Sociedade Civil se organizou, os vereadores ouviram a voz das ruas e mantiveram o veto do prefeito Roberto Góes ao projeto que ampliava o horário de fechamento de boates e danceterias para as cinco da matina.

Num gesto de grandeza, o autor do projeto, vereador Luizinho, do PT, também votou pela manutenção do projeto, mas quer uma audiência pública para debater o horário de fechamento de botecos, postos e lojas de conveniência que vendem bebidas, e também abertura de lojas do comércio no domingo. Aí, penso que misturou alho com bugalhos.

Mal na Tropa

O vereador Aldrin(PDT), se destemperou por que sempre foi a favor da ampliação do horário,  atacou o vereador Cléico Luis(PSOL) que sempre se colocou contra, e ofendeu a Polícia Militar, chamando os PMs de vadios e dizendo que os policiais não queriam era trabalhar. Foi vaiado pela população que estava na galeria.

O vereador parece que não sabe, mas os PMs não vão embora pra casa quando as boates fecham, eles trabalham até terminar seus turnos.

O comandante da Policia Militar, coronel Gastão Calandrini, respondeu à altura em entrevista ao jornal do SBT. Elegante e preparado, Calandrini disse que respeita as instituições e a Câmara de Vereadores como um todo, mas que repudiava a manifestação do vereador Aldrim, que revelava desconhecimento em relação a instituição Polícia Militar

Em defesa da tropa, o Coronel Calandrine disse ao blog, que como comandante da corporação falava em nome dos oficiais e praças, lamentando a fala de Aldrim contra a instituição que zela pela ordem pública e que tem o reconhecimento da sociedade.

Calandrine