Vereadores discutem sobre crimes nas redes sociais

A Câmara de Vereadores de Macapá realizou mais uma sessão ordinária, nesta terça-feira(30), sob a presidência do vereador Acácio Favacho(PMDB). Na pauta do dia, 03 projetos de lei, 11 indicações e 31 requerimentos que foram aprovados em bloco.

A sessão iniciou com um debate entre os vereadores Washington Picanço(PSB) e André Lima(PSOL) sobre o episódio que resultou na agressão ao governador Camilo Capiberibe, durante manifestação de servidores da educação do Estado.

Washington Vieira(PSB), disse que o PSOL lidera, junto com o Sindsepeap o movimento de violência protagonizado no dia 29/04, em frente a Ueap. O vereador manifestou repúdio à violência sofrida pelo governador do Estado.

Os vereadores André Lima(PSOL) e Prof. Madeira(PSOL), disseram que são contra qualquer tipo de violência e que em nenhum momento o seu partido(PSOL), pode ser responsabilizado pelo fato ocorrido. Aproveitou para manifestar seu apoio às manifestações dos professores.

O vereador João Henrique(PR), criticou a parceria Governo e Prefeitura. Disse que não vai dar certo e se disponibilizou para fazer a negociação com os professores.

O vereador Lucas Barreto(PTB), também fez criticas a parceria formalizada entre Governo e Prefeitura e solicitou votos de repúdio contra o que ele chamou de “falso piso salarial”, que o governador Camilo Capiberibe instituiu a classe da educação.

 

Crimes nas Redes Sociais

 

O vereador Marcelo Dias(PSDB), usou a tribuna da Câmara, para denunciar crimes ocorridos nas redes sociais, no âmbito do município de Macapá.

Marcelo Dias(PSDB), disse que na última semana tem sido alvo de uma campanha caluniosa nas redes sociais, relacionando seu nome a fatos mentirosos.

O vereador disse que já acionou o Ministério Público e a Policia Civil a fim de localizar os suspeitos. “Esses órgãos estão trabalhando para enquadrar essas pessoas que estão fazendo isso na lei de crimes virtuais”. falou o vereador.

O vereador Acácio Favacho(PMDB), disse que essa situação está ocorrendo em todo o Estado e que as autoridades tem que rever direitos e deveres dos cidadãos, quando estas pessoas colocam em “cheque” a honra de qualquer pessoa. O vereador disse que vai denunciar, através da Câmara de Vereadores, junto ao MP, sobre esses crimes.”Só penalizando os culpados, vamos resolver este problema”, disse o vereador.

A vereadora Edna Auzier(PDT), repudiou o fato ocorrido com o vereador Marcelo Dias(PSDB) e manifestou apoio a punição das pessoas envolvidas neste tipo de crime.”Nenhum de nós estamos livres deste tipo de crime, mas é preciso uma punição para estas pessoas envolvidas. A vida particular de cada pessoa não interessa a ninguém”, finaliza a vereadora.

A vereadora Neuzinha(PSB), criticou a atuação de alguns blogs e páginas sociais. Disse também que também foi vítima de um perfil, durante sua campanha eleitoral. “Hoje pode ser o vereador Marcelo, mas amanhã, pode ser qualquer um de nós”, disse a vereadora.

O vereador Washington Picanço(PSB), manifestou apoio ao vereador e disse que já foi vitima de crimes praticados nas redes sociais. Washington Picanço, falou que nem um cidadão deve calar-se diante da sociedade, ante qualquer ato praticado nas redes sociais. “Eu fui vítima de um ato covarde e imagino o que o senhor está passando”. Disse Washington.

A vereadora Aline Gurgel(PR), disse que em nome da bancada do PR, está solidária a causa do vereador. A vereadora disse que espera que a justiça seja feita e que os culpados sejam punidos.

Encerrando o grande expediente, o presidente da Casa, vereador Acácio Favacho(PMDB), disse que a Procuradoria da Câmara, está providenciando uma ação para ser dada entrada no Ministério Público, na busca da punição dos envolvidos. “O resultado vai servir de exemplo para que outros poderes também busquem a culpabilidade de qualquer pessoa envolvida neste tipo de crime”. Finalizou o vereador.

No mês de maio, as sessões ordinárias serão transmitidas ao vivo, pelo rádio e televisão, através do Canal Legislativo Municipal.

 

As sessões da Câmara de Vereadores de Macapá ocorrem as terças e quintas-feiras, as 9h da manhã.

 

 

ASCOM-CMM

  • A preocupação do Vereador Marcelo é pertinente, mas a “Lei de crimes virtuais” não pune essa conduta, o que não significa que não se possa punir pela difamação. A lei referida não é a redenção para esses problemas e a solução continua a mesma de sempre.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *