O Pleno do Tribunal de Justiça do Amapá, por maioria, julgou procedente ação rescisória proposta pelo SESI, no caso do superfaturamento e pagamentos de serviços inexistentes da obra da Casa da Indústria.

A empresa responsável pelos serviços superfaturados, vai ter que devolver ao SESI os valores que recebeu.

Vale lembrar que o SESI e o SENAI do Amapá estão sob intervenção da CNI- Confederação Nacional da Indústria, por causa de gestões fraudulentas e temerárias, colocadas pela enrolada gestão da Federação da Indústria do Amapá .

 

 

Na foto: Jean Alves, Diretor jurídico do SESI