones:
0800 721 8181 (apenas de telefone fixo)  ou
3082 2700
3082 2702
3082 2709;

Atenciosamente,

UNIDADE ESTADUAL DO IBGE NO AMAPÁ

Internet

Alcilene Cavalcante em 26 de agosto de 2014

A internet segue atrapalhando a vida do amapaense, das empresas e do desenvolvimento. Atrapalhando o trabalho e o lazer.

Sim. Por que o mundo gira pela internet, agora.

A Agência Nacional de Telecomunicação (Anatel) divulgou que alguns problemas no Linhão do Tucuruí foram os responsáveis pela queda do sistema que deixou o Amapá praticamente sem internet.

O gerente da Anatel, Edwart Aires disse ao site SelesNafes.com que “Provavelmente uma atitude criminosa desligou os cabos, fato que será investigado, pois os cabos ficam a mais de 20 metros de altura”.

 

Começa hoje sabatina com candidatos ao governo do estado e entidades empresariais

Alcilene Cavalcante em 26 de agosto de 2014

A sabatina é organizada pela Fecomércio, com o apoio das demais entidades empresariais, e serão realizadas na sede do Sebrae, no auditório Santana, conforme a programação abaixo.

O local estará aberto apenas aos empresários do comércio e convidados.

Dia 26 de agosto de 2014

Bruno Mineiro – das 18h30 às 20h

Waldez Góes – das 20h30 às 22h

Dia 27 de agosto de 2014

Jorge Amanajás – das 18h30 às 20h

Lucas Barreto – das 20h30 às 22h

Dia 28 de agosto de 2014

Camilo Capiberibe – das 18h30 às 20h

 

Gente bonita do Curiaú

Alcilene Cavalcante em 26 de agosto de 2014

Curiau-MacapáVerao-NayanaMagalhaes

Foto: Nayana Magalhães

Comunicação da Prefeitura de Macapá

O tempo de mandato de cada um

Alcilene Cavalcante em 26 de agosto de 2014

Também um bom critério para o eleitor utilisar na escolha do candidato é o tempo de mandato de cada um no cargo em que disputa novamente, ou em outros cargos eletivos.

E avaliar o que o candidato, ou candidata, fez com os mandatos que o eleitor lhe outorgou em outras eleições. Quais os resultados que ele deu pra sociedade,  que bandeiras ele defendeu, que projetos ele votou, e se os resultados são proporcionais ao tempo em que ele teve oportunidade de fazer ou atuar.

Pra ajudar, publicamos um pequeno histórico dos candidatos majoritários em cargos públicos eletivos.

Governo

Waldez Góes – Oito anos como deputado estadual e oito anos como governador. Total = 16 anos.

Camilo Capiberibe – Quatro anos como deputado estadual e quase quatro anos como governador. Total = oito anos.

Lucas Barreto – 16 anos como deputado estadual e quase dois anos como vereador. Total = 18 anos.

Bruno Mineiro – Quase quatro anos como deputado estadual.

Jorge Amanajás – 12 anos como deputado estadual.

Senado

Davi Alcolumbre – Dois anos como vereador. Oito anos como deputado federal. Total = 10 anos.

Gilvan Borges – Quatro anos como deputado federal. 14 anos como senador ( 1 mandato e mais 6 anos do mandato que era de Capi). Total – 18 anos.

Dora Nascimento – Quase quatro anos como vice-governadora.

Daí é só analisar quem já deu mais “migué” no eleitor.

Eleições 2014

Alcilene Cavalcante em 26 de agosto de 2014

Luiz Melo Entrevista

Programa Luiz Melo iniciou ontem rodada de entrevista com os candidatos ao governo do estado. Com uma hora de duração, cada entrevista é iniciada às 8h. As perguntas são formuladas por jornalistas da bancada e pelos ouvintes.

O primeiro entrevistado foi Waldez Góes, na segunda-feira. Nesta terça-feira, 26.08, será a vez de Lucas Barreto (PSD), seguido de Décio Gomes, do PCB, 27.08 ; Camilo Capiberibe, do PSB, 28.08; Genival Cruz, do PSTU, 29.08; e Jorge Amanajás, do PPS, dia 1 de setembro. A rodada de entrevistas será fechada com Bruno Mineiro, do PTdoB, dia 2 de setembro.

Agenda dos candidatos 26.08.14

Camilo Capiberibe

16h – Caminhada no município de Santana

18h30 – Reunião com moradores do baiiro Fé em Deus, Santana

Lucas Barreto

Manhã – Entrevista Rádio Diário FM. Caminhada no Buritizal.

