• É fantástico vivenciar, mesmo no presente, a história do povo amapaense. As fotos que você nos oferece eu sem blog me faz recordar as histórias e estórias dos mais antigos, maravilhosas. Não temos praticamente nada intacto da história de Macapá. Mas, temos as fotografias que nos remetem a um romantismo absoluto, intransponível e prazeroso. Obrigado por isso, Alcilene.

  • EXCELENTE FOTOGRAFIA, MEUS AVÓS, FAZIAM UMA DESCRIÇÃO PARECIDA COM A DA FOTO. PARABENS AO FOTOGRAFO E AO BLOG.

  • Alcilene, essa foto é de 1900 e lá vai fumaça… rs. Mas, foi tirada a partir da calçada do Hotel Macapá, se é que ele já existia. Essa é bem antiga, porque, pelo que se vê, ainda não existia o Estaleiro, que ficava ao final da rua, que cruzava com o hoje canal da Mendonça Júnior. Putz, eu sou velho!… rsrs.
    Um ótimo fim de semana pra ti.
    Beijos.

    • Ernani, alguem já me disse que essa foto foi tirada na frente da Casa dos Zagurys.. Que hoje seria mais ou menos, na avenida Amazonas, pela altura da loja 246. Atras de onde era a casa Leão do Norte, dos Zagurys

      • Alcilene, o meu xará e amigo, Ernani Marinho, narrou com mais precisão a origem da foto. Mas, gostaria de lhe dizer que a informação de ter sido feita a partir da Casa Leão do Norte é um equívoco, pois, se teria o prédio da Prefeitura, que depois virou Secretaria de Segurança e outras casas impedindo a visão da Fortaleza, que aparece ao fundo na foto. Assim, a descrição do Ernani confirma e combina com a minha.
        Um ótimo domingo.

  • Vixe nessa época eu ainda era projeto de gente, eu acho. É importante ter esses registros para comparar as transformações. Bjs Lene!!

  • Acilene:

    Esta foto deve ser da segunda metade da década de 40 ou logo no início dos anos 50 e foi tirada de frente do Macapá Hotel. A primeira casa que aparece ficava na esquina do beco que a separava do hotel e daria acesso, mais tarde, à oficina dos Miccione. Pertencia ao pecuarista (naquele tempo fazendeiro) Tiburcio Andrade, que aparece na foto em frente da casa, com seu costumeiro traje: camisa manga longa abotoada até a colarinho.

    Os três que aparecem caminhando é o Cap. Janary Nunes (o fardado à esqueda; sempre de uniforme) com dois auxiliares.

    À propósito: a pracinha que existia em frente ao Macapá Hotel chamava-se Tiburcio Andrade, a qual sumiu com as obras realizadas na área, desaparecendo com isso a homenagem que se fizera a um dos bravos pioneiros amapaenses. Vale e há mérito para o reparo !!!

  • É aparentemente essa foto foi tirada nas imediações de onde é hoje o Hotel Macapá a julgar pela distancia que aparece a Fortaleza. Mas o cara conseguiu identificar o Janary? Que memória hein? rsrs

Deixe uma resposta para A MANA JAZ Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *