Postos apresentam ao governo cenário de redução no preço do óleo diesel e lubrificantes

Cenário local apresentado pelo Sindpostos ao governo do Estado, nesta segunda-feira, 4, é de variação entre R$ 0,37 e R$

Membros do Comitê Estadual, criado para minimizar os impactos da greve dos caminhoneiros no Amapá, reuniram-se nesta segunda-feira, 4, no Palácio do Setentrião, com representantes do Sindicato dos Postos de Combustíveis do Amapá (Sindpostos). No encontro, constatou-se que o cenário atual no Estado é de redução variando entre R$ 0,37 a R$ 0,41 o preço do óleo diesel e lubrificantes.

O Governo do Estado do Amapá (GEA) chamou o sindicato para a mesa de diálogo, visto que na tarde desta segunda-feira já se iniciaram as fiscalizações feitas pela Secretaria de Estado da Fazenda (Sefaz) e Instituto de Defesa do Consumidor (Procon/AP), para garantir a redução no preço do óleo diesel e lubrificantes, determinada pelo governo federal.

Cenário local

Conforme explicou o presidente do Sindpostos, Valter Montes, a redução de valores teve início ainda no sábado, 2. Ele frisou que não houve, até o momento, registro de revendedores que adquiriram diesel e lubrificantes com redução de R$ 0,46 nas duas principais distribuidoras que atuam no Amapá. E que, portanto, não há, ainda, como reduzir os valores nessa proporção aos consumidores.

“A redução que a gente consegue praticar, hoje, nas bombas é de R$ 0,37 a R$ 0,41, mas se no decorrer da semana as distribuidoras reduzirem para R$ 0,46, com certeza repassaremos, integralmente, ao consumidor final”, garantiu Montes.

No Amapá, há 125 postos de combustíveis. Desses, 80% localizam-se em Macapá e Santana, segundo o sindicato.

Fiscalização

O diretor-presidente do Procon/AP, Eliton Franco, explicou que o Governo do Amapá, através do instituto e demais órgãos, acompanha a rede nacional criada para monitorar o cenário em todo o país.

 

Foi comprovado que a redução de R$ 0,46 imposta pelo governo federal possui inconsistências de cálculos, visto que o diesel possui um acréscimo de 10% de biodiesel na sua composição. Essa porcentagem de biodiesel não sofreu redução. Portanto a redução praticada está sendo de R$ 0,41 nas refinarias e distribuidoras. Logo, a redução a ser cobrada durante as fiscalizações será de R$ 0,41, no Amapá, acompanhando o entendimento da rede nacional que acompanha o assunto.

Ascom-GEA