A Polícia Federal deflagrou, na manhã de hoje (11), a operação Colinas de Rocha, 2º fase da Operação Olho de Tandera, deflagrada em setembro de
2017. Estão sendo cumpridos 10 (dez) Mandados de Prisão Preventiva e 17(dezessete) Mandados de Busca e Apreensão nos Estados do Pará, Amapá,
Tocantins e Santa Catarina. No Estado do Amapá foram cumpridas duas prisões
preventivas.
A operação Colinas de Rocha tem por objetivo finalizar a investigação
envolvendo grupo empresarial criminoso presente nos Estados do Pará, Amapá,
Tocantins e Santa Catarina, que atuava irregularmente no mercado financeiro,
captando recursos de Institutos de Previdência de servidores municipais para aplicação no Sistema Financeiro Nacional.


Além disso, essa fase tem o intuito de encerrar as investigações sobre a gestão fraudulenta do Fundo de Previdência de Oeiras do Pará, onde se
descobriu a malversação de R$ 14.865.000,00, quantia equivalente a mais da
metade dos recursos do instituto de previdência do município, com o
indiciamento do ex-gestor do Fundo e do ex-prefeito municipal.
No decorrer da investigação identificou-se a existência de indícios de
corrupção passiva e lavagem de dinheiro praticado pelos investigados.
A operação foi batizada com o nome do quarto ciclo do Inferno de
Dante, que corresponde ao local onde se encontram os gananciosos, pródigos
e avarentos.
Assessoria de Imprensa SR/PF/AP
(96) 3213-7500
OROZIMBO MACHADO DE SOUZA JÚNIOR
Escrivão de Polícia Federal