No Amapá, a iniciativa lançada no último fim de semana nos municípios de Laranjal e Vitória do Jari, busca transformar lixo em dinheiro com intuito de evitar futuros problemas para o meio ambiente. O projeto “Lixo que Vale” é um programa de política pública coordenado pela Secretaria de Estado do Meio Ambiente (Sema). A ideia surgiu da necessidade de um mecanismo no qual o cidadão possa ser responsável pelo seu lixo e colocá-lo dentro da cadeia produtiva.

Dinheiro Verde

Para o funcionamento do projeto foi criado o “dinheiro verde”. Trata-se de quatro tipos de cédulas com valor de R$ 0,50 e que serão trocadas em postos credenciados pela Sema nos locais onde o projeto for implantado. A troca funciona da seguinte maneira: o cidadão leva o material reciclável até um posto de coleta onde será pesado, e o cidadão recebe o valor avaliado de seu material em notas de dinheiro verde, e poderá trocar as notas por qualquer produto equivalente ao valor em real em estabelecimentos comerciais credenciados.