Tarde – Visita aos comerciantes do Buritizal. Reunião com colaboradores de campanha.

Noite – Caminhada em Fazendinha e reunião com candidatos e lideranças.

Os demais candidatos não enviaram agenda de hoje

Mãos Limpas. Justiça Federal recebe denúncia do MPF

Alcilene Cavalcante em 26 de agosto de 2014

O Ministério Público Federal no Amapá (MPF/AP) recebeu notificação, em meados de agosto, do recebimento parcial de quatros denúncias relativas à Operação Mãos Limpas. As ações foram ajuizadas em março e junho deste ano. De acordo com a movimentação processual, disponível na internet, a Justiça Federal recebeu as denúncias relativas aos acusados que não são servidores públicos. Àqueles acusados que ocupam cargo público, foi dado prazo de 15 dias, após devida notificação, para que apresentem resposta preliminar à acusação.

Nas denúncias ofertadas em março, o MPF/AP acusa 18 pessoas por fraudes praticadas na Secretaria Estadual de Educação (Seed) e Secretaria de Justiça e Segurança Pública (Sejusp). Na Seed, R$100 milhões foram desviados em esquema de contratos ilegais com a empresa de vigilância Amapá VIP. Na Sejusp, os acusados fraudaram diversas licitações para fechar contrato com empresas que superfaturavam os preços e pagavam propina aos funcionários envolvidos no esquema.

Em junho, mais duas denúncias foram apresentadas à Justiça Federal. Na primeira, o MPF/AP acusou 11 pessoas por desvio de mais R$2milhões da Superintendência Federal de Agricultura no Amapá (SFA/AP). As empresas Amapá VIP, Fiel Car e R.R.Quaresma participaram do esquema. A segunda ação é contra 18 pessoas por fraudes a licitações da Secretaria Estadual de Saúde (Sesa) para contratar empresa prestadora do serviço de limpeza. Segundo investigações, os contratos ilegais com a vencedora do certame, Amapá Serviços, podem ter causado danos ao erário de mais de R$10 milhões.

Leia a notícia completa aqui

Entre os denunciados pelo Ministério Público Federal estão o ex-governador e novamente candidato, Waldez Góes. Os ex-secretários do governo de Waldez, Armando Amaral (Seplan), Aldo Ferreira (Sejusp), Adauto Bittencourt (Seed), Elpídio Dias de Carvalho e Uilton José Tavares (SESA). O ex-governador Pedro Paulo Dias, além de outros servidores de cargo de confiança na época e empresários ligados ao esquema.

Cientistas estrangeiros conhecem o Amapá e apresentam roteiro turístico para o Estado

Alcilene Cavalcante em 26 de agosto de 2014

Macapá – Quatro alunos que estudam disciplinas ligadas às Ciências nos Estados Unidos estão em Macapá desde sábado, 23/08, conhecendo os pontos turísticos da cidade e de outros municípios do Estado. Eles venceram a competição Desafios Amazônicos, apresentando ideias para melhorar as ofertas de ecoturismo e turismo de aventura no Amapá e desenvolveram um roteiro, que agora estão explorando.

Zhihong Tan, Zhihao Zhang, Haley Yarosh e Kyle Wayne apresentaram um plano multifacetado no qual constam pacotes turísticos, opções de transporte aéreo e hospedagem. Eles permanecerão no Amapá até o dia 29/08, e ainda participarão de reunião com autoridades para apresentar o projeto vencedor.

Zhihong Tan e Zhihao Zhang são chineses e moram nos Estados Unidos há mais de quatro anos. Os estudantes de pós-doutorado contam que já viajaram muito e que sabem na prática as inquietações e necessidades de um turista. “Quando tivemos a oportunidade de participar da competição, desenvolvemos um roteiro que desejávamos por em prática e agora estamos tendo o privilégio de vivenciar nosso projeto”.

A competição foi realizada com o patrocínio da Confederação Nacional da Indústria (CNI), por meio de um convênio assinado entre o Serviço Social da Indústria (SESI/AP), Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI/AP), Secretaria de Turismo do Estado (Setur), Instituto Municipal de Turismo (Macapatur), Associação Brasileira de Agências de Viagens (ABAV), Serviço de Apoio as Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) e a ONG americana US – Brazil Connect.

