A Opção de Cinema da Amazônia – OCA ligou o “cunsca” e se prepara para produzir dois longas metragens ao mesmo tempo, até o final do ano!

“Ligar cunsca” é uma expressão do meio da comunicação que significa, por socialização do termo, acelerar o processo a qualquer custo.

Segundo o diretor presidente da OSCIP, Joni Bigoo, devido ao atraso do processo de produção de …Do Filho…, os diretores resolveram dar vazão a outro processo que se mantinha na fila.

Apesar da morosidade do processo, Bigoo garante que agora já conta com o apoio do estado, através da Secult, também do Deputado Evandro Milhomem e do Senador Gilvan Borges. Para esta outra produção, Ele conta com o apoio da prefeitura de Macapá, através de seu coordenador de cultura, José Augusto Cardoso. “A gente agradece a toda a imprensa amapaense que fez chegar as esses políticos os nossos reclamos. Eles também perceberam que o cinema, além de abrir horizontes, é um excelente setor empregatício”, garante.

Bigoo afirma ainda que com o apoio do secretário de Cultura do Estado João Milhomem e da Secretária de Turismo, Ana Célia Brazão, a OCA conseguiu a cessão da abandonada “Panela do Amapá” para sediar os seus trabalhos.

O espaço também ficará aberto para todas e quaisquer manifestações artísticas culturais, como vernissages, saraus, luaus, exposições, encontro e workshops. De acordo com Bigoo a Associação Brasileira de Documenta rias e Curta metragistas – ABDeC/AP, atrvaés de sua presidente Ana Vidigal,  tem interesse de manter exibições de filmes nacionais da Programadora Brasil. “Também é de nosso interesse manter um cineclube no local, valorizando as produções nacionais, mas reconhecendo também o audiovisual internacional, sempre concluindo com um debate sobre o tema abordado.

E isso é apenas o começo, garante o empolgado diretor.

Etiene Mazze

Da diretoria