Adauto Bitencourt é indiciado pela Polícia Federal por superfaturamento na compra de merenda escolar

Por Eduardo Neves

Na manhã desta segunda-feira, 01, na Assembleia Legislativa do Amapá, o deputado estadual Camilo Capiberibe (PSB/AP), tornou público o relatório da Polícia Federal, que pede o indiciamento do secretário de Educação Adauto Bitencourt, e mais quatro pessoas acusadas de superfaturamento na compra de merenda escolar.

O esquema foi denunciado pelo próprio deputado Camilo Capiberibe, no ano de 2007, junto ao Ministério Público Federal do Amapá (MPF/AP), onde foi pedido para que o órgão fizesse a apuração do pregão presencial nº 023/06, que teve como vencedora a empresa M. G. Rocha, cujo empenho de despesa foi no valor de R$1.287.661,10.

Na época foi constatado que a secretaria de Estado da Educação (SEED), pagou a M. G. ROCHA, por cada pacote de leite integral Camponesa o valor de R$14, quando o preço no comércio local custava R$2,66.

A constatação do sobrepreço dos produtos adquiridos através do pregão 023/2006, foi comprovada tanto pelo laudo produzido pelos peritos da PF, quanto pelo relatório produzido pela Controladoria Geral da União (CGU).