Continua o julgamento de desvios na AL

Alcilene Cavalcante em 26 de agosto de 2014

S

Ocorreu, na segunda-feira (25), no plenário do Tribunal de Justiça do Amapá (TJAP), a terceira audiência de instrução e julgamento da ação penal que apura desvio de R$ 952 mil da Assembleia Legislativa do Amapá (ALEAP). Na denúncia, ofertada pelo Ministério Público do Amapá (MP-AP), resultado da “Operação Eclésia”, o ex-presidente do Poder Legislativo, Jorge Amanajás, o presidente da Casa, Moisés Souza, o deputado estadual Eider Pena e mais três pessoas são acusados de formação de quadrilha, peculato, lavagem de dinheiro e ausência de procedimento licitatório.

Todos os réus foram intimados, mas apenas Edielson Pereira Nogueira compareceu na audiência desta segunda-feira (25). Ele é acusado de endossar os cheques como procurador da empresa MFX. Na prática, o acusado recebia os cheques da Assembleia Legislativa, depositava na conta-salário da esposa, na época, Ana Margarida Marques Fascio, e realizava o saque logo em seguida. Edielson admitiu que movimentava a conta da ex-esposa sem que ela tivesse conhecimento. O réu se defendeu alegando que o dinheiro era para efetuar pagamento de prestadores de serviços, mas não lembrou quais.

“O que ficou claro para o Ministério Público do Amapá (MP-AP) é que a MFX foi montada com o único fim de desviar dinheiro público. A empresa não possuía funcionários e não se sabe o que era feito lá dentro”, declarou a Procuradora Geral de Justiça, Ivana Cei, que estava acompanhada dos promotores de Justiça Afonso Guimarães e Manoel Edi.

 

Após a coleta de prova oral, o desembargador Carlos Tork (relator da ação) convocou as partes para que apresentassem seus requerimentos. O desembargador deferiu todas as solicitações do MP-AP, dentre elas, para oficiar aos bancos de Macapá e Santana, a fim de que apresentem a movimentação financeira da empresa MFX, no período de janeiro de 2010 a junho de 2011.

Por terem faltado, Jorge Amanajás (substituído por seu advogado), Moisés Souza e Ary Guedes, que tiveram o direito a defesa assegurado pelo trabalho de defensores públicos, já que não indicaram outros representantes, foram considerados revéis. O processo continua com as manifestações e alegações finais.

Entenda o caso

A conclusão do Inquérito Civil Público 047/2012, conduzido pela Promotoria de Defesa do Patrimônio Cultural e Público de Macapá (PRODEMAP), revela que, entre os dias 21 e 25 de janeiro de 2011, últimos dias do mandato de Jorge Amanajás como presidente da ALEAP, e do deputado estadual Eider Pena, como primeiro secretário da mesa diretora, foi efetuado um pagamento no valor de R$ 952 mil para a empresa MFX Ltda. – ME, inscrita na Junta Comercial do Amapá (JUCAP) no ramo da construção civil.

Ao ser ouvido pelo MP-AP, durante a apuração, o ex-deputado Jorge Amanajás disse não se recordar do objeto da contratação (sem licitação) realizada com a empresa MFX, mesmo tendo autorizado o pagamento nos últimos dias de sua gestão. “Não houve qualquer serviço prestado à Casa de Leis, e tudo não passou de uma operação simulada com o fim de desviar e lavar o dinheiro público”, assegura o promotor Afonso Guimarães, que subscreve a denúncia.

O Esquema

A empresa MFX foi registrada na JUCAP no nome de Ary Guedes da Silva, que detém 90% das ações, e Eliet de Lima Bacelar, na época sua esposa, que detinha os 10% restante da composição societária. O endereço indicado como sede da empresa é, na verdade, a residência da denunciada Eliet Bacelar, onde não funciona nenhum empreendimento comercial.

As investigações alcançam o deputado estadual Moisés Souza ao constatar que o parlamentar utilizou, reiteradas vezes, notas fiscais da empresa MFX em seus pedidos de ressarcimento da chamada verba indenizatória. Além disso, consta nas peças da apuração uma procuração em que Antônio Armando Barrau Fascio Terceiro, irmão da acusada Margarida Marques Fascio, ambos assessores de Moisés Souza na ALEAP, foi nomeado procurador da referida empresa, em 2008, logo após sua constituição. Só foi substituído, anos depois, por Edielson Pereira Nogueira.

