Inaceitável. Essa foi a definição do senador Randolfe Rodrigues (PSOL-AP) para o tratamento recebido por ele, pelo governador do estado, Camilo Capiberibe, o senador João Capiberibe e os deputados Evandro Milhomem, Sebastião Bala Rocha e Luiz Carlos, no Ministério das Minas e Energia, nesta quinta-feira (01).

Empenhados em resolver o problema da Companhia de Eletricidade do Amapá (CEA), o governador, senadores e os deputados tentaram uma reunião com o chefe da pasta, ministro, Edson Lobão, o que não foi possível. Foram então, recebidos pelo secretário executivo do ministério, Márcio Zimmermann que teve de abandonar a reunião antes de seu término alegando uma viagem com a presidenta Dilma.

Durante o encontro as autoridades amapaenses tentaram sem sucesso, fazer com que Zimmermann se comprometesse em enviar uma declaração escrita ao estado referente à proposta feita pelo governo amapaense que busca uma solução para a CEA. Há mais de dois meses que essa proposta foi enviada para o MME, que até hoje não se pronunciou.

 

Segundo o secretário executivo, a carta do governo do estado foi remetida para o Ministério da Fazenda. Isso porque pela proposta feita, a União assumiria o controle da CEA, parte das dívidas e 84,1% da Companhia. O Estado ficaria com 15,8% e as prefeituras, que já são sócias, com o restante. Atualmente, a dívida da CEA é de mais de R$ 1, 5 bilhão. Mesmo assim nenhuma das duas pastas se pronunciou sobre a proposta.

 

No Twitter o senador manifestou sua indignação com o desrespeito ao governador, senadores e deputados presentes. Na tribuna, Randolfe também pretende fazer o seu protesto com o fato ocorrido nesta manhã.