Crônica de João Paulo Cuenca, da nova geração de cronistas e um dos mais bacanas.

Yes, we créu

A crônica apreciou muito o vídeo do Fernando Meirelles para a nossa vitoriosa candidatura a sede das Olimpíadas 2016. O filmete mostra os cariocas muito simpáticos, abraçando as exóticas delegações estrangeiras, cantando e dançando pelas ruas assépticas e retocadas, como numa versão bossa nova de Hair, o musical.

Tenho um amigo chamado Pedro C., homem crente nessas coisas de publicidade, que resolveu tirar a prova. Botou uma roupa de xeique árabe e, já no primeiro quiosque da praia, o refrão do samba atravessou: não o deixaram filar a caipirinha como aparecia na propaganda. Tentou sambar com o gari, mas o homem de laranja expulsou Pedro da calçada com a vassoura em riste e gritos impublicáveis. Batucar na caixinha de fósforo pelas esquinas também foi um fracasso – ninguém acompanhou e ainda foi chamado de paulista.

Firme no propósito de comprovar a hospitalidade do nosso povo e a veracidade do comercial, tentou cumprimentar com a mão estendida o pessoal pendurado no bonde de Santa Teresa. Ficou no vácuo e levou um pescotapa de um estudante da rede municipal. Na feira, não ofereceram nenhuma laranja. Filou uns biscoitinhos de amostra grátis. Quando disse que não ia comprar, levou uma descompostura do vendedor: “tá achando que eu sou fome zero, mermão?”.

Foi quando Pedro descobriu que a propaganda que nos deu a vitória olímpica foi toda filmada, é claro, durante o carnaval.

***
Ainda faltam 7 anos, mas já podemos enfileirar algumas certezas sobre as Olimpíadas Balneário de San Sebastián 2016:

1) Lula, ao contrário do que andou repetindo entre lágrimas na Dinamarca, será presidente em 2016 e fará o discurso de abertura dos jogos, independente de quem ganhe as eleições do ano que vem.

2) Depois do discurso de Lula, Alcione irá cantar o hino nacional na cerimônia no Estádio Olímpico do Maracanã. Quem carregará a bandeira da delegação canarinho será Selminha Sorriso e a tocha olímpica será acesa por Zico, o verdadeiro atleta do século, eleito por aclamação.

3) As favelas da Zona Sul serão pacificadas e pintadas de branco, lembrando as construções de Santorini, na Grécia. O investimento pesado de franceses na área causará explosão nos preços dos imóveis, fazendo seus atuais habitantes se mudarem para comunidades extra-olímpicas, além Belford Roxo.

4) O golpe no ego de cidades periféricas como São Paulo e Buenos Aires jamais será recuperado.

5) Em 2016, a grande conquista do PSDB paulista, após o fracasso da CPI das Olimpíadas, terá sido a descriminalização da maconha em todo o território nacional.

6) O ano de 2015 será enforcado no Balneário, entre a Copa 2014 e as Olimpíadas 2016.

7) Os preparativos para os jogos irão custar 21,3 vezes mais do que o previsto. Ainda assim, o metrô jamais chegará a Barra da Tijuca.

8) Migração em massa de esportistas e turistas para a cidade será um problema de segurança nacional após os jogos. A Polícia Federal no aeroporto Tom Jobim será mais severa do que a de Barajas, em Madrid.

9) Nenhum recorde mundial será batido em 2016. Os atletas vão acordar de ressaca todos os dias.

10) Os Jogos de 2016 serão os melhores e mais espetacularmente confusos de todos os tempos. Nós só vamos entender esse aparente paradoxo daqui a 7 anos.

João Paulo Cuenca é um dos ótimos cronistas da nova geração.