O denunciado Edielson Pereira, então esposo de Ana Margarida, teve participação decisiva no esquema criminoso apontado pela investigação, pois endossou os cheques pagos pela Assembleia Legislativa, entre os dias 21 e 25 de janeiro de 2011, mesmo sem poderes para tanto, pois somente, em 18 de fevereiro de 2011, seria nomeado procurador.

O denunciado Ary Guedes que atuava como “laranja”, segundo a ação, ao emprestar o próprio nome no registro da empresa, mantém relação pessoal, há vários anos, com o deputado Moisés Souza, comprovado através de documentos apreendidos durante a “Operação Eclésia”, e chegou a ocupar cargo em comissão na ALEAP, em 2010.

A íntima relação de Moisés Souza com os operadores da empresa MFX é reforçada com a nomeação de Mário Antônio Marques Fascio (irmão de Ana Margarida e Antônio Armando), como seu procurador, inclusive com poderes para representá-lo junto às instituições bancárias.

Para o Ministério Público, Moisés Souza teria sido diretamente beneficiado com o pagamento efetuado nos últimos dias da gestão de Jorge Amanajás, sobretudo, após depoimento prestado por Wilson Nunes de Moraes, que na ocasião, ocupava o cargo de secretário de Finanças da ALEAP, e disse ter certeza que as notas para o pagamento à empresa MFX foram levadas por assessores de Moisés.

Os saques de elevadas somas realizados por Ana Margarida Fascio, sua assessora, logo após os depósitos dos cheques dados pela Assembleia Legislativa, também indicam que Moisés Souza teria sido um dos beneficiados da operação. “Em crimes dessa natureza, exigir que a propina seja entregue mediante testemunhas ou registros fotográficos é ignorar a realidade do mundo da corrupção e aplicar um rigorismo processual que não atende ao interesse republicano”, conclui o promotor Afonso Guimarães.

Os denunciados:

1 – Jorge Emanoel Amanajás Cardoso, ex-presidente da Assembleia Legislativa, responsável direto pelo pagamento em favor da empresa MFX.
Acusação: Formação de quadrilha, peculato, lavagem de dinheiro e ausência de procedimento licitatório (Art. 89 da Lei. 8.666/93).
2 – Eider Pena Pestana, deputado estadual, primeiro secretário da mesa diretora na gestão de Jorge Amanajás, um dos responsáveis diretos pelo pagamento efetuado à empresa MFX, à época. Acusação: Peculato, formação de quadrilha e lavagem de dinheiro e ausência de procedimento licitatório (Art. 89 da Lei. 8.666/93).
3 – Moisés Reátegui de Souza, deputado estadual, presidente afastado da Assembleia Legislativa.  Mantém estreita relação com os operadores da empresa MFX e teria sido diretamente beneficiado com o pagamento efetuado poucos dias antes de assumir a presidência da Casa. Acusação: Formação de quadrilha e lavagem de dinheiro.
4 – Ana Margarida Marques Fascio, advogada, antiga assessora no gabinete do deputado Moisés Souza, figurou até fevereiro de 2011 na folha de pagamento da ALAP. Acusação: Peculato, formação de quadrilha e lavagem de dinheiro.
5 – Edielson Pereira Nogueira, esposo de Ana Margarida, endossou os cheques como procurador da empresa MFX. Acusação: Peculato, formação de quadrilha e lavagem de dinheiro.
6 – Ary Guedes da Silva, vigilante, emprestou o nome para o registro da empresa MFX. Acusação: formação de quadrilha e lavagem de dinheiro.

Ascom – MP-AP

O mito da desaparição do dinheiro

Alcilene Cavalcante em 25 de agosto de 2014

*Charles Chelala – Economista. Professor. Mestre em Desenvolvimento Regional.

O início da campanha eleitoral trouxe com força um mantra repetido por alguns postulantes à cadeira do setentrião, que pode ser resumido à seguinte frase: “o dinheiro deixou de circular no Amapá”. É sobre este tema que pretendo abordar neste artigo sob a ótica técnica.

Primeiramente, verificando a economia nacional observa-se que, de fato, o Brasil passa por um mal momento. A revista “Exame” do início deste mês vem com a manchete “Parou”, trazendo uma ampla matéria na qual demonstra a estagnação econômica e o futuro incerto dos indicadores. Claro que esta crise nacional afeta o Estado do Amapá.

Entretanto, há mais evidências de que a economia do nosso Estado esteja em evolução positiva, com desempenho bem superior ao do restante do Brasil.

Analisando os números, verifica-se que o Produto Interno Bruto do Amapá, apesar de pequeno em relação ao país, tem apresentado desempenho comparativamente melhor que a média nacional. Mas os últimos dados disponíveis do PIB são de 2011, assim, vamos ver alguns indicadores mais recentes da conjuntura.

O IBGE realiza a pesquisa mensal do comércio, que investiga todas as empresas do ramo com mais de vinte empregados. Nesta pesquisa, o comércio do Amapá apresenta um crescimento nas receitas de 14,3% acumulado neste ano de 2014 (janeiro a junho), o terceiro melhor do país cuja média foi de 10,5% no mesmo período.

A evolução dos empregos com carteira assinada, demonstrada pelo CAGED (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados) aponta que o Amapá criou em torno de quatro mil novos empregos por ano, desde 2011, o que perfaz uma média anual acima de 8% no crescimento do emprego formal no Estado. Para efeito de comparação, o Brasil gerou apenas a metade disso (4,2%) em média nos últimos três anos.

Como 48% da renda criada no Amapá vem do setor público, temos que analisar também o comportamento do investimento governamental, que possui um considerável efeito multiplicador na economia. Pesquisando nos Balanços Gerais do Estado, constata-se que nos últimos três anos foi investido, um pouco mais de um bilhão de reais, crescimento significativo em relação ao triênio anterior, cuja somatória não chegou a 300 milhões. Só para efeito de ilustração, neste momento estão em obras (ou prontas para iniciar) aproximadamente cinco mil unidades residenciais em Macapá nos conjuntos residenciais Macapaba, São José e Jardim Açucena.

Além dos números, há elementos evidentes a olho nu. Destaco as dezenas de novos edifícios e de loteamentos aquecendo a construção civil e o mercado imobiliário no Estado; o agronegócio, com crescimento exponencial na produção de grãos no cerrado amapaense e novamente o comércio, com empreendimentos de porte recém inaugurados e pelo menos quatro outros grandes centros comerciais em obras e prestes a abrirem suas portas. Ora, o empresário não investiria assim se houvesse a suposta “redução na circulação de dinheiro”.

É claro que ainda há muito por fazer na melhoria do ambiente favorável para atração de investimentos, em especial na infraestrutura, no marco legal e na qualidade das instituições. Mas a tese da “falta de dinheiro na praça” não se sustenta diante dos fatos comprováveis.

Nota de Repúdio do PSC Mulher

Alcilene Cavalcante em 25 de agosto de 2014

O PSC Mulher no Amapá manifesta sua indignação pela ocorrência de crimes na internet envolvendo a sua Presidente, a candidata a deputada federal Patrícia Ferraz.  Mulher atuante e comprometida com as lutas sociais, defensora dos direitos da mulher, Patrícia Ferraz teve fotos íntimas e montagens grotescas publicadas nas redes sociais. O autor dessas publicações tem como único motivo prejudicar a candidatura de Patricia Ferraz, que vem crescendo cada dia mais nesta eleição. Medidas judiciais já estão sendo tomadas contra quem dissemina notícias infundadas e que violam a honra, além de quem compartilha tais posicionamentos, envolvendo a Presidente do PSC Mulher no Amapá, Patricia Ferraz.

Pra adoçar o final de semana

Alcilene Cavalcante em 22 de agosto de 2014

BrigadeiroBrule_n

Corram para as montanhas

Alcilene Cavalcante em 22 de agosto de 2014

O novo corregedor do TSE é o ministro Otávio Noronha.

Aquele mesmo que decretou a prisão de uma turma enorme do Amapá, inclusive do ex-governador Waldez Góes e do então governador Pedro Paulo Dias, na Operação Mãos Limpas, a maior operação já deflagrada pela Polícia Federal.

Eleições 2014

Alcilene Cavalcante em 22 de agosto de 2014

Esquenta do PSOL

PSOL fez uma plenária com seus militantes, ontem, quinta-feira, com o candidato Camilo Capiberibe e o vice Rinaldo Martins, e a candidata a senadora da chapa, Dora Nascimento.

 

Agenda dos candidatos 22.08

Camilo Capiberibe

Pela manhã gravação de programa eleitoral

18h45 – Entevista na TV Amapá

Lucas Barreto

O candidato cumpre agenda no Vale do Jari

Sesc Amazônia das Artes apresenta espetáculo de dança Origens

Alcilene Cavalcante em 22 de agosto de 2014

Petrônio Valente

Espetáculo Origens

 

O Sesc Amazônia das Artes traz nesta sexta-feira (22),  o espetáculo de dança “Origens: uma homenagem a Hélio Melo”, da Cia. Garatuja de Artes Cênicas (AC), às 20h, no Salão de Eventos do Sesc Araxá.

