Orçamento Público volta ao debate

Deputado Ruy Smith deu esclarecedora entrevista ontem ao programa Tribuna da Cidade, falando de seu projeto para diminuir o percentual orçamentário dos poderes.

Ruy esclareceu que o orçamento do estado vem aumentando ano a ano e que chegou o momento de rediscutir esses percentuais.

O parlamentar deixou claro, que é favor de diminuir o orçamento da Assembléia Legislativa e do Tribunal de Contas, para que aumente a capacidade de investimento do Poder Executivo. Quanto ao Tribunal de Justiça e ao Ministério Público, Ruy reconhece que estão presentes fisicamente, com comarcas, juízes e promotores, em todo o estado e que vêem ampliando suas estruturas de atendimento à sociedade, o que não é o caso da AL e do TCE.

Esse debate é bom.

  • Muito boa a idéia do Dep.Ruy.Ocorre que o governador não quer,ele prefere a harmonia,porque assim ninguém mexe com ele e com os seus aloprados.Observe quantas vezes a Assembleía,Min.Público,T.contas e T.justiça fez alguma coisa para garantir a cidania do povo amapaense.É uma pena Dep.Ruy,eles não querem.

  • Por isso e muito mais estamos sem investimentos nos mais diversos setores do noso Estado e olha isso aqui: “Dando continuidade à série histórica do IFDM – Índice FIRJAN de Desenvolvimento Municipal, foi apresentada a divulgação do IFDM relativo aos dados oficiais de 2006. O IFDM considera, com igual ponderação, as três principais áreas de desenvolvimento humano, a saber, Emprego&Renda, Educação e Saúde. A defasagem temporal de três anos entre o IFDM e sua divulgação decorre do fato de serem utilizadas apenas estatísticas oficiais. Com efeito, somente em 2009 foi possível reunir concomitantemente dados dos Ministérios da Educação, da Saúde e do Trabalho para o ano sob análise. Clique em ler mais para continuar a leitura e ver a colocação dos municípios do Amapá. Macapá está em 27o lugar entre as capitais, ou seja, é a última colocada, repetindo a performance do ano de 2005. No cômputo geral Macapá está classificada em 1252o lugar, a 26a colocada é Rio Branco, capital do Estado do Acre, que fica em 860o lugar no computo geral. Entre os municípios do Amapá, Pedra Branca está na 1318o colocação, seguida por Serra do Navio, que ocupa a 2638o colocação. O Brasil possui 5564 municípios. Clique em ler mais para ver a performance dos demais municípios do estado”.

  • Olha porque tambem não sobra dinheiro pro Estado investir e crescer e se modernizar:

    “Salário de governador no Amapá está entre os maiores do País

    PUBLICIDADE

    Embora o Amapá figure entre os Estados com o menor PIB e o menor orçamento do Brasil, o salário de governador é um dos mais altos entre os 27 Estados brasileiros. Enquanto o governador de São Paulo – o Estado mais rico – recebe R$ 14 mil de salário, o governador amapaense desde 2003 recebe R$ 22 mil.
    Uma pesquisa realizada pela Folha do Amapá comparando o salário de governador de nove Estados brasileiros mostra que apenas o governador do Paraná, Roberto Requião, tem salário maior que o de Waldez Góes no Amapá. Requião recebe R$ 24 mil de salário. Outro bem pago é o governador de Mato Grosso do Sul, André Pucinelli, que recebe o mesmo valor de Góes. Tanto Paraná quanto Mato Grosso do Sul têm PIB e orçamento bem superior ao amapaense.
    O País, no entanto tem bons exemplos. Em Rondônia, um Estado tão pobre quanto o Amapá, o salário do governador Ivo Cassol foi reduzido de R$ 18 mil para R$ 12 mil a pedido do próprio chefe do Executivo. A mesma medida foi adotada pelo governador de Minas Gerais, Aécio Neves. O governador mineiro ainda no primeiro mandato reduziu o salário de R$ 19 mil para R$ 10 mil.
    Em Alagoas o governador eleito Teotônio Vilela Filho acaba de apelar à Assembléia Legislativa que não aprove o reajuste de salário de governador. O salário atual é de R$ 11,5 mil e deveria subir para R$ 15 mil. O governador alagoano disse à imprensa daquele Estado que o exemplo tem que vir de cima. Para Vilela, a hora é de “esforço comum”, envolvendo governo, sociedade, poderes e instituições para acabar com as altas taxas de desemprego do Estado e metade da população alagoana abaixo da linha de pobreza.
    O governador de Mato Grosso, Blairo Magi, é outro que não quer aumento. O “rei da soja”, como é conhecido, pediu à Assembléia estadual que congele o salário em R$ 10,5 mil. Os deputados pretendem elevar para R$ 12,5 mil.
    No Piauí o governador Welliton Dias pede que o aumento seja bem abaixo do proposto pelos deputados. A Assembléia que aumentar o salário de R$ 11,5 mil para R$ 20 mil. Welliton Dias entende que R$ 14 mil está bom.
    Entre os nove Estados pesquisados pela Folha o governador eleito da Bahia, Jaques Wagner, irá receber o menor salário. Lá o salário de governador é de R$ 10 mil.
    No último dia 19 os deputados fixaram o salário do governador amapaense nos R$ 22 mil que vêm sendo pagos desde 2003. Na mesma sessão os parlamentares tentaram pegar uma carona no aumento proposto no Congresso e também reajustar o salário deles. Com a decisão do Supremo Tribunal Federal em anular o aumento para deputados federais e senadores a medida perdeu a validade. O salário do governador, porém, continua garantido.
    Em 2006 o Governo do Amapá concedeu apenas 5% de reajuste linear para os servidores públicos. Os delegados de polícia foram os únicos funcionários públicos com direito a um aumento significativo, na faixa de quase 50%. Coincidência ou não, a primeira-dama do Estado é delegada de polícia”.

    Folha do Amapá

  • Um dia antes do primeiro julgamento de cassação de Waldez por compra de votos nas eleições de 2006(ao todo eram 6 processos).Os poderes solicitaram um aumento dos repasses.Sabe quanto foi o resultado, Waldez ganhou de 6 x 0 e assim foram todos os outros.Este governo vive de fantasias,festas,foguetório.Faliu o estado,não vai deixar um prédio para a triste lembrança dos amapaenses.

  • Esse debate é interessante.
    A imprensa do Amapá deveria leva-lo ao distinto público; que afinal é quem paga a conta, com os impostos diretos e indiretos e com os serviços de tratamento de água e esgoto, fonecimento de energia elétrica, segurança pública, saude pública que não lhe chegam satisfatoriamente.
    Estranho que esse debate seja provocado por um deputado de oposição ao governo e não pelo Governador. É a harmonia…..

  • COMPANHEIROS VERIFIQUEM O ORÇAMENTO DA POLÍCIA MILITAR QUE TEM A MISSÃO DE RESGUARDA A SEGURANÇA DA SOCIEDADE EM TODO O ESTADO, NÂO É SÓ ALI NO CANTO DA AV FAB COM A LEOPOLDO MACHADO ONDE SOME MILHARES E MILHARES DE REAIS NÃO SEI EM QUE!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *