Ser Amapaense é…

“É gostar de marabaixo, batuque, cerveja, açaí, caldeirada de filhote, camarão no bafo, do Piratão, do papo de domingo, de visitar a Fortaleza, de ir ao Glicerão (mesmo que ele esteja caindo aos pedaços), de xingar quem fala mal da cidade, da brisa do Amazonas, de chapinhar na praia de lama do rio e comer peixe assado na brasa”. Humberto Moreira

Acai-Flora

“Ser amapaense é ter ido assistir um filme no Cine Macapá sessão das duas, depois uma esticada até o Macapá Hotel para tomar um sorvete e ter fôlego para encerrar a domingueira na Fortaleza de São José subindo o Farol. Uma visão monumental do Rio Amazonas em todo o seu esplendor”. Evandro Luis

MacapaHotel-Castro

“SER AMAPAENSE NÃO É SÓ TER O PRIVILÉGIO DE ADMIRAR NOSSAS RIQUEZAS NATURAIS E DEGUSTAR NOSSA IMPAR CULINÁRIA, MAS ACIMA “DE TUDO, DE TER MARCONI PIMENTA E PAULO DA VEIGA VIVENDO ENTRE NÓS E LUTANDO CONOSCO POR JUSTIÇA E LIBERDADE” . Soly

“É sentar embaixo da mangueira da Presidente Vargas, aquela perto da Banca do Dorimar, e falar coisas do ceú, da terra e do ar…”. Tânia Coimbra

PracaVeigaCabral-DSC02072 cópia

“É sentir falta do camarão no bafo com açaí, da tapioquinha, de tomar sorvete na beira rio…ter saudade de admirar o rio amazonas… e sentir uma felicidade inexplicável quando a aeromoça diz: bem vindo a Macapá!”. Nádia Pennafort

RiodeCima cópia

É amar atravessar o bairro do laguinho cumprimentando o povo que senta na frente das casas apreciando os que passam;é sentar na esquina igreja São Benedito e tomar umas cervejas com o Fernando Canto,Ruy e outros, e se indignar quando o Valdir fechar o bar na nossa cara mas voltar no outro dia com a cara mais cínica do mundo;ser amapaense é comprar importados na Zona Franca e achar que tá levando a última invenção do mundo;é também adorar caminhar na orla do Santa Inês e parar pra comer um peixe frito e tomar umas cervejas!! Mariléa Maciel

“É QUANDO EM VIAGEM FORA DO ESTADO, SE SURPREENDER AO RESPONDER QUE É DE MACAPÁ, MESMO QUANDO ESTÁ NA CIDADE EM QUE NASCEU. AFINAL DE CONTAS, DOS MEUS 50 ANOS, VINTE E NOVE SÃO DE MACAPÁ, CONTRA APENAS TRES NA CIDADE EM QUE NASCI – NATAL-RN”. Coronel Abel