 

A companhia Garatuja de Artes Cênicas buscou inspiração nas obras do artista acreano Hélio Melo (1926-2001), para retratar a relação do modo de vida do homem da floresta e a dramaturgia na dança. A partir de pinturas moventes em um espaço cênico, que mescla lembranças, cores, emoções, conflitos, inquietudes, carga dramática e, ao mesmo tempo, a simplicidade vista nas obras do homenageado.

 

As coreografias e cenas do espetáculo são carregadas de subjetividade e reflexões sobre a modernidade, com base no questionamento do fazer artístico de Hélio Melo.

 

O espetáculo tem encenação e dramaturgia, direção, operação de luz e som, figurino e iluminação de Valeska Alvim; cenografia de Gisela Brugnara; direção musical de Écio Rogério; fotografia de Diego Gurgel e Allen Ferraz; e realização do grupo universitário de artes cênicas “Nois da Casa”.

 

Amazônia das Artes 

O evento está em sua 7ª edição, acontece até o dia 28 de agosto em Macapá e conta com atrações culturais dos nove estados da Amazônia Legal (Amapá, Acre, Amazonas, Maranhão, Mato Grosso, Pará, Rondônia, Roraima e Tocantins), e do Piauí. A mostra reúne obras artísticas de dança, teatro, música e exibição de documentário. A entrada para todas as atrações é gratuita.

Serviço

Sesc Amapá

Assessoria de Comunicação e Marketing

Email: ascom@sescamapa.com.br

Fone: (96)3241-4440 (ramal 235)

Reforço

Alcilene Cavalcante em 20 de agosto de 2014

Primeira-dama Cláudia Capiberibe tirou férias da SIMS para se dedicar integralmente a campanha do marido Camilo Capiberibe, que disputa a reeleição.

Claudia-2

O Crescimento da Zona Norte

Alcilene Cavalcante em 20 de agosto de 2014

Treze ônibus já atendem o Conjunto Macapaba, o maior programa habitacional da história do Amapá, que fica na BR-156. O sindicato das empresas de transporte coletivo informa que são seis ônibus da linha Macapaba/Amapá Garden, três da linha Amazonas/Macapaba e outros quatro da linha intermunicipal Macapá/Santana. Informa também que Todos os veículos são novos e estão adequados com elevadores para cadeirantes e pessoas com mobilidade reduzida.

Randolfe faz representação na PGR contra ANATEL e operadoras de celular

Alcilene Cavalcante em 20 de agosto de 2014

O senador Randolfe Rodrigues (PSOL-AP) entregou na tarde de ontem, representação contra a Agência Nacional de Telecomunicações (ANATEL) e as operadoras de telefonia móvel que atuam no Amapá, ao Dr. José Elaeres Teixeira, Subprocurador-Geral da República.

O documento retrata à má prestação de serviços oferecidos e a omissão da Anatel em fiscalizar. Na reunião, o Senador expôs a situação crítica da telefonia móvel no estado do Amapá.

 

Cantinho de blogar

Alcilene Cavalcante em 20 de agosto de 2014

mesa-alcilene_n

Resultado no cofre do município e economia para o contribuinte

Alcilene Cavalcante em 20 de agosto de 2014

Arrecadação da dívida ativa em Macapá cresce 50% em 2014. O secretário municipal de Finanças, Paulo Mendes, explica que o aumento deve-se ao lançamento do Programa de Recuperação Fiscal (Refis). A iniciativa garante descontos no pagamento dos débitos. O prazo máximo para ter direito ao benefício é 29 de agosto.

O contribuinte pode usar o Refis nas dívidas até 2012 para quitar o Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU), Sobre Serviços (ISS) e Alvarás de Funcionamentos. A negociação pode gerar descontos de até 90% nas multas, 50% nos juros e 100% nos encargos legais.

As dívidas poderão ser quitadas na Central do Contribuinte, localizada na Avenida Cônego Domingos Maltês com a Rua Jovino Dinoá, bairro Trem, zona Sul de Macapá. O atendimento também poderá ser realizado no Super Fácil e na Subprefeitura da Zona Norte.

Asscom/PMM