A Polícia Federal, Controladoria Geral da União e o Ministério Público Federal, desencadearam, nesta quinta-feira (09.05.2013), a operação CONFICTUS, a fim de investigar fraudes em processos licitatórios envolvendo órgãos federais, praticada por representantes de empresa prestadora de serviços de vigilância e segurança, sediada nesta capital, por meio da utilização de atestado de capacidade técnica falso.

Após denúncias veiculadas na imprensa amapaense em outubro do ano passado de que essa empresa teria apresentado documento de habilitação falso em licitações estaduais, a unidade regional da CGU realizou auditoria nos órgãos federais que firmaram contrato com essa empresa, tendo-se constatado a utilização do mesmo documento falso em 04 órgãos (Instituto Federal de Educação do Amapá – IFAP, INSS/AP, Distrito Sanitário Indígena/AP e Universidade Federal do Amapá – UNIFAP). Esses contratos importaram no montante aproximado de R$ 2 milhões.

Ainda no curso das investigações foi apurado o direcionamento de licitação na FUNASA/AP em favor de outra empresa prestadora de serviços de limpeza e conservação, cujo sócio é filho de servidora da FUNASA responsável pela contratação da empresa, sendo ainda o mesmo sócio da empresa de vigilância alvo da operação.

Estão sendo cumpridos 06 (seis) mandados de busca e apreensão e 01 suspensão de exercício de função pública, expedidos pela 2ª Vara Federal do Amapá. Participam da operação 28 policiais federais e 05 servidores da CGU.

 

Release